Teste irlandês antes da odisseia brasileira
Teste irlandês antes da odisseia brasileira

Portugal terá, na próxima meia-noite, o seu derradeiro teste de forma antes de se aventurar no Mundial 2014, em terras brasileiras. A selecção comandada por Paulo Bento faz esta noite o seu terceiro e último jogo de preparação, enfrentando a República da Irlanda, em Nova Jérsia. Depois de ter medido forças com duas congéneres que também estão de malas feitas para o Mundial, a equipa lusa enfrenta a República da Irlanda a dois dias do início da prova, que irá ser inaugurada pelo Brasil x Croácia.

Jogo de afinação final

Portugal completará esta madrugada a sua preparação para a competição, depois de três partidas que terão, no fim das contas, ajudado Paulo Bento a analisar questões tácticas de segundo plano, eventualmente consolidado possíveis planos B's. Isto porque o seleccionador luso tem, há muito tempo, totalmente definido o esquema e a filosofia de jogo que pretende ver implementados: 4-3-3 com Meireles e Moutinho na construção, Veloso enquanto médio defensivo, Coentrão e João Pereira aprofundando o jogo pelas linhas e Postiga (em luta com Hugo Almeida) no auxílio ao jogo diagonal de Cristiano Ronaldo e Nani, os verdadeiros atacantes camuflados.

Na baliza, Patrício continuará a ser o esteio de guarda das redes lusas, apesar da titularidade de Eduardo nas últimas partidas. O guardião que militou no Braga e que agora parte para o estrangeiro deverá sentar-se no banco durante a competição, mesmo tendo realizado uma exibição de alto nível contra o México. Contra a República da Irlanda, a titularidade do «keeper» leonino voltará já a ser uma realidade, facto que se manterá durante a prova no Brasil.

Pontuais ajustamentos

Tendo em conta o pendor conservador de Paulo Bento no que à elaboração táctica diz respeito, a avaliação do 4-4-2 testado contra a Grécia terá servido essencialmente para dar uma vista de olhos no perfil internacional de William Carvalho, assim como para ajuizar da condição física dos avançados, todos eles longe de uma forma ideal.

A eventual alteração de planos poderá resumir-se a uma adaptação, já experimentada no jogo contra a selecção mexicana: Fábio Coentrão poderá, caso Bento insista na opção, derivar do flanco esquerdo da defesa para o centro do terreno. «Tentámos encontrar dentro do nosso desenho táctico mais habitual algumas soluções. Fábio Coentrão é uma delas e o seu desempenho deixou-nos satisfeitos. Tem qualidade e do ponto de vista táctico cumpriu», explicou Bento no rescaldo do jogo ganho pela formação das quinas (golo de Bruno Alves ao cair do pano).

Ronaldo e Pepe considerados aptos

Tanto o central luso-brasileiro como o extremo goleador foram dados como aptos fisicamente, tendo, segundo o boletim médico da selecção, recuperado totalmente das lesões que os afectaram nas últimas semanas. De relembrar que Pepe, a braços com uma lesão muscular estrutural, falhou a final da Liga dos Campeões, enquanto que Ronaldo, apoquentado por uma tendinite transformada em tendinose (rotuliana) se apresentou na final de Lisboa numa forma medíocre.

Ainda assim, cautela foi a palavras de ordem do discurso de Paulo Bento, quando confrontado com uma data definitiva para o regresso dos dois jogadores acima citados, bem como do médio Meireles, que realizou treino condicionado durante a semana passada: «Os três vêm de paragens diferentes. No caso do Raul, ele acabou o campeonato a competir. O caso do Ronaldo é algo diferente, teve a ver com o que aconteceu na final da Champions. O caso do Pepe é anterior à final da Champions. São situações diferentes e tentaremos abordar todas essas situações no final do treino», afirmou ontem em conferência de imprensa.

Histórico de confrontos a favor dos portugueses

Décimo terceiro jogo na História de lusos contra irlandeses: Portugal venceu por seis ocasiões enquanto que os irlandeses fizeram a festa por quatro vezes, com dois empates pelo meio do registo - ambos ocorridos na Qualificação para o Mundial 2002, na Coreia do Sul, onde Portugal marcou presença, não ultrapassando a fase de grupos.

A última vez que a selecção lusitana levou de batida a República da Irlanda foi em 1996, quando o extremo Folha decidiu a contenda com um golo solitário num jogo amigável, decorrido em Dublin.

VAVEL Logo