Alonso quer terceiro título antes de se retirar
Fernando Alonso ambiciona mais um título (Foto: Ferrari).

Fernando Alonso, piloto da Ferrari desde 2010, afirmou na última semana não pensar em abandonar a F1 sem antes conquistar um terceiro título na categoria. Para o piloto de 32 anos, «não é que não esteja contente com dois [títulos], mas o terceiro coloca-te numa lista de nomes muito importantes», afirmou o espanhol. Recorde-se que Alonso foi campeão pela Renault em 2005 e 2006.

O desejo de vencer

Na sua 13ª época na F1, e depois de vencer o campeonato mundial de pilotos em 2005 e 2006, Fernando Alonso revelou ambicionar competir pelo menos até conquistar o seu terceiro título, o que o colocaria a par de nomes como Jack Brabham, Niki Lauda e Ayrton Senna, ídolo do espanhol que hoje veste as cores da Ferrari.

«Acho que posso continuar durante tempo suficiente para ganhar e continuar competitivo por mais alguns anos. Não sei quantos: três, cinco, sete... Não penso que haja qualquer problema.», declarou o espanhol.

A importância de desfrutar do desporto

«Isto não é algo que os pilotos de corrida gostem de fazer.», Alonso

Apesar disso, Alonso expressou preocupações sobre os actuais moldes da F1, e fez questão de afirmar que só continuará a competir enquanto for capaz de desfrutar da modalidade, algo que parece não se verificar em 2014: «Os novos monolugares são mais pesados, mais lentos. É mais difícil perceber o que o carro está a fazer e não podes puxar durante toda a corrida. Puxas durante duas voltas e depois tens de poupar pneus até à próxima paragem. Às vezes nem puxas de todo... Isto não é algo que os pilotos de corrida gostem de fazer.», queixou-se o piloto nascido em Oviedo, nas Astúrias.

Alonso adiantou ainda que o problema não será quantos anos poderá continuar a um nível competitivo na F1, mas sim se continuará a divertir-se ao pilotar no futuro.

Confiança na Ferrari

Se em 2010, 2012 e 2013 Alonso foi segundo no campeonato, combatendo de perto com Sebastian Vettel, e com especial destaque para 2010 e 2012, onde, mesmo com um monolugar de qualidade inferior ao Red Bull, o espanhol obrigou o alemão a lutar até à última prova da temporada para garantir o campeonato, a verdade é que 2014 parece ser um ano perdido para a scuderia italiana.

O F14 T desenvolvido pela Ferrari para 2014 tem-se apresentado sem ritmo competitivo, não tanto ao nível da fiabilidade mas sobretudo da potência e comportamento aerodinâmico, com Alonso e Räikkönen a queixarem-se ora de sobrevirgem ou subviragem, com claras dificuldades em domar o cavalo rampante da presente temporada, que dizem inconsistente na dirigibilidade.

A última corrida, o GP do Canadá, foi boa prova disso, com Alonso e Kimi a meio da tabela, beneficiando somente no final de uma subida de dois lugares após o acidente da última volta entre Perez e Massa, mas que nem assim mascara a má classificação dos dois pilotos de Maranello. Alonso terminaria em 6º e o finlandês em 10º. Apesar disso, Fernando Alonso voltou a afirmar que mantém a sua confiança na equipa italiana: «Este fim-de-semana demos alguns passos para diante, especialmente na frente aerodinâmica, mas os outros também estão melhores. Tudo o que podemos fazer é continuar em frente e prepararmo-nos tão bem quanto for possível para as próximas corridas.», afirmou o espanhol após a prova de Montreal.

Os números de Alonso na F1

2 títulos mundiais

32 vitórias em GPs

96 pódios

224 GPs disputados

22 pole positions

21 voltas mais rápidas

VAVEL Logo