Confrontos violentos em São Paulo a horas do arranque do Mundial
Povo brasileiro contra a dispendiosa Copa do Mundo no seu país (Reuters)

O Mundial está prestes a começar mas as hostilidades iniciaram-se há muito tempo. A tensão social que se tem vivido pelo país tem crescido e subido de tom à medida que o arranque da competição se aproxima. Greves, conflitos sociais, confrontos entre manifestantes e as forças policiais: tudo elementos de um menu que tem conturbado a realização da Copa do Mundo no país de futebol.

Os protestos prendem-se com a onerosa realização da prova, precisamente num país onde a pobreza e as assimetrias sociais e económicas são gritantes. Hoje, a poucas horas da cerimónia inaugural e do jogo de abertura (Brasil x Croácia), a cidade de São Paulo foi palco de violência entre dezenas de manifestantes e a polícia: várias detenções foram efectuadas. Dois jornalistas da CNN foram feridos nas quezílias.

O pontapé de saída do Mundial será dado às 21 horas de Portugal. Os protestos prometem não cessar durante a prova mundial, com o lema «Não vai ter Copa» a ser entoado constantemente pelos indignados manifestantes que se opõem à realização da competição em solo brasileiro.

VAVEL Logo