Lei de Muller arrasa estreia de Portugal
Muller marcou três e foi o homem do jogo

Lei de Muller arrasa estreia de Portugal

Portugal saiu goleado por 4-0 frente à Alemanha no jogo de estreia do Mundial 2014 a contar para o Grupo G. A selecção nacional cometeu demasiados erros, que os germânicos aproveitaram quase com máxima eficácia. Agora é preciso sarar as «feridas» e pensar já no encontro de domingo contra os Estados Unidos, para continuar a pensar no apuramento para os oitavos-de-final.

RodolfoReis
Rodolfo Reis

Quando nos primeiros dez minutos Hugo Almeida e Cristiano Ronaldo obrigaram Manuel Neuer a duas defesas complicadas, longe estariam os portugueses de imaginar o cenário que se seguiria. Aos doze minutos Mário Goetze recebeu a bola na área e perante a passividade de João Pereira conseguiu virar-se para a baliza, fazendo com que o lateral português tivesse de cometer falta.

O árbitro sérvio Milorad Mazic apontou para a marca de onze metros, da qual Thomas Mueller bateu Rui Patrício pela primeira vez. O meio-campo português foi sempre demasiado permissivo e nunca conseguiu travar o duo Ozil-Kroos, que geriam entre si os ritmos do jogo. Portugal reagiu numa jogada individual de Nani, mas o remate do extremo saiu ligeiramente por cima da trave de Neuer.

Um azar nunca vem só

A partir do minuto 25' tudo se desmoronou, primeiro Hugo Almeida saiu lesionado e pouco depois da meia hora na sequência de um pontapé de canto, Hummels saltou de cabeça e fez o 2-0. Ederzito que havia entrado para o lugar de Hugo Almeida dispôs de uma situação idêntica à do central germânico, mas o cabeceamento acima da baliza. Depois Pepe teve um momento de irresponsabilidade, numa disputa de bola com Muller atinge o avançado na cara com o braço, mas o juiz manda jogar, só que o luso-brasileiro decidiu «pegar-se» com o jogador do Bayern, acabando por o atingir com a cabeça e aí o árbitro não teve outra alternativa senão mostrar o cartão vermelho.

Ainda assim Portugal conseguiu reagir e Fábio Coentrão podia ter reduzido a desvantagem, mas acabou por fazer um passe quando podia ter rematado para a baliza. Os alemães não se fizeram rogados e a fechar a primeira parte colocaram o ponto final no desafio. Cruzamento de Goetze, com Bruno Alves a não ser incisivo no corte sobre a bola que sobrou para Thomas Mueller bisar no encontro.

Segunda parte foi mera formalidade

No regresso dos balneários Paulo Bento tirou Miguel Veloso e colocou Ricardo Costa para compôr o centro da defesa. Os alemães esses vieram para descansar com a bola no pé, fazendo-a circular entre si, perante uma selecção das quinas que reduzida a dez e com um resultado já de 3-0 pouco mais fazia do que assistir. A meio da etapa complementar, Fábio Coentrão saiu lesionado entrando para o seu lugar André Almeida.

Foi já dentro do último quarto de hora que a Alemanha fechou a contagem no marcador. Podolski que havia entrado no jogo, aproveitou o espaço dado por André Almeida para entrar na área fazendo um cruzamento em força, que Rui Patricio não segurou e que Thomas Mueller oportuno aproveitou para fazer o 4-0 fazendo um hat-trick e tornando-se no melhor marcador do Mundial.

Até final ainda se pediu penalty no lado de Portugal por falta sobre Ederzito, que o juiz não assinalou e destacar ainda para a saída por lesão do lado germânico de Matts Hummels e para um livre de Cristiano Ronaldo, que obrigou Neuer a defesa muito apertada. Com esta derrota a selecção portuguesa espera agora pelo resultado do outro jogo do grupo, que se disputará esta noite entre os Estados Unidos e o Gana, sabendo desde já que duas vitórias nos próximos dois jogos serão vitais, para a continuidade na prova.

VAVEL Logo