Hockenheim recusa dizer adeus à F1
(Foto: DPA)

Hockenheim recusa dizer adeus à F1

Depois de Bernie Ecclestone ter dado a entender que "largaria o machado" sobre o circuito de Hockenheim, em favor de Nürburgring, o responsável pelo circuito vem relembrar o patrão da F1 de que tem contrato até 2018.

hugopalmeida
Hugo Picado de Almeida

Depois de ontem terem surgido notícias de que Bernie Ecclestone teria fechado um contrato com o circuito de Nürburgring para que este passe a receber o GP da Alemanha anualmente, os responsáveis de Hockenheimring, ainda com contrato com a F1 até 2018 (para albegar o referido GP nos anos pares), responderam furiosamente.

Hockenheim diz que tudo não passa de especulação

Para Georg Seiler, responsável pelo Hockenheimring, não há, porém, qualquer questão legítima: «O factual é que teremos um Grande Prémio em Hockenheim em 2016 e 2018. Tudo o resto é especulação. Temos um contrato e ele não tem uma cláusula de saída.»

O polémico patrão da Formula One Management insiste, ainda assim, que o acordo com Hockenheim está assente em «condições especiais», menos benéficas para a FOM do que as acordadas com Nürburgring. Para Ecclestone, a solução para Hockenheim passaria por «alcançar um novo contrato com eles, nas mesmas condições que temos com outras pessoas».

Os responsáveis da Capricorn, nova proprietária do mítico traçado de Nürburgring, não quiseram entrar em grandes comentários sobre a reacção de Hockenheim.

VAVEL Logo
CHAT