8º dia do Mundial: três jogos, dois duelos de aflitos

8º dia do Mundial: três jogos, dois duelos de aflitos

No oitavo dia do Mundial, dois dos jogos serão decisivos: Inglaterra e Uruguai (Grupo D), ambos com zero pontos, correm pela primeira vitória na prova. Na mesma situação estão Japão e Grécia (Grupo C). Enquanto isso, Costa do Marfim e Colômbia tentam assegurar já o apuramento (Grupo C).

vavel
VAVEL

Dia de decisões inadiáveis neste Mundial: a Inglaterra e o Uruguai (Grupo D) vão protagonizar, às 20 horas, o grande jogo da jornada, duas selecções sedentas de pontos com extrema necessidade de pontuar para alimentar o sonho de atingir os oitavos-de-final da prova. Derrotadas na primeira ronda, tanto a Inglaterra como a Uruguai deverão privilegiar o futebol de ataque, embora as cautelas defensivas devam estar presentes durante os 90 minutos - quem arriscar a derrota comprometerá o Mundial.

O outro duelo de aflitos joga-se às 23 horas, entre o Japão e a Grécia, orientada pelo seleccionador português Fernando Santos. Ambas as formações não pontuaram na primeira ronda: o conjunto grego foi atropelado pelo poderio ofensivo da Colômbia (três golos sem resposta) enquanto a selecção nipónica perdeu para a Costa do Marfim, não tendo sido capaz de manter a sua vantagem inicial, dada pelo médio criativo do AC Milan, Keisuke Honda. Num duelo que se adivinha dividido, o favoritismo recai, ainda que residualmente, para o lado grego, dada a maior experiência do conjunto de Santos.

Por seu turno, quer a Colômbia quer a Costa do Marfim irão medir forças (17 horas) no sentido de garantir o apuramento para a próxima fase da competição - a selecção sul-americana deu uma demonstração de opulência na ronda inaugural, batendo os gregos com três golos que reflectiram perfeitamente a maior capacidade técnica e táctica da formação colombiana. Mesmo orfãos do goleador «El Tigre» Falcão, «Los Cafeteros» provaram a sua vertigem atacante: atenção ao instinto matador de Teófilo Gutiérrez, Adrián Ramos, Carlos BaccaJackson Martínez.

«Cafeteros» discutem liderança com «Elefantes»

A formação treinada por José Pékerman apresenta-se em grande forma e, se algumas conclusões se podem tirar da sua primeira exibição, estas apenas ressalvam a inegável qualidade do futebol colombiano. Fortes na saída para o ataque, rápidos na troca de bola e mortíferos na técnica do remate, «Los Cafeteros» transpiram poder físico: Pablo Armero (na esquerda) e Juan Cuadrado (na direita) são flechas que verticalizam o jogo colombiano, imprimindo uma alta rotação apoiado pela batuta de James Rodríguez, o volante ofensiva da equipa.

Do outro lado da barricada, a selecção dos «Elefantes» contará com o «joker» Drogba, que deverá voltar a iniciar a partida no banco de suplentes, sendo uma opção mais tardia, jogando Lamouchi com a possibilidade de o lançar no jogo com intuito de espalhar o pânico pelas imediações da defesa contrária, como fez contra o Japão. Gervinho e Kalou serão as referências atacantes da formação marfinense, expandindo o futebol africano pelas alas, enquanto Yaya Touré será o cérebro ao comando das operações, no miolo. Os costa-marfinenses vêem de uma reviravolta frente do Japão, com golos de Bony e Gervinho, aos 64 e aos 66 minutos.

Nipónicos com motor Honda tentam bater gregos

Keisuke Honda voltará a ser o motor do bólide japonês, depois de ter assinado uma boa exibição frente à Costa do Marfim. O Japão precisa de pontuar para manter intactas as esperanças de seguir em frente no Mundial 2014, mas para tal terá que ultrapassar a barreira grega - os gregos, campeões europeus em 2004, deram uma pálida imagem de si mesmos na partida diante da Colômbia, e quererão hoje responder à altura.  

Samaras deverá voltar a fazer dupla com Gekas no ataque (Mitroglou deverá voltar a sentar no banco), enquanto Maniatis e Katsouranis segurarão as investidas contrárias bem no miolo do terreno, dando assim corpo ao 4-4-2 helénico. Fetfatzidis poderá ocupar o lugar de Salpingidis na ala direita, e o experiente Karagounis poderá também alinhar de início, retirando Kone da titularidade.

Inglaterra e Uruguai aflitos tentam pontuar para sobreviver

Ambos perderam e ambos precisam de pontos como de pão para a boca: o Uruguai foi surpreendido pelo irreverente virtuosismo da Costa Rica, ao passo que os leões ingleses perderam para a «azzurra» de Prandelli, por 2-1. Sturridge ainda igualou a partida (depois do golo de Marchisio) mas o «enfant terrible» Balotelli marcou a diferença e ofereceu a vitória aos italianos.

Esta noite, as duas selecções terão de tentar matar para não morrerem - esperanças depositadas na qualidade de Rooney e na juventude tecnicista de Sterling, Sturridge e Welbeck, e na perícia de Suaréz e Cavani. Estes serão os nomes dos elementos nos quais estão depositadas as maiores expectativas de ambas as congéneres. No reduto inglês é esperado um 4-2-3-1 com Gerrard e Henderson no meio, ambos libertando o quarteto ofensivo, composto por dois alas (Rooney foi extremo esquerdo contra a Itália), um médio ofensivo centro posicionado atrás do avançado, que deverá voltar a ser Sturridge.

Maxi Pereira, expulso na partida contra a Costa Rica, falhará a partida. A selecção alviceleste deverá alinhar num 4-4-2 similar àquele que desenhou em campo na primeira ronda. A dupla de ataque escolhida para a primeira partida deverá hoje ser desfeita, já que Forlán deverá ceder o lugar ao recuperado Luis Suaréz.

VAVEL Logo
    CHAT