Grupo A: decisões só na última jornada
Ochoa, o herói do México (Foto: Reuters)

Grupo A: decisões só na última jornada

O Mundial não pára e os grandes jogos também não. Depois de uma primeira jornada onde o Brasil saiu vitorioso perante a Croácia e o México venceu os Camarões, a segunda jornada não podia ser mais entusiasmante, ao opor Brasil e México, primeiro e segundo classificados do grupo. Um empate entre estas duas equipas, e um vitória redonda da Croácia perante os Camarões levam as decisões para o fim.

tiagolabreca
Tiago Labreca

Brasil, México e Cróacia. Ambas as três seleções entram entram na última jornada com esperanças legítimas de avançarem na prova. Depois desta segunda ronda de jogos, o Brasil parte em clara vantagem visto que defronta a frágil selecção africana dos Camarões na última jornada. Croácia e México enfrentam-se tendo em vista a passagem aos oitavos de final da prova. Será a noite de Guillermo Ochoa, novamente, ou do matador Mario Mandzukic? 

Salvador Ochoa 

Foi na Arena Castelão que as duas selecções vitoriosas na primeira jornada defrontaram-se prometendo um jogo onde os talentos iriam certamente emergir. Luiz Felipe Scolari foi obrigado a mexer na equipa devido a lesão de Hulk, sendo que para o seu lugar entrou o jogador do Chelsea, Ramires. No México as apostas voltaram a ser idênticas ao primeiro jogo, com destaque para o avançado Peralta que inicia novamente o jogo em detrimento do talentoso Chicharrito Hernandez. Seria uma nova oportunidade para os brasileiros verem a sua seleção depois da vitória bastante suada frente aos croatas. Os hinos começaram a tocar e a emoção invadiu as bancadas, com Neymar, o prodígio brasileiro, a soltar algumas lágrimas. 

A entrada na partida foi muito forte pela equipa do Brasil com pressão alta sobre os mexicanos, criando oportunidades de golo e fazendo alguns remates perigosos. Contudo, a primeira jogada de verdadeiro perigo coube ao México com Herrera, jogador do FC Porto, a rematar de longe na tentativa de surpreende Julio Cesar, só que o experiente guarda-redes do Brasil não se fez rogado e executou uma óptima defesa. A partir deste momento parecia tudo estar mais equilibrado numa intensa luta de meio campo, com o Brasil sempre mais perigoso.

Foi no minuto 25 que começou o chamado «Show de Ochoa». O guarda redes mexicano do Ajaccio fez uma das melhores exibições de sempre pela selecção negando variadas vezes o golo que quase parecia certo aos brasileiros, que nas jogadas finais já pareciam desesperados. A primeira destas defesas impossíveis merece destaque, deveria estar no manual do futebol magia. Dani Alves faz um grande cruzamento da direita onde descobre o pequeno Neymar, que foi mais alto que a defesa do México e de cabeça, como as regras mandam, finalizou de cima para baixo. A questão é que estava Ochoa na baliza que com uma defesa do outro mundo tirou o golo que já parecia certo ao craque brasileiro.

Desde essa altura o Brasil foi carregando o México criando oportunidades atrás de oportunidades, apesar de que o México nunca se subordinou ao poderio brasileiro, sempre com iniciativas de contra-ataque de Giovani dos Santos, Herrera ou Peralta. Mas a noite era de Ochoa. Paulinho, Óscar, Fred, Neymar e por fim Thiago Silva achavam que o golo estava feito só que o guarda redes mexicano trocava-lhes as ideias e negava os golos que nucna chegou a aparecer. Empate final a 0 e ambas as equipas com 4 pontos para a última jornada. 

Camarões deram mais nas vistas fora do campo do que dentro

Não foi preciso uma exibição de gala por parte da Croácia para derrotar esta frágil selecção dos Camarões. Depois da primeira jornada onde ambas as equipas perderam, este jogo seria uma final para ambas as equipas. Os europeus já podiam contar com o avançado Mandzukic, jogador do Bayern de Munique, para além do novo reforço do Barcelona Rakitic e de Modric. Os africanos não podiam contar com a sua estrela Samuel Eto'o por lesão o que era uma grande baixa. Em Manaus, perante um clima insuportável, Pedro Proença arbitrava este jogo decisivo para os dois lados. 

Com uma entrada fortíssima e aguerrida em campo, a Croácia mandava no jogo. Os Camarões que começaram por dar nas vistas com vários problemas fora do campo, dentro das 4 linhas era subordinado por uma selecção europeia com raça e muito bem organizada. Aos 11 minutos, Ivica Olic punha o marcador a mexer para o lado dos croatas. E isto não ficaria por aqui. Novamente, o futebol dos Camarões não foi o expoente máximo mas sim as atitudes dos jogadores, Alex Song, experiente jogador do Barcelona, num momento de loucura agrediu Mandzukic e foi para o balneário mais cedo deixando os Camarões a jogar com 10. 

Este momento do jogo só prejudicou ainda mais a selecção dos Camarões que nunca mais se soube organizar em campo, deixando espaços e cometendo erros sucessivos para bom grado dos croatas que iam aproveitando as oportunidades. Perisic começou por ampliar a vantagem, numa jogada onde correu mais de 50 metros para finalizar facilmente perante a passividade de toda a defesa africana, inclusive o guarda- redes Itandje. 

A Corácia não descansou e continou a marcar, por mais duas vezes, pelo inevitável Mario Mandzukic, aos 61 e 73 minutos provando que muito da ineficácia do primeiro jogo frente ao Brasil foi devido à sua falta. Os Camarões continuaram a desesperar e Rakitic ainda teve oportunidade de alargar o resultado para desespero de vários jogadores africanos que entraram em confronto entre si, como foi o caso do jogador Assou Ekotto que perdeu a cabeça. 

A moral dos croatas está assim em alta para o jogo decisivo com o México na última jornada que vai decidir tudo. Os Camarões foram então a primeira equipa a abandonar este Mundial de 2014 não deixando uma grande imagem do seu futebol. Finalizada esta segunda jornada do Grupo A, o Brasil e o México têm 4 pontos, a Croácia tem 3 pontos e os Camarões 0. Decisões só na ronda final. 

VAVEL Logo
CHAT