11ª dia do Mundial: Portugal joga a vida contra EUA
Foto: MLS Soccer / Gabriel de los Rios

11ª dia do Mundial: Portugal joga a vida contra EUA

Ao 11º dia de Mundial Portugal enfrenta os Estados Unidos e precisa de uma vitória para se manter em jogo, se a equipa das quinas empatar ou perder diz adeus ao Brasil. No grupo H Bélgica e Rússia enfrentam-se, naquele que é o jogo entre principais candidatos aos oitavos e Argélia e Coreia do Sul jogam entre si, com vista a fazer pontos e deixar tudo em aberto.

joaopita
João Pita

Domingo dia 22 de Junho o Brasil volta a ser palco do melhor futebol de selecções. Na luta pelo apuramento já amanha a Bélgica procura levar de vencida a Rússia às 17:00 no Maracanã, se os "diabos vermelhos" ganharem fazem 6 pontos e carimbam o passaporte para os oitavos de final. Os Russos, comandados por Fabio Capello têm um ponto e procuram a vitória para garantirem o primeiro lugar do grupo e atrasar a Bélgica. Ainda no grupo H mas em situação diferente está a Argélia, depois de terem perdido frente à Bélgica os Argelinos quererão ganhar frente à Coreia para se manterem em jogo no apuramento para os oitavos. A Coreia, já com um ponto, tentará ganhar e chegar aos 4 pontos, esperando que a Bélgica ganhe para que fique em boa posição, o jogo será as 20:00 horas.

Quando o relógio marcar 23:00 começa-se a jogar os Estados Unidos-Portugal. A equipa Lusa, depois da goleada sofrida frente à Alemanha, quer dar boa conta e ganhar, igualando os Americanos com 3 pontos e mantendo em aberto as contas do apuramento.

Bélgica x Rússia - Espera-se mais dos «diabos vermelhos»

Depois de uma primeira partida desapontante dos comandados de Marc Wilmots, os Belgas tentam agora materializar toda a sua qualidade individual em jogo colectivo e levar de vencida a equipa Russa. Com uma selecção recheada de estrelas a equipa Belga não conseguiu superiorizar-se claramente à Argélia no primeiro encontro e teve muitas dificuldades em ultrapassar a defesa dos Argelinos, muito sólida e compacta.

Contra a Russia a Belgica encontrará, ao que tudo indica, um adversário a jogar mais aberto do que a Argélia mas sem dar muitos espaços, algo que pode ser preponderante no jogo ofensivo dos "diabos vermelhos", eles que por excelência procuram transições rápidas a fazer uso da velocidade e qualidade de passe e drible de jogadores como Hazard, Chadli e De Bruyne, no apoio ao poderoso Lukaku, ele que teve uma primeira partida dificil, com pouco espaço para ter bola e sem oportunidades de golo. A Bélgica pode ter de partir para cima do jogo para tentar encostar a Rússia à sua área.

A Rússia partiu para este Mundial como a favorita à passagem no grupo H, juntamente com os Belgas. Depois da primeira partida frente à Coreia a equipa Russa desiludiu um pouco, apresentando um futebol pouco fluido e com os sectores pouco ligados. Ambas as equipas entraram com muitas cautelas defensivas e houve pouco espaço para jogar e nenhuma das equipas conseguiu aplicar o seu futebol de contra-ataque, tenho havido muitos remates de longe. Comandados por Capello, os Russos defendem muito coesos e não dão espaço aos adversários, prevê-se que a Bélgica parta para cima no início do jogo para tentar marcar cedo, havendo espaço nas suas costas para homens como Kokorin e Kerzhakov poderem fazer a diferença. Depois de ter jogado Kokorin sozinho na frente e de Kerzhakov ter entrado bem e feito o golo, prevê-se que haja possibilidade de jogarem os dois em cunha na frente.

Coreia do Sul x Argélia - Derrota da Argélia significa afastamento

A equipa de Vahid Halilhodžić entrou bem em termos exibicionais no Mundial 2014, conseguindo fazer frente a uma equipa muito superior como é a Bélgica. Pese embora a derrota sofrida, a Argélia esteve coesa na defesa e ainda conseguiu aparecer com algum perigo no ataque, mesmo não tendo muitas situações de perigo. Vahid Halilhodžić apostou em Soudani solto na frente para jogar nas costas dos defesas Belgas e quando entrou Slimani e depois Ghilas nunca conseguiu fazer chegar bem a bola à área para que o avançado leonino pudesse fazer uso do seu potente cabeceamento. Num jogo onde se jogará tudo frente à Coreia a Argélia terá de tentar jogar melhor pelas alas para conseguir potenciar o jogo ofensivo do seu avançado através de bolas cruzadas pelos extremos.

A Coreia do Sul vem de uma boa partida frente à Rússia, onde conseguiu suster o adversário e sair com algum perigo para o ataque, sobretudo pelos pés do talentoso Son Heung-Min, o "Neymar Coreano". O craque do Bayer Leverkusen é um jogador muito perigoso no ataque e é por ele que passam as acções ofensivas Coreanas. Na partida de domingo será importante perceber se a Coreia conseguirá mais uma vez proteger bem a sua baliza e se Son Heung-Min terá espaço para brilhar e criar perigo às redes Argelinas.

EUA x Portugal - Tudo ou nada para os comandados de Paulo Bento

Depois da goleada sofrida e das lesões de Fábio Coentrão, Hugo Almeida e Rui Patricio e do castigo de Pepe, a equipa das quinas terá certamente muitas mudanças para a partida frente aos Estados Unidos. A equipa Americana tem uma defesa muito bem organizada e um meio campo agressivo no momento da perda de bola, que dá muito pouco espaço para a equipa adversária jogar. Com o duplo pivot com Kyle Beckerman e Michael Bradley, com o apoio de Jemaine Jones como falso ala esquerdo a dar muita consistência no miolo. Face a este posicionamento táctico norte americano é obvia a necessidade de Portugal ser mais imaginativo no ataque, a começar no meio campo.

Não se antevê que os EUA tenham muito poder de fogo no ataque uma vez que estão privados de Altidore, o possante avançado é parte fundamental da estratégia de Klinsmann, que pretenderia jogar nas costas da defensiva Portuguesa com a velocidade e presença física de Altidore. Sem o avançado do Sunderland, Aron Jóhannsson deve ser o titular, algo que parece um pouco contra-natura face à estratégia de jogo Americana.

A entrada de Miguel Veloso para a esquerda, dando mais qualidade de passe longo e cruzamento a 3/4 do campo, de William e Ruben Amorim para o meio-campo, dando mais presença física e intensidade de jogo face ao que se passou contra a Alemanha são algumas das alterações que se especulam sendo certo que Paulo Bento não costuma mudar muito e prefere optar por uma fórmula que já deu sucesso, vamos ver como conseguirão os comandados de Bento ultrapassar esta dificil equipa Americana e o seu poderio físico e qualidade defensiva.

VAVEL Logo
CHAT