Grupo G: Alemanha e Estados Unidos triunfam
Low e Klinsmann seguem em frente no Mundial (Eurosport)

Grupo G: Alemanha e Estados Unidos triunfam

A fase de grupos para as selecções constituintes do grupo G acabou esta quinta-feira, perto das 7 da tarde. Os pontos e diferença de golos ditaram a passagem da Alemanha e Estados Unidos, deixando Portugal e Gana pelo caminho.

beatriz-goncalves
Beatriz Gonçalves

Foi esta quinta-feira que Alemães e Norte-Americanos festejaram a passagem à fase seguinte do Mundial do Brasil, enquanto que as seleções de Portugal e do Gana se vêm de malas aviadas para voltar para casa. Nesta decisão foram decisivos os golos que a Alemanha marcou a Portugal logo no jogo inaugural para a selecção de CR7, que em muito complicaram a esperança restante - esse resultado tivesse sido diferente, talvez Portugal tivesse vencido os Estados Unidos no que há diferença de golos diz respeito, factor que ditou o fim da Copa para a selecção Nacional.

Portugal x Gana: A esperança marcou presença, mas a vitória de nada serviu

Este duelo destaca-se, primeiramente, pelas alterações que Paulo Bento efectuou em Portugal: desistindo da teimosia, finalmente ofereceu ao meio-campo a maior consistência que encontrou na competição, optando por usar Rúben Amorim e William Carvalho. A pressão revelou-se imediatamente maior e viu-se a diferença ao abdicar de jogadores como Meireles e colocar Miguel Veloso a lateral esquerdo, para compensar a lesão de André Almeida. 

O jogo iniciou-se com um Portugal que procurava vencer e marcar um golo, consciente de que, para passar, não era necessário apenas brilhar, mas arrasar. Pressionante, a selecção Portuguesa dominou este início, contudo, faltava a eficácia apesar das várias oportunidades flagrantes que se criaram. Ronaldo falhava algumas, mas Nani também se mostrava apagado, sem o destaque que mostrou nos restantes jogos. 

Também dependente da vitória para ganhar, o Gana tentava, mas a supermacia da equipa liderada por CR7 era evidente, consumando-se com o golo - com um cruzamento exemplar de Veloso e uma falha defensiva de Boye, o relógio marcava os 31 minutos quando a bola entrou pelas redes do Gana, naquele que foi considerado um auto-golo. O Gana tentou recuperar, mas no primeiro bloco de jogo não sucedeu. 

Os segundos 45 minutos, contudo, foram a verdadeira derrota - o golo de Ronaldo aos 82 minutos deu a vitória aos portugueses, é certo, mas quando o Gana conseguiu colocar a bola dentro da baliza de Beto, a 'derrota' na luta frente aos Estados Unidos (que perdiam) ficou automaticamente muito mais complicada do que já se demonstrava e, consequentemente, a esperança desvaneceu. Era Gyan que, aos 57 minutos, apareceu solto na grande área das quinas, e perante uma falha da defesa conseguiu cabecear e igualar o marcador. Estava então decidido o destino das duas selecções, que disseram em Brasília o "adeus" ao Mundial.

Estados Unidos x Alemanha: O jogo dos vencedores

Apesar de ser matematicamente possível para Portugal e Gana passar aos oitavos de final, os Estados Unidos entravam com mais conforto no jogo frente à Alemanha - não só porque os Alemães já não necessitavam de vencer, logo não iam com uma motivação extremamente ofensiva, como a diferença de golos era mais favorável a selecção norte americana. 

Naquele que foi um confronto com pouca pujança, Alemanha entrou a conquistar a maioria da posse de bola, perante uns Estados Unidos bem distribuídos defensivamente, conscientes da ofensiva eficaz da equipa que encontravam. Como seria de esperar, esse destaque ofensivo entrega-se aos alemães, ainda que os Estados Unidos tenham conquistado as suas próprias hipóteses. Ainda assim, poucas foram as oportunidades de golo dignas de destaque.

De facto, foi só no segundo bloco de jogo que o golo surgiu, pelo pé de Muller, que marcou o seu 4º golo na prova e se juntou a Neymar e Messi no quadro dos melhores marcadores. O golo surgiu na sequência de um cabeceamento de Mertesacker, que o guardião americano foi capaz de defender, e Muller não hesitou logo em seguida em rematar na recarga. Era por esta altura que o cenário se iluminava para Portugal e piorava para os Estados Unidos, que precisavam do empate para assegurar a passagem com certeza sem dependerem da diferença de golos. Contudo, ao contrário do esperado, o ritmo do jogo baixou consideravelmente e as poucas oportunidades ofensivas registadas decresceram ainda mais.

Ainda assim, os americanos não desistiram e ainda assustaram por duas vezes a baliza de Neuer, mas sem eficácia. Apesar da derrota, os norte-americanos apuraram-se juntamente com os alemães, marcando presença nos oitavos de final. Nesta nova fase, Alemanha enfrentará a Argélia (Segunda-feira, 21:00) e os Estados Unidos encontrarão a Bélgica (Terça-feira, 21:00). 

VAVEL Logo