Jardel assume consumo de cocaína enquanto actuava no FC Porto

Jardel assume consumo de cocaína enquanto actuava no FC Porto

«Super Mário» como era conhecido o artilheiro máximo do futebol português, prestou declarações ao portal Lancenet afirmando que durante a sua estadia no FC Porto começou a depender das drogas, nomeadamente da cocaína, supostamente sempre com o consentimento dos médicos dos dragões. Rodolfo Moura e José Carlos Esteves já desmentiram esta notícia.

tiagolabreca
Tiago Labreca

Mário Jardel será sempre reconhecido como uma das maiores figuras do futebol português. Todos os que o viram jogar lembram-se da sua capacidade inigualável de marcar golos, quer de cabeça quer em remates potentes. No FC Porto iniciou o seu reinado de goleador máximo de Portugal e também da Europa, tendo um registo impressionante de 130 golos em 125 jogos pelos azuis e brancos, sendo tricampeão. Depois de uma passagem pelo Galatasaray na Turquia, Super Mário volta ao futebol português com uma incrível passagem pelo Sporting. 

Em 2001/2002 o «Quem será? Será de Guaraná?» surgiu várias vezes no antigo Estádio de Alvalade onde Jardel fez uma dupla imbatível com João Pinto conquistando o campeonato para o Sporting com 42 golos em 30 jogos. Contudo em 2003 começaram os problemas na carreira de Mário Jardel, ganhando muito peso, não comparecendo nos treinos e começaram a surgir os rumores do consumo de drogas que agora foram confirmadas pelo brasileiro. 

«O médico e o fisioterapeuta do FC Porto sabiam porque eu lhes contava»

O consumo de cocaína começou a ser muito falado na vida de Jardel principalmente devido aos problemas que se passavam na sua vida e com a falta de rumo na sua carreira. «Começou por causa das más amizades, fim de um relacionamento... Fiquei deprimido porque estava sozinho e não tinha apoio», salientou Mário Jardel na sua entrevista ao Lancenet, afirmando ainda que era a única maneira de ter um bom rendimento em campo afastando-o assim de qualquer tipo de pensamentos negativos da sua vida pessoal. A verdade é que este consumo de droga não se revelou em campo no FC Porto visto que de época para época Jardel marcava e não parava.  

Jardel afirmou ainda que esteve num género de reabilitação dentro do estágio do FC Porto «Eu fazia exames todos os dias antes do treino, fiquei um mês fechado na concentração para recuperar». Contudo nos anos seguintes a dependência piorou e privou o artilheiro brasileiro de fazer aquilo que mais glória lhe dava: jogar futebol e marcar golos. 

«Nós fazíamos exames constantemente e nunca acusou nada», afirmou José Carlos Esteves

Em declarações ao MaisFutebol, quer o médico do FC Porto na altura, José Carlos Esteves, quer o fisioterapeuta, Rodolfo Moura, desmentiram as declarações do antigo craque do FC Porto e do Sporting. Segundo o médico as declarações de Jardel não podem ser verdade, acentuando o facto de que ele nessa altura ainda vivia de forma estável com a sua famiília «Na altura faziamos exames à urina e, caso ele tivesse consumido cocaína, durante pelo menos 15 dias, ela seria detectada nos exames e isso nunca aconteceu». 

Ambos afirmaram que os problemas de dependência de drogas só começaram após a sua estadia no FC Porto, com Rodolfo Moura que o acompanhou nos dois clubes, a referir que «Nunca identifiquei nenhuma situação destas no FC Porto» e que estes problemas só começaram a acontecer mais tarde no Sporting, na altura em que Jardel foi afastado da equipa, em 2003. 

Parece que este assunto não vai ficar por aqui e que Jardel ainda responderá ao que o médico do FC Porto disse. Será que ainda ouviremos o presidente Pinto da Costa a argumentar sobre o assunto? 

VAVEL Logo
CHAT