FP1 do GP da Grã-Bretanha: Mercedes domina, Williams desilude
Já decorreu a primeira sessão de treinos no mítico traçado britânico ( imagem:skysports.com)

A primeira sessão de treinos foi marcada por muitas saídas de pista e vários problemas mecânicos.

No início, com a pista com pouca borracha ainda, o que não permite os niveis de aderência desejados, notou-se muita instabilidade nos monolugares, instabilidade que foi significativamente aumentada pelo vento que se fazia sentir em Silverstone e que fez alargar para fora dos limites de pista as trajectórias de vários pilotos, como Rosberg, Vettel, Ricciardo...

A desilusão na Williams

A grande desilusão da FP1 foi a Williams. Susie Wolf, com a sua primeira grande oportunidade de mostrar o seu valor, apenas conseguiu fazer uma volta e meia em ritmo competitivo. Uma bomba de óleo deixou de funcionar correctamente e cortou o motor, deitando por terra o sonho de fazer uma sessão de treinos completa. Muito azar para Susie, que esperou muito por este momento. Terá outra oportunidade no GP da Alemanha. Para piorar a situação da Williams, Massa teve uma violenta saída de pista, embatendo num dos muros de protecção e danificando bastante o carro, saindo felizmente ileso do acidente. Curiosamente foi na mesma curva em que no ano passado, num treino, também saiu de pista.

Ferrari bem colocada na tabela

Alonso foi o que mais próximo esteve dos tempos da Mercedes, que continuam a não dar hipóteses à concorrência, mas é algo já habitual na Ferrari, que depois em corrida parece perder fulgor. Segundo a Pirelli, o problema está na afinação do carro, que é feita a pensar em demasia na qualificação, o que depois prejudica o ritmo de corrida. A Ferrari desmentiu dizendo que a performance do carro não permite mais.

Raikkönen foi 5º, um dia depois de ter anunciado que provavelmente 2015 será o seu último ano na F1. Ricciardo continua a não facilitar e ficou mais uma vez na frente de Vettel (4º e 6º respectivamente). Não esquecer que este traçado favorece bastante os Red Bull e como tal poderão reservar uma surpresa.

Button fez 7º e com certeza vai entrar com a "faca na boca", depois de Ron Dennis o ter "motivado" de uma forma bem caricata, pondo em causa o rendimento do britânico ao dizer que espera que faça melhor que Magnussen (o que tem feito quase sempre este ano). A resposta de Button foi elegante mas incisiva: «Penso que estamos numa situação dificil há 18 meses e como tal todos nós devemos fazer melhor e não apontar o dedo a alguém em especifico».

Kvyat, Vergne e Magnussen fecharam o top 10 da primeira sessão de treinos.

Falhas mecânicas cada vez mais frequentes

Por fim destacar as várias falhas mecânicas que os carros foram experimentando ao longo da sessão. Susie Wolf como já referimos, mas tambem os Red Bull voltaram a ter alguns problemas com a caixa, e o Mercedes de Rosberg teve problemas com o ERS. O Lotus de Maldonado apenas vez 2 voltas, também com problemas de motor. As equipas usam componentes mais antigos para fazer os treinos e o seu uso começa a ser notado nestas situações. A tecnologia é recente e ainda pouco fiável. Como estamos apenas a pouco menos de meio da época, a fiabilidade ainda vai fazer mudar muita coisa no que ao campeonato diz respeito.

Merecem ainda destaque as presenças de Van der Garde (Sauber), Daniel Juncadella (Force India) e Robin Frijns (Caterham), que ficaram em 15º, 14º e 20º, respectivamente, e que foram as "caras novas" nesta sessão de treinos.

Tempos da FP1:

1º Nico Rosberg (Mercedes), 1m35,424s – 25 voltas
2º Lewis Hamilton (Mercedes), 1m36,155s (+ 0,731s) – 22 voltas
3º Fernando Alonso (Ferrari), 1m36,263s (+ 0,839s) – 23 voltas
4º Daniel Ricciardo (Red Bull-Renault), 1m36,623s (+ 1,199s) – 21 voltas
5º Kimi Raikkonen (Ferrari), 1m36,703s (+ 1,279s) – 23 voltas
6º Sebastian Vettel (Red Bull-Renault), 1m36,921s (+ 1,497s) – 20 voltas
7º Jenson Button (McLaren-Mercedes), 1m36,963 (+ 1,539 25
8º Daniil Kvyat (Toro Rosso-Renault), 1m37,175s (+ 1,751s) – 29 voltas
9º Jean-Eric Vergne (Toro Rosso-Renault), 1m37,227s (+ 1,803s) – 25 voltas
10º Kevin Magnussen (McLaren-Mercedes), 1m37,231s (+ 1,807s) – 30 voltas
11º Sergio Pérez (Force India-Mercedes), 1m37,720s (+ 2,296s) – 22 voltas
12º Romain Grosjean (Lotus-Renault), 1m37,910s (+ 2,486s) – 21 voltas
13º Esteban Gutiérrez (Sauber-Ferrari), 1m38,056s (+ 2,632s) – 18 voltas
14º Daniel Juncadella (Force India-Mercedes), 1m38,083s (+ 2,659s) – 23 voltas
15º Giedo Van der Garde (Sauber-Ferrari), 1m38,328s (+ 2,904s) – 19 voltas
16º Jules Bianchi (Marussia-Ferrari), 1m38,917s (+ 3,493s) – 12 voltas
17º Felipe Massa (Williams-Mercedes), 1m39,461s (+ 4,037s) – 7 voltas
18º Max Chilton (Marussia-Ferrari), 1m39,814s (+ 4,390s) – 24 voltas
19º Marcus Ericsson (Caterham-Renault), 1m40,597s (+ 5,173s) – 19 voltas
20º Robin Frijns (Caterham-Renault), 1m42,261s (+ 6,837s) – 11 voltas
21º Susie Wolff (Williams-Mercedes), 1m44,212s (+ 8,788s) – 4 voltas
22º Pastor Maldonado (Lotus-Renault), sem tempo – 2 voltas

A segunda sessão de treinos arranca às 14h.

VAVEL Logo