Brasil x Alemanha: Final antecipada a fazer lembrar o Mundial de 2002

Brasil x Alemanha: Final antecipada a fazer lembrar o Mundial de 2002

Neste primeiro jogo das meias finais do Mundial de 2014, a selecção da casa, o Brasil, vai defrontar a Alemanha. Uma reedição da final do Mundial de 2002 na Coreia do Sul e Japão onde o Brasil de Ronaldo, Ronaldinho, Rivaldo derrotou a Alemanha de Kahn e Ballack . Quem ganhará o primeiro passaporte para a final da mais importante competição de selecções?

tiagolabreca
Tiago Labreca

Brasil - Alemanha. O mundo todo vai estar de olhos postos nesta primeira meia final do Mundial que decidirá o primeiro finalista. Quem prevalecerá? O samba brasileiro que tem como apoio fundamental a torcida que de jogo para jogo tem sido incansável ou será a racionalidade e agressividade germânica que tem valido sucessivas idas a fases avançadas quer do Europeu quer do Mundial. 

O que é certo é que o as 21 horas (horas em Portugal) as duas equipas entram em jogo, contudo o Brasil entra desfalcado. A sua estrela maior Neymar e o capitão Thiago Silva vão ver esta meia final de fora: Neymar devido a lesão nas vértebras estará inclusive fora da final, o que foi um choque para os brasileiro e principalmente para o jogador do Barelona que poderá não ter outra oportunidade de jogar uma final na sua «casa». O craque brasileiro segundo os colegas de equipa vai ser substituido por algúem que vai deixar tudo em campo por ele e é nisso que Neymar se pode agarrar. 

Samba e velocidade ofensiva brasileira

Apesar das duas baixas que o Brasil apresenta, ambas de peso, Scolari acredita que a vitória e a consequente ida à final podem acontecer hoje. É prevísivel que o treinador brasileiro opte por substituir Neymar por William, que até aqui nunca tinha sido titular na selecção brasileira. Já para o lugar de Thiago Silva quer Dante quer Henrique parecem ter hipóteses de fazer dupla com David Luiz

A época de William não podia ter sido melhor. Depois de varias épocas no Shakhtar, a ida para Inglaterra, nomeadamente para o Chelsea, foi muito positiva para a carreira do jogador. Bastante influente na equipa londrina, William está muito bem intrusado com Óscar, o número 10 da equipa de José Mourinho e da selecção brasileira o que pode trazer vantagens para a selecção comandada por Scolari. A velocidade e técnica que imprime no jogo podem fazer esquecer por momentos a ausência de Neymar. Tudo isto aliado a uma fantástico remate de fora da área pode ser fulcal para furar na defensiva alemã. 

Depois de dois jogos muito duros com selecções bastante parecidas ao Brasil. primeiro o Chile e depois a Colômbia, a fadiga pode estar presente nos jogadores brasileiros. Nos útlimos 10 minutos perante a Colômbia, com o pressing dos cafeteros, o meio campo do brasileiro começou a acusar o desgaste de vários jogos nas pernas. Será muito importante para Fernandinho e Paulinho manterem o mesmo índice de velocidade de recuperação de bola e saída para o contra ataque que têm mantido nos útlimos jogos. 

Defesa germânica é o melhor ataque

O útlimo jogo da Alemanha foi contra uma das selecções que praticava um futebol que atraía todos os adeptos. A vitória da Alemanha frente à França revelou que a partir do momento em que a Alemanha marca cedo num jogo é muito díficil virar o resultado como se viu no jogo contra Portugal e mesmo contra a França. A pressão e agressividade que o meio campo alemão coloca nos adversários contrários é exactamente aquilo que Joachim Low pretende. 

Por trás da defesa alemã que conta com um quarteto forte, Mustafi, Mertesacker, Hummels/Boateng e Howedes, encontra-se um gigante, um guarda-redes que muitos já consideram ser um dos melhores do mundo e que o tem provado mais do que nunca neste Mundial dos guarda redes. Estamos a falar do inevitável Manuel Neuer, imperial quer no Bayern quer na selecção alemã. Ainda no último jogo com a França, a poucos minutos do fim, Neuer no seu estilo impenetrável defendeu uma bola de Benzema que levava selo de golo, levando assim a Alemanha para estas meias finais. 

A solidez defensiva dos germânicos tem valido muitas bolas ao meio campo que depois tratam da melhor maneira a posse de bola, com Lahm, Kroos, Khedira, Ozil, entre outros com que Low tem variado. 

Duelos para tomar atenção: David Luiz - Hummels 

No útlimo jogo de ambas as selecções, nos quartos de final, coube a dois centrais, um de cada lado, resolverem o jogo. Do lado brasileiro surgiu David Luiz, o mais recente reforço do PSG, que depois de várias intercepções fundamentais ao longo do jogo marcou um golo do outro mundo que colocou o marcador em 2-0 para o Brasil. Cobrou um livre ainda longe da baliza de Ospina de forma exemplar. Para além deste grande golo que resolveu o jogo, David Luiz, foi mais uma vez fulcral e imperial no jogo áereo e no 1 para 1 com jogadores como Teo Gutierrez e James Rodriguez. 

Do outro lado temos Matts Hummels, jogador do Borussia Dortumund que tem apresentado vários problemas físicos mas quando entra em campo apresenta sempre níveis exibicionais elevadíssimos. Foi ele quem marcou o golo da vitória frente à França numa das suas entradas de cabeça num canto, tal como aconteceu contra Portugal. Hummels vai agora defrontar jogadores como Óscar, Hulk e William que têm na sua velocidade a sua maior arma. Para os defender bem, Hummels usará por certo a sua capacidade de reacção e posteriormente a facilidade de sair com a bola em posse. 

Duelos para tomar atenção: Fernandinho - Schweinsteiger

O duelo de meio campo vai-se revelar intenso neste jogo, visto que muito do jogo de ambas as selecções passa pela qualidade de recuperação de bola por parte do meio campo. Salientamos então dois jogadores que começaram o Mundial no banco mas que têm ganho de novo preponderância quer numa quer noutra selecção. 

Fernandinho começou o Mundial no banco, sendo os titulares Luiz Gustavo e Paulinho. Contudo o médio do Manchester City tem ganho a confiança de Scolari. A velocidade de recuperação de bola que entrega à selecção é notória. Não dá uma única bola como perdida e parte muito bem para o ataque sempre muito criterioso nas decisões que toma. 

Bastian Schweinsteiger na Alemanha começou também no banco devido a problemas físicos mas progressivamente tem voltado ao onze. O "Kaiser" entrega agressividade a um meio campo que prefere os chamados "pés de lã" ou seja jogadores que privilegiam o passe e o futebol bonito. Schweinsteiger apesar de ter um toque de bola formidável prefere pisar terrenos onde sabe que a sua potência ganhará muitos lances. A sua especialidade de aparecer na área para finalizar ou mesmo o remate de longe também podem valer a passagem para a final da Alemanha. 

 

VAVEL Logo
CHAT