Rosberg alcança a pole para o GP da Hungria

Rosberg alcança a pole para o GP da Hungria

Nico Rosberg alcançou a sua sexta pole position da temporada, numa sessão novamente falhada para Lewis Hamilton, devido a problemas de fiabilidade no seu Mercedes. Conseguirá o inglês recuperar uma vez mais, numa corrida de trás para a frente, como no GP da Alemanha?

hugopalmeida
Hugo Picado de Almeida

Nico Rosberg (Mercedes) conquiestou a sua sexta pole position da temporada, num total de 11 possíveis. O actual líder do campeonato parte assim em clara vantagem no GP da Hungria, já que o seu companheiro e principal perseguidor na corrida pelo título voltou a ter problemas no seu monolugar. O Mercedes de Lewis Hamilton pegou fogo e atirou o inglês para a 20ª posição na grelha.

Räikkönen e Hamilton traídos na Q1

O Mercedes de Hamilton incendiou-se logo na primeira volta (Foto: Valdrin Xhemaj/EPA).

Lewis Hamilton voltou a ser traído pelo seu monolugar. Depois de mais de um terço do campeonato a dominar toca e cada corrida, os Mercedes começaram a apresentar problemas de fiabilidade, e o inglês voltou a ser forçado a abandonar precocemente a Qualificação -- o que já havia acontecido no GP da Alemanha. Estava Hamilton ainda na sua volta de aquecimento quando a Flecha de Prata se transformou em Flecha de Fogo após uma fuga de óleo ter espoletado um incêndio à entrada das boxes.

O inglês largará da 20ª posição, beneficiando do azar de Pastor Maldonado, cujo Lotus parou logo na primeira volta, e da penalização imposta a Magnussen, que será o último da grelha, já que a McLaren necessitou de mudar o seu chassis e caixa-de-velocidades devido ao acidente na Q3.

Kimi Räikkönen foi a segunda baixa inesperada da Q1. A Ferrari ajuizou mal sobre o tempo do finlandês (1:26,792), numa altura em que o líder era Nico Rosberg, com 1:25,353. Kimi Räikkönen recolheu à box e, mesmo tendo caído para 16º, a Ferrari optou por não o fazer reentar em pista. O tempo esvaía-se no cronómetro e, já na sua última hipótese, com o relógio da sessão no zero, Jules Bianchi levou o seu Marussia para o 16º posto, com 1:26,76, atirando o homem da Ferrari para os seis excluídos da Q1.

Q2 mais rápida e problemas para Kvyat e Perez

Os Force India foram os primeiros a sair para a Q2, rodando no segundo 25, e a partir de então os tempos começaram a descer e os pilotos a aproximar-se dos seus ritmos de ataque à pole. Kvyat baixou para o segundo 24 alto, e os Williams melhoraram: Bottas ficou na fronteira do segundo 24, com 1:24,001. Nico Rosberg comandaria novamente o pelotão, com um assertivo 1:23,310.

Depois da primeira ronda de ataques, seguiu-se um período de pista calma, e só nos três miutos finais a acção regressou ao asfalto do Hungaroring. Sergio Perez foi o primeiro homem a perder a esperança de passar à Q3, devido a problemas hidráulios no seu Force India, e já em cima do fecho da sessão foi Kvyat a abandonar a Qualificação, depois de despiste na curva 12.

Q3 chuvosa e acidentada, e no fim ganha Rosberg

Passavam, assim, para a Q3, Rosberg (Mercedes), os Red Bull de Vettel e Ricciardo, os McLaren de Magnussen e Button, os Williams de Bottas e Massa, Alonso (Ferrari), Vergne (Toro Rosso) e Hulkenberg (Force India).

Ao semáforo verde, saíram para a pista todos os monolugares e também a chuva. Logo na primeira curva da sua primeira volta, Rosberg saiu largo. Kevin Magnussen também teve problemas e embateu forte nas barreiras de protecção da mesma curva 1, levando ao surgimento de bandeiras vermelhas. 

O McLaren acidentado de Magnussen (Foto: AP).

Depois da pausa, a chuva acalmou. Rosberg marcava 1:26,428 na primeira volta lançada, para ser prontamente batido por Riccardo e Bottas, a rodar novamente no segundo 24, com vantagem para o finlandês da Williams, que se colocava em primeiro. Alonso mostrava-se rápido, e conseguiria ficar a escassos seis centésimos de Bottas, numa altura em que Button era terceiro. Com o aproximar da bandeira axadrezada, Rosberg baixaria para o segundo 23, com Ricciardo e Vettel a lutarem pelo segundo lugar. O tetracampeão levaria vantagem sobre o australiano, colocando-se a menos de dois décimos de segundo de Rosberg. Em cima do final da sessão, Vettel bateria o tempo de Rosberg, com 1:23,301, mas o alemão da Mercedes não deixava margens para dúvida: enquanto a bandeira axadrezada voava para marcar o final da sessão, Rosberg lia no cronómetro 1:22,715. O único piloto a rodar no segundo 22 garantia assim a sua sexta pole position em 2014, lugar confortável para procurar amealhar mais pontos e cimentar a sua liderança do campeonato. 

Grelha de partida para o GP da Hungria 2014

1 Rosberg Mercedes
2 Vettel Red Bull
3 Bottas Williams
4 Ricciardo Red Bull
5 Alonso Ferrari
6 Massa Williams
7 Button McLaren
8 Vergne Toro Rosso
9 Hulkenberg Force India
10 Kvyat Toro Rosso
11 Sutil Sauber
12 Perez Force India
13 Gutierrez Sauber
14 Grosjean Lotus
15 Bianchi Marussia
16 Räikkönen Ferrari
17 Kobayashi Caterham
18 Chilton Marussia
19 Ericsson Caterham
20 Maldonado Lotus
* Hamilton Mercedes
* Magnussen McLaren

*Hamilton e Magnussen arrancarão das boxes.

[Nota: hoje não acompanharemos o GP da Hungria aqui no VAVEL Portugal. Pedimos aos nossos leitores desculpa pelo incómodo e retomaremos as transmissões já no próximo GP. Obrigado pela vossa preferência.]

VAVEL Logo
CHAT