GP da Hungria: Análise às equipas
O "Sr Sorrisos" voltou a subir ao primeiro degrau do pódio (imagem: Red Bull)

Mais uma corrida espectacular. Cheia de surpresas e de acção até ao final. E pela segunda vez esta época não foi um Mercedes a vencer. A hegemonia prateada foi quebrada pela força de um sorriso australiano que teima em mostrar-se com cada vez mais frequência. Do lado da Mercedes as coisas começam a ficar complicadas ( era uma questão de tempos). Mas o certo é que no final quem ganhou fomos nós, os fãs. Que grande espectáculo!


Red Bull

Segunda vitória para a equipa e segunda vitória para Ricciardo. Que ano fantástico está a ter o australiano. Chega, suplanta o tetracampão do mundo e é o único a conseguir intrometer-se na sequência de vitórias dos Flechas de Prata. Ricciardo foi brilhante. Estratégia bem pensada e concretizada, ritmo adequado, atacando quando devia, e mais uma prova da qualidade de Ricciardo. As últimas 5 voltas são fenomenais. Já Vettel ficou outra vez para segundo plano. Largou de 2º mas não conseguiu capitalizar essa posição. A corrida foi louca e o pião que fez quando era seguido por Hamilon não ajudou, mas nota-se que quando não parte da pole Vettel deixa de dar nas vistas. Pode ser que esta pausa lhe faça bem, pois precisa de melhorar a sua prestação.



Ferrari

Este Alonso não existe. O que ele consegue fazer com o Ferrari devia ser alvo de estudo. Como é possível o espanhol tirar tanto de um carro que não é dos melhores? A forma como se aguentou com pneus mais que gastos no final é incrível. Os adjectivos começam a escassear para tanta qualidade. E Kimi Raikkonen finalmente deu um ar da sua graça. 6º lugar no final e uma corrida não tão vistosa como a do seu companheiro de equipa mas ainda assim positiva.

Mercedes

O caldo entornado. Rosberg aziado no final da corrida porque Hamilton não o deixou passar, Hamilton aziado porque a equipa mostrou de que lado está, Wolf preocupado com os pilotos e com a fiabilidade do carro. Esta pausa vem numa óptima altura para a equipa repensar e acalmar. Hamilton fez uma corrida fantástica. Teve a sorte que lhe faltou na qualificação. Os Safety Car ajudaram bastante é certo, mas não se pode tirar o mérito a quem subiu até ao pódio, tendo largado da pit lane. Ignorou as ordens de equipa ao não deixar passar Rosberg, que também não tentou ultrapassar de forma clara o britânico. Rosberg estava no sitio errado à hora errada na entrada do Safety Car e pagou caro por isso. As ultimas 13 voltas foram excelentes por parte do alemão mas mais uma vez não conseguiu passar por Hamilton. A tensão entre ambos irá aumentar por certo mas a equipa terá de definir ou escolhe um nº1 ou deixa lutar os pilotos. A ordem de equipa veio desestabilizar o ambiente e deitar por terra a ideia de que a Mercedes deixa os seus pilotos lutar à vontade.

Williams

Depois de 3 brilharetes seguidos, foi um fim de semana discreto por parte da Williams. Massa conseguiu um bom 5º lugar e considerando que a equipa disse que neste fim de semana foram o 4º carro mais rápido não ficaram longe de posição. Já Bottas em 8º ficou aquém do que se esperava. Depois do 3º lugar na qualificação esperava-se um pouco mais do finlandês.

Toro Rosso

Vergne mostrou mais uma vez o seu gosto pela chuva e pelas condições difíceis. O francês gosta desse tipo de condicionantes e consegue sempre bons resultados. O 9º lugar é um bom prémio para um piloto que está sob pressão e que agora começa a responder ao seu colega de equipa. Kvyat em 14º confirmou o fim de semana complicado pra si, ele que começa agora a baixar um pouco de forma. Outro para quem as férias vêm mesmo a calhjar.

McLaren

Tiveram o pássaro na mão mas deixaram no escapar. A meteorologia mostrava chuva no radar mas ela não apareceu. E Button que estava em excelente posição, tal como Ricciardo, foi enganado pela equipa. Escolheram intermédio quando deveriam ter escolhido pneus de piso seco e o britânico pagou por isso. Era uma decisão 50/50 mas mais uma vez a equipa escolheu mal. Button foi obrigado a vir de novo trocar de borrachas e caiu para o 18º. O 10º acaba por ser um mal menor. Magnussen em 12º não se encontrou este fim de semana. 12º e muito pouco para quem pode fazer mais.

Sauber

Quase a entrar nos pontos pela primeira vez, Sutil fez o que pôde. Ainda assim mais uma vez não foi o suficiente. Já Gutierrez foi obrigado a desistir mais uma vez, algo que começa a ser infelizmente demasiado frequente. A Sauber no ano passado lucrou muito com a paragem de verão. Veremos se acontece o mesmo. Mas ainda assim ficam apontamentos mais positivos por parte da equipa de Peter Sauber.

Lotus

Grosjean ficou irritadíssimo com mais este abandono. Desta vez por culpa própria, uma vez que perdeu o controlo do carro sob Safety Car, o que pode parecer ridículo mas estes carros são muito difíceis de conduzir a baixas velocidades e com pista húmida. Ainda assim mais um abandono por parte do francês que continua sem possibilidade de mostrar a qualidade que evidenciou no ano passado. Já Maldonado voltou a ter mais uns piões e toques, algo que já andávamos a estranhar. O Venezuelano acabou em 13º e pouco mais fez que complicar.

Force India

Depois de 10 corridas sempre a pontuar, a equipa sofreu um duplo abandono. Hulkenberg foi demasiado ingénuo e chocou contra Perez ( um erro pouco habitual) e Perez Perdeu o controlo do carro na saída da ultima curva chocando violentamente contra o muro. Um fim de semana péssimo para quem nos habituou a estar sempre nos pontos.

Marussia/Caterham

Bianchi mais uma vez na frente deste grupo. O francês continua a mostrar qualidade para o lugar na Ferrari e depois de um inicio titubeante, voltou a forma que lhe é reconhecida. Chilton voltou a ocupar o ulitmo lugar, uma vez que Ericsson desistiu por ter saído de pista, de forma aparatosa e Kobayashi com problemas no carro também teve de abandonar. Mais um fim de semana negro para a Caterham.

Nºs do GP da Hungria

2ª vitória para Ricciardo

Hamilton é o britânico com mais pódios

50º pódio para a Mercedes

100º GP para a Mercedes

VAVEL Logo