Cada grande tem sua promessa nacional

Cada grande tem sua promessa nacional

O futuro parece ser no mínimo risonho para João Teixeira, Rúben Neves e João Mário, as promessas que mais se têm evidenciado em Benfica, FC Porto e Sporting.

rafaelreis
Rafael Reis

No decorrer de um período de defeso no qual o ritmo é marcado pelas muitas entradas e saídas em todos os plantéis, em especial nos de maior dimensão, é curioso verificar que têm sido os jovens formados nas Academias dos mesmos aqueles que têm vindo a dar que falar, encontrando-se mesmo muito bem colocados junto da opinião pública três talentos que têm vindo a evidenciar-se ao serviço de Benfica, FC Porto e Sporting.

No Benfica, os focos centram-se em João Teixeira, que revela muitos e bons pormenores e acima de tudo uma mentalidade que o capacita para palcos importantes sem que exista o perigo de hesitar ou acusar a importância do momento. 

João Teixeira e Rúben Neves revelam ser mais-valias claras para o futuro

De qualquer forma, a sua evolução aconselha o lançamento em ocasiões não tão fulcrais ou até a colocação num emblema de primeiro escalão no qual possa tornar-se titular indiscutível para evitar uma temporada de retrocesso e que a médio prazo possa agarrar um lugar de forma definitiva como uma verdadeira primeira escolha ao nível de um campeão nacional, uma previsão que parece perfeitamente ao alcance do seu talento – estará aqui um 8 de muito futuro.

Para já não é conhecido ainda o destino do médio, que poderá retornar ao Benfica B. Já no Dragão poderão ser outros os planos para Rúben Neves, muito jovem e que deverá alternar as presenças na primeira equipa com o FC Porto B e até os Juniores nas partidas de maior exigência por se tratar de um jogador ainda sub-18, mas parece capacitado para responder com alta eficácia sempre que necessário.

João Mário parece preparado para fazer parte da renovação de Portugal – assim queira Paulo Bento

Trata-se de um ‘trinco’ com ‘chancela’ FCP e qualidade para se tornar referência internacional na sua posição, da mesma forma que sucede em Alvalade com João Mário, dos três o mais experimentado no futebol de ‘primeira água’ e que será a breve trecho uma das referências da nova Selecção Nacional na companhia de promessas como o companheiro Carlos Mané e outros valores como Bruma, Ivan Cavaleiro e André Gomes, entre outros, assim Paulo Bento revele essa coragem e disponibilidade.

A qualidade, essa, é inegável, e capacidade para lá chegar também, ou não fosse neste momento provavelmente o 12º jogador da equipa do Sporting pela forma como parece ‘bater à porta’ do onze verde-e-branco ao qual apenas ainda não terá chegado em virtude do excelente momento de forma de André Martins, que até ver o obriga a esperar por uma oportunidade que não tardará a chegar.

VAVEL Logo
CHAT