Force India:  uma equipa em ascensão
Nico Hulkenberg e Sergio Perez em disputa lado a lado durante o Grande Prémio do Bahrain. (Fonte: Formula1 )

Force India:  uma equipa em ascensão

Mesmo com as dificuldades financeiras pelas quais a Force India tem passado, o seu desempenho ao longo desta metade de campeonato tem sido uma enorme surpresa, não só para o público, mas também, para as grandes equipas. Contando já com um pódio nesta época, a equipa indiana, encontra-se no quinto lugar da classificação e promete continuar a surpreender com a sua qualidade e regularidade.

eliapaulo
Élia Paulo

Apesar de todas as dificuldades, a equipa Force India tem mostrado de que com pouco também se pode fazer muito, e pouco a pouco, tem vindo a conquistar o seu lugar no campeonato de F1. Até ao momento, esta tem sido a melhor época da equipa, desde tempos bem longínquos, em que esta se dava pelo nome de Jordan. Desde o Grande Prémio da Bélgica de 2009, que a equipa não conseguia atingir o tão ansiado pódio. Contudo, foi já na terceira prova desta época, no Grande Prémio do Bahrain, que o piloto Sergio Perez conseguiu quebrar o jejum prolongado da equipa, conquistando a terceira posição, após uma exibição exímia.  

Apostas bem sucedidas

A equipa fez duas escolhas muito importantes que vieram ditar em parte o seu sucesso ao longo desta época. A primeira foi a escolha do motor Mercedes, que se tem demonstrado o melhor e mais bem sucedido. A segunda escolha recai sobre a dupla de pilotos escolhida para este ano, Nico Hulkenberg e Sergio Perez. Os dois pilotos são bastante jovens e com um curto historial de F1, mas ambos têm vindo a provar que, de facto, talento não lhes falta. Era uma das duplas de pilotos mais aguardadas de 2014, e várias foram as ocasiões em que se debateram lado a lado com pilotos mais experientes e em equipas mais competitivas, conseguindo levar a melhor. Os dois pilotos já disputaram posições, lado a lado, em algumas corridas, proporcionando um ótimo espetáculo, como aconteceu no GP do Bahrain.

Apresentação do VJM07 nos primeiros testes oficiais da época, em Jerez. (Fonte: Forceindiaf1)

Nico Hulkenberg, um dos mais consistentes

Nico Hulkenberg (Fonte: Forceindiaf1)

A Alemanha tem-se mostrado um país de excelentes pilotos, Nico Hulkenberg, tem demonstrado que não quer ser a exceção. Aos 26 anos, o piloto da Force India revela maturidade e consistência tanto dentro, como fora de pista. Este piloto foi um dos mais cobiçados na época passada, chegando a estar na mira da Ferrari e da Lotus, devido ao seu desempenho fantástico na equipa Sauber. O piloto alemão, raramente se envolve em acidentes, sendo conhecido pela sua regularidade, tendo pontuado em dez das onze corridas. Não pontuou no Grande Prémio da Hungria, em que inexplicavelmente colidiu com o VJM07 do seu companheiro de equipa. O seu desempenho nas qualificações tem sido superior ao do seu companheiro de equipa e a chave para tal parece ser a velocidade, consistência e frieza com que este lida com a pressão do momento, contando já com mais do dobro dos pontos comparativamente ao mexicano.

Atualmente, Nico Hulkenberg encontra-se no sétimo lugar da classificação de pilotos, com 69 pontos, na frente de vários pilotos já campeões. A melhor posição em que terminou foi o quinto lugar, que obteve em quatro dos onze Grande Prémios disputados (na Malásia, no Bahrain, no Mónaco e no Canadá).

Sergio Perez e a sua garra latina

Sergio Perez (Fonte: Forceindiaf1)

Sergio Perez foi dispensado pela McLaren no final da época passada e chegou à Force India disposto a provar que merece a oportunidade de ingressar numa equipa mais competitiva.  O seu melhor resultado foi a presença no pódio, após terminar na terceira posição, alcançada no Grande Prémio do Bahrain. O piloto mexicano já havia provado que se tratava de um piloto talentoso e com gana de provar o seu talento, contudo, carece de alguma maturidade e ponderação em determinadas situações, como aconteceu no GP do Canadá quando deitou tudo a perder numa colisão com Felipe Massa, devido à qual se retirou quando se encontrava na quarta posição. As equipas pelas quais já passou na F1 já revelaram que o piloto pecava pela sua falta de envolvência no desenvolvimento do carro e também, pela má relação que estabelecia com os funcionários. O piloto de 24 anos, precisa de adquirir maturidade e aprender que o talento por si só não conduz ao sucesso, nem a uma equipa mais competitiva que lho possa trazer.

Atualmente, encontra-se no décimo primeiro lugar da classificação, com 29 pontos. A sua melhor posição foi um terceiro lugar, no Grande Prémio do Bahrain, contudo, até ao momento conta com três abandonos devido a colisões e problemas mecânicos. Espera-se que Sergio Perez tente melhorar o seu desempenho nas qualificações, contudo, não será expectável que este melhore as suas abordagens à competição.

Perspetivas futuras da equipa
 

Chegada à meta de Sergio Perez, na terceira posição, durante o Grande Prémio Bahrain. ( Fonte: Forceindiaf1)

Atualmente, a Force India conta com 98 pontos e encontra-se no quinto lugar da classificação de equipas,  logo atrás de equipas mais competitivas e, também, da Williams, que resolveu apostar também no motor Mercedes. Esta é depois seguida na classificação pela McLaren, da qual tem vantagem apenas de um ponto.

O último Grande Prémio disputado, GP da Hungria, que se revelava promissor, foi o pior da equipa, pois viu os seus dois pilotos abandonarem a corrida. Apesar disso e das suas fracas posses financeiras, a equipa tem vindo a fazer algumas melhorias no monolugar, principalmente, durante os Grandes Prémios da Grã-Bretanha e da Áustria, e tem previstas mais algumas alterações para a segunda parte da época, que podem melhorar ainda mais a sua performance. Contudo, as limitações experimentais que a equipa enfrenta são uma dificuldade permanente no teste a novas modificações, devido aos seus fracos recursos. Este ponto, deixa a equipa indiana em desvantagem para com as equipas ditas “grandes” que disputam o campeonato, pois estas podem testar e melhorar mais facilmente os seus monolugares devido ao elevado financiamento que possuem.

Outra questão importante, é que a equipa tem tido melhores resultados nas corridas comparativamente às suas qualificações. Tal facto deve-se à necessidade desta ter de optar  por uma melhor qualificação ou por uma melhor corrida, mais uma vez, devido à escassez de recursos. O critério que tem vindo a ser considerado na escolha é a facilidade de ultrapassagem no Grande Prémio em disputa, e este deverá ser mantido ao longo da segunda metade do campeonato.

Todas estas dificuldades e limitações não parecem desmotivar a Force India, nem mesmo os pilotos, que têm procurado dar o seu melhor em busca do sucesso da equipa. Por vezes, a falta de recursos e infraestruturas, serve de motivação extra à equipa, como se tem vindo a comprovar acontecer desde o início do campeonato.

Em oito Grandes Prémios que faltam para terminar o campeonato, nada está garantido, e os principais objetivos da Force India devem passar por manter a coerência e consistência de Nico Hulkenberg e alargá-la também ao piloto mexicano, Sergio Perez. O intuito será manter, pelo menos, a posição atual em que se encontra na classificação de equipas e permitir um bom lugar aos seus pilotos na classificação geral.

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo
CHAT