Benfica mede forças com Paços de Ferreira
Seri e Amorim deverão travar uma batalha intensa no meio-campo. (Fonte: Lusa)

Benfica mede forças com Paços de Ferreira

O campeão inicia a defesa do título em casa, diante do Paços de Ferreira. Depois de uma pré-época aquém das expectativas, Encarnados apresentam-se com um plantel com muitas indefinições diante dum Paços revigorado.

francisco-fontes
Francisco Fontes

O Benfica recebe dia 17 de Agosto o Paços de Ferreira no Estádio da Luz. O encontro marcado para as 19h15 será o primeiro dos Campeões para a Liga Zon Sagres. O Benfica tentará quebrar um jejum que dura há 9 anos. As «Águias»  não vencem um jogo de abertura do campeonato desde a longíqua época de 2004/2005, em que os Encarnados bateram o Beira-Mar por 3-2. Desse elenco, sobra o agora capitão Luisão.

Já o Paços de Ferreira, que conseguiu garantir a permanência no playoff frente ao Desportivo das Aves, aposta numa época bem mais tranquila. No banco estará Paulo Fonseca, treinador que passou pelo FC Porto em 2013/2014 mas que volta ao clube da Mata-Real, onde protagonizou sensacional época em 2012/2013 (3º lugar).

Jorge Jesus procura iniciar a defesa do título com 3 pontos

Depois de uma pré-época manifestamente fraca, em que os resultados foram bastante decepcionantes, o Benfica inicia a defesa do título. As Águias, que se apresentaram em muito bom plano no seu primeiro compromisso oficial da temporada, frente ao Rio Ave, tentarão dar seguimento ao bom jogo frente à turma de Vila do Conde e sair da primeira jornada com 3 pontos. Jesus garante que a equipa está preparada: «Acreditamos que no Domingo no jogo com o Paços vamos jogar a um nível tão bom como fizemos com o Rio Ave».

Questionado sobre a dificuldade em triunfar na ronda inaugural da Liga (Jesus nunca conseguiu vencer na primeira ronda), o treinador do Benfica afirmou que «algum dia esse recorde negativo irá ser batido», esperando mesmo que isso aconteça diante do Paços.

Jesus acredita que é desta que quebra o enguiço da primeira jornada. (Fonte: Lusa)

Quanto à equipa que o Benfica irá apresentar, acreditamos que não se irá afastar daquela que foi titular para o jogo da Supertaça, no passado Domingo. Jesus deverá voltar a entregar a titularidade da baliza a Artur Moraes e o quarteto defensivo deverá ser formado por Maxi, Luisão, Jardel e Benito. Apesar dos rumores de contactos por parte da Juventos para assegurar Luisão, a verdade é que o central continua de águia ao peito e irá, ao que tudo indica, capitanear, uma vez mais, o Benfica. No meio campo, as tarefas mais defensivas e a primeira saída de bola em posse da defesa deverão estar a cargo de Ruben Amorim. O internacional português, dada a falta de um reforço categórica para a posição de número 6, deverá continuar a assumir as despesas durante este arranque de época.

Um pouco mais à frente no "miolo" deverá estar Enzo Pérez. O argentino é o motor da equipa e viu-se frente ao Rio Ave a diferença que ele faz em campo. Enzo traz intensidade ao meio campo Encarnado, tanto no processo ofensivo, como defensivo e é ele quem liga o meio campo do Benfica ao sector atacante. Nota igualmente para os rumores que indicam que este poderá ser o último jogo do astro Argentino com a camisola do Benfica, dada a iminência de uma transferência para o Valencia.

Nas alas da equipa encarnada deverão estar outros dois compatriotas de Enzo, Salvio e Gaitán. Em Nico Gaitán, que pode estar de saída, o Benfica tem a magia, a imprevisibilidade e a criatividade necessárias para desiquilibrar uma partida enquanto que em "Toto" o Benfica tem um extremo puro, desconcertante no drible curto e que ganha a linha com facilidade para cruzar com perigo.

O trio formado por Enzo-Salvio-Gaitan é virtuoso e fundamental para as aspirações do Benfica em revalidar o título de campeão nacional. Finalmente, no sector mais avançado do campo, deveremos ter Anderson Talisca e Lima. Pelo que foi visto na Supertaça, Jesus parece ter desistido da ideia de querer fazer do ex-Bahia um clone de Enzo e pensa-se que poderá apostar no internacional Sub-20 Brasileiro para ocupar a posição atrás de Lima. Vai ser muito frequente ver o jovem a aparecer em zonas de finalização ou a tentar servir Lima com um último passe. Quanto ao veterano Lima, será ele o encarregado de bater o guardião do Paços. O jogador de 31 anos é fundamental para a manobra ofensiva do Benfica não só pelo seu faro goleador mas também pelo incansável trabalho de equipa que Jesus tanto presa.

Para este confronto, espera-se um Benfica muito agressivo, a entrar bastante pressionante e a tentar marcar um golo cedo, de forma a poder depois gerir melhor a posse de bola e deixar o adversário subir as suas linhas para tentar ampliar a vantagem num mortífero contra-ataque. No entanto, não será tarefa fácil perante um Paços de Ferreira renovado.

Paulo Fonseca regressa à casa onde foi feliz

Paulo Fonseca voltará a sentar-se amanhã no banco do Paços de Ferreira, em jogos a contar para a Liga. Depois de uma época 12/13 fantástica, em que conduziu o Paços ao terceiro lugar, o jovem treinador foi dirigir o FC Porto mas acabou por ser vítima dos maus resultados. Em 2014/2015, regressa à Mata Real onde tentará dar aos adeptos Pacenses uma época bem mais tranquila.

Em antevisão à partida, o treinador Pacense mostrou-se confiante e desvaloriza a má pré temporada do Campeão. «Estamos preparados e confiantes mas sabemos que vamos defrontar um adversário muito forte, uma grande equipa». Quando questionado sobre a postura com que se iria apresentar em campo, Fonseca foi claro ao afirmar que não ia «estacionar o autocarro» e procurou uma metáfora que fosse ilustar a atitude Pacense em campo: «Gostávamos de ser comparados a uma limusine, pequenina, mas que ocupe o campo todo». Isto indica que o Paços procurará, com as devidas cautelas, incomodar o Benfica sempre que for possível, à semelhança daquilo que fez em 2012/2013, quando Fonseca era o treinador.

Embora o plantel dos Pacenses tenha vários jogadores lesiondos que não poderão dar o contributo, entre os quais o centro-campista Romeu, Fonseca acredita que vai apresentar-se na Luz com "um onze capaz de discutir o jogo".

Paulo Fonseca está de regresso à Mata Real. (Fonte: Reuters)

No onze de Paulo Fonseca, Defendi deverá ocupar a baliza. As laterias serão ocupadas por Hélder Lopes e Jaílson, dois laterais que defensivamente não são muito fortes e cujas lacunas ficarão mais expostas ao enfrentarem jogadores de classe mundial como Gaitán ou Salvio.

O centro da defesa será ocupado por Ricardo e Boaventura. Os português e o brasileiro são dois sinais mais na equipa Pacense e uma ameaça constante no jogo aéreo, tanto a nível defensivo como a nível ofensivo. No meio campo estará o experiente Filipe Anunciação e o todo-o-terreno Seri. O jogador resgatado na época passada ao Porto B é um verdadeiro "Box-To-Box" e uma das revelações individuais da última temporada. Muito forte físicamente, com uma grande disponibilidade para o momento defensivo, o Costa-Marfinense impressiona também pela sua facilidade de sair de situações complicadas com a bola em posse. Será um dos nomes a ter em atenção esta temporada.

Nas alas da equipa da Capital do Móvel estará o experiente Manuel José e o Peruano Hurtado, que regressa após empréstimo ao Penarol do Uruguai. A qualidade nas alas Pacense é garantida e restará saber se os dois jogadores serão devidamente apoiados de forma a conseguirem causar desiqulíbrios e dificuldades à equipa da Luz. A batuta do meio campo estará entregue ao criativo Sérgio Oliveira. Apesar da péssima temporada do Paços, Oliveira foi um dos nomes em destaque e a sua poderosa meia-distância poderá ser uma ameaça para as redes que deverão ser defendidas por Artur. Na frente de ataque deverá estar Cícero. O avançado regressa do seu empréstimo ao Astana do Cazaquistão e promete voltar a ser referência ofensiva do Paços. O jogador que teve a sua época mais goleadora sob o comando de Paulo Fonseca espera quebrar o recorde de 9 golos apontados em 2012/2013.

Sérgio Oliveira promete ameaçar com a sua meia-distância. (Fonte: AFP)

Antevemos um Paços de Ferreira atrevido mas com muitas cautelas na parte defensiva. Quando Paulo Fonseca comandava o Paços e quis jogar de igual para igual com o Benfica, com um plantel com mais qualidade que este, a equipa da Luz venceu por claros 2-0. Paulo Fonseca com certeza terá aprendido a lição e abordará o jogo de forma expectante, procurando explorar o erro adversário e o contra-ataque, mas sem nunca, como o próprio mencionou «estacionar o autocarro».

Onzes prováveis:

Caption
VAVEL Logo