Sauber: meia temporada para o desastre…
A época tem sido muito difícil para os dois pilotos da Sauber (foto: Sauber F1 Team)

Sauber: meia temporada para o desastre…

A Sauber vem desde alguns anos a perder fulgor e em meia temporada de 2014, nem um ponto para amostra. Os alarmes já começaram a tocar na sede da equipa suíça, há muito tempo.

pedro-mendes
Pedro Mendes

O ano de 2014 é com certeza o annus horribilis da Sauber. A Marussia conquistou pontos no Mónaco e a Sauber ainda não conhece o sabor deles. A luta directa é entre Sauber, Marussia e Caterham, impensável há uns tempos atrás.

As falhas no monolugar têm sido constantes e sabe-se que do C33, nem o motor Ferrari é bom. Em 11 corridas disputadas, apenas em quatro delas, os dois carros terminaram a corrida (Austrália, Espanha, Canadá e Áustria).  O mais perto que estiveram dos pontos, foi mesmo na primeira corrida da época, em Melbourne, onde Sutil terminou em 11º, e na Hungria, onde o mesmo piloto repetiu a posição.

Se analisarmos os dois pilotos da equipa, Adrian Sutil e Esteban Gutierrez, concluímos (e apenas pelos resultados obtidos), que Sutil é o melhor piloto da equipa, mas a experiência do alemão deveria valer muito mais que o actual 17º lugar.

Sutil: da Force India para a Sauber

O alemão de 31 anos é um piloto experiente, já com 7 épocas no curriculum, na maioria representando a Force India, nunca conseguiu melhor que 9º lugar no campeonato de pilotos, no ano de 2011 na equipa indiana. Este ano, para além do seu estatuto de piloto mediano, o carro piora a situação. O objectivo, tanto do piloto como da equipa, passa por conseguir pontuar em pelo menos uma corrida e ultrapassar a Marussia, que em princípio já fez o seu campeonato. Os 29 pontos conseguidos em 2013 pela Force India parecem uma miragem a Sutil. Se realmente a equipa conseguir melhorar o C33, ainda pode haver pequena hipótese do piloto garantir alguns pontos necessários, mais à equipa do que a ele próprio, já que a continuidade do alemão no Grande Circo, não está garantida.

Gutierrez não se consegue impor

Mais uma desistência para Gutierrez, desta vez por causa de Maldonado (foto: in SkySports.com)

O mexicano, na sua segunda época, continua sem conseguir impor-se no paddock. Muitas dúvidas se levantam quanto à sua competência para pilotar um F1. Se em 2013, ano de estreia, a temporada não foi fácil, já que Hulkenberg (colega de equipa em 2013) colocava a fasquia (principalmente para o final do ano) muito alta, em demasia para o rookie, este ano, Gutierrez deveria mostrar-se mais. A única vez em que se viu Gutierrez foi quando o C33 que pilotava, fez uma pirueta no Bahrain, depois de Maldonado ter batido no Sauber. Dos 9 abandonos que o mexicano conta, seis delas foram este ano, em apenas 11 corridas. Existe algo que o piloto possa fazer? Sinceramente, penso que não, já que a “culpa” tem sido quase sempre do carro, mas pedia-se mais a Gutierrez. Em qualificação, o melhor lugar que conseguiu foi o 12º posto na Malásia, de resto tem ficado quase sempre pela Q1. Em corrida, o melhor que fez, foi também um 12º lugar.

Possíveis melhoras

Tem-se falado em algumas melhoras na Sauber para o que resta da época, mas mesmo que ainda consigam ultrapassar a Marussia, o ano está perdido e o melhor que Monisha Kaltenborn tem a fazer, é preparar 2015 e se possivel (já que o dinheiro não parece abundar na Sauber) contratar dois pilotos. 

2014 está a ser uma das piores épocas dos suíços e Peter Sauber vai ter de ajustar a equipa técnica, já que o C33, é realmente muito mau.

VAVEL Logo
CHAT