Enquanto Ricciardo festeja, a Mercedes entra em convulsão

Enquanto Ricciardo festeja, a Mercedes entra em convulsão

Um fim de semana em cheio num dos melhores circuitos do Mundo. Ricciardo disse que liderar tantas voltas a corrida foi diferente; Rosberg culpou os fãs britânicos pelo apupos de que foi vitima. A Fórmula 1 está ao rubro!

pedro-mendes
Pedro Mendes

Daniel Ricciardo venceu a sua terceira corrida da época, a segunda consecutiva. A corrida em Spa daria boas perspectivas à Williams, por ser um circuito rápido, que beneficia o tipo de chassis da equipa de Sir Frank Williams, mas foi Ricciardo que aproveitou a "guerra" entre Hamilton e Rosberg, para sorrir ainda mais,no topo do pódio.

Quem pôde assistir à corrida de ontem, não assistiu a uma brilhante corrida, ainda assim, esta esteve repleta de casos e estratégias de equipa muito boas.

Corrida muito inteligente de Ricciardo

Ricciardo liderou durante bastante tempo a corrida belga, algo que ninguém no line up actual, exceptuando os pilotos Mercedes, está habituado. Por isso mesmo o australiano afirmou que: «É um pouco diferente quando lideras a corrida por tanto tempo. Tem mais haver com a atitude e tentar que tudo se mantenha bem. Assim que o Nico entrou [para o pit stop] eu soube que ele seria rápido no fim, por isso tinha que manter o meu ritmo alto e ficar à frente dele». 

Ainda em declarações à BBC, o piloto da Red Bull, que não teve nenhum problema relevante durante a prova disse: «Quando se é lider, a primeira coisa que esperas é que tudo corra bem. Mecanicamente esperas que tudo chegue à linha de mete, mas quando estás na frente a bandeira de xadrez demora muito a chegar».

Felicidade no seio da Red-Bull (Foto:formula1.com)

Como sempre, o australiano agradeceu aos seus fãs, isto porque «estavam aqui quase tantas bandeiras australianas como em Melbourne, por isso muito obrigado.»

Acusações na Mercedes

Ainda os três primeiros classificados não tinham subido ao pódio e já Niki Lauda, o presidente não-executivo da Mercedes, dizia que «simplesmente é inaceitável que na segunda volta o Nico bata no Lewis, completamente inaceitável». O austríaco prometia que na reunião de equipa, se falaria do incidente entre os dois pilotos da equipa. Enquanto isso, Hamilton, que teve de desistir para poupar o motor, afirmava que os patrões é que teriam de tomar um posição, ele nem falaria com Rosberg.

O alemão viu-se no epicentro desta novela, por culpa própria, mas na entrevista pós grande prémio, justificou os apupos durante a cerimónia do pódio, por serem «fãs britânicos, por isso eu entendo, embora não me tivesse sentido bem, mas respeito a opinião deles». Quanto à corrida, Nico afirmou ter sido «um mau dia para a equipa», ainda sem se referir ao incidente com Hamilton. Questionado se iria pedir desculpas à equipa e confrontado com as palavras de Lauda e Toto Wolff, que tinha a mesma visão do austríaco, Rosberg apenas disse que «em primeiro lugar não sei o que eles disseram [...] e se peço desculpa ou não, ainda não vi as imagens, para tirar as ilações».

O alemão mostrou-se bastante nervoso e sem muita paciência para as perguntas dos jornalistas.

Hamilton em declarações após a corrida (Foto:formula1.com)

Depois da reunião, Hamilton, questionado pelos orgão de comunicação social, declarou: «falámos sobre esse assunto e ele [Rosberg] disse que fez de propósito. Disse que poderia ter evitado o toque, mas que não quis. Quis provar o ponto de vista dele». Toda a gente julgou que seria mais um ataque do britânico ao seu colega de equipa, mas a Mercedes veio a terraço para sustentar as palavras de Hamilton. Toto Wolff disse claramente que  Nico Rosberg bateu em Hamilton, para se afirmar junto do colega de equipa.

Muita tinta vai correr durante esta semana sobre este caso.

Bottas com mais um pódio e Kimi com o melhor resultado da época

Bottas mostrou-se contente com mais um pódio alcançado (Foto:formula1.com)

Valtteri Bottas (3º classificado) no final da corrida, era um piloto contente, afirmando que «a equipa tem vindo a fazer um bom trabalho e está no caminho certo». O finlandês espera alcançar o degrau mais alto do pódio e afirma que a equipa está no bom caminho esta época. «Penso que esta temporada seja dificil, porque a Mercedes está muito rápida e, em pistas como esta, também a Red Bull.»

O outro finlandês da F1, Kimi Raikkönen, da Ferrari, bateu o seu colega de equipa e alcançou a sua melhor marca este ano (4º posição), mas ainda assim saiu de Spa desapontado: «Teria sido melhor acabar mais acima por isso é desapontante. Eles queriam-me na frente para lutar pela vitória mas terminei em quarto. Tivemos uma boa velocidade na corrida mas começar atrás depois da qualificação, é dificil.»

A próxima corrida de Fórmula 1, está marcada para o circuito de Monza, nos dias 5, 6 e 7 de Setembro.

VAVEL Logo
CHAT