A caminho do Clássico: Que peso tem o mercado de transferências?

Se formos calcular todas as mexidas, desde entradas, regressos e saídas entre os 2 clubes que se encontrarão nesta 3ªjornada do campeonato, contabilizamos cerca de 40 mexidas. Claro que nem tudo são ausências de peso nem grandes contratações mas é importante analisar até que ponto este mercado de transferências mexeu de forma positiva ou negativa com Benfica e com Sporting.

Se é verdade que ambas as equipas compraram jogadores talentosos, também é verdade que muitos desses jogadores chegam aos respectivos clubes devido a saídas que deixam posições por colmatar nesses mesmas equipas.

Será Jorge Jesus capaz de formar uma equipa à imagem daquela que o Benfica teve o ano passado, mesmo com a saída de jogadores que eram pedras basilares da equipa encarnada na conquista do campeonato e na ida à final da Liga Europa em Turim? Ou por outro lado, terá o Sporting contratado jogadores capaz de corresponder às expectativas levantadas pelo presidente Bruno de Carvalho quando assumiu a candidatura ao título nacional?

Tudo questões que serão respondidas ao longo deste artigo e, principalmente, no Estádio da Luz, às 19:00 quando ambas as equipas se defrontarem.

As saídas, todas eles deixaram marcas profundas

O mercado de transferências não foi particularmente sorridente para as equipas que se defrontam domingo no Clássico, mas a verdade é que o Benfica tem muito mais razões de queixa nesta balança comparativa do que os rivais da 2ª Circular.

Analisemos a equipa que alinhou frente ao Sporting na época passada na Luz: Oblak, Maxi, Luisão, Garay, Siqueira, Fejsa, Enzo, Gaitán, Markovic, Rodrigo e Lima. Um por um quase todos os jogadores acabaram por sair. Primeiro Garay por uma quantia baixíssima de 6 milhões para o Zenit, adversário do Benfica na Liga dos Campeões.

Depois Siqueira, do qual já se esperava a saída devido à sua condição de emprestado, com destino ao Atlético de Madrid. Markovic ingressou na mais competitiva liga do Mundo, a Premier League, alinhando pelos reds de Liverpool. Até o guarda redes esloveno, Oblak, que só fez metade da época (mas fantástica) saiu para o Atlético de Madrid, segundo ele "porque todos estavam a sair".

Saídas e incertezas no plantel do Benfica para 2014/2015

Após a saída destes jogadores que eram pilares do Benfica, começou a atacar um "monstro" de dinheiro chamado Valência, com o seu novo dono, o multimilionário Peter Lin que tem como braço direito o melhor empresário do mundo, Jorge Mendes. Pois bem, a partir daí começou a debandada de jogadores para o Mestalla, juntamente com muitos rumores.

Desde Rodrigo, André Gomes até João Cancelo sairam para a equipa orientada pelo português Nuno Espírito Santo. Depois os rumores constantes de Enzo e Gaitán que ainda não se tem completa certeza que fiquem no plantel encarnado. Para finalizar, o artilheiro de serviço "Tacuara" Cardozo finalmente saiu para o Trabzonspor. Muitas dores de cabeça para Jorge Jesus que ameaçou sair se mais alguém abandonasse o plantel.

No Sporting o caso é bastante diferente. Completamente diferente do que aconteceu com a direcção Godinho Lopes, Bruno de Carvalho não liberta os seus jogadores por valores baixos. Veja-se pelo caso de Slimani, Capel e até de William Carvalho que ainda não saíram do clube apesar de todas as notícias que dão constantemente como certa a saída destes jogadores para outros clubes.

A única transferência de peso no universo leonino é a do central argentino Marcos Rojo que assinou por 20 milhões pelos red devils, Manchester United. De resto, foi uma "arrumação da casa" com a saída de jogadores dispensáveis como Magrão, Welder, Vitor, Ruben Semedo. De salientar a venda Dier que quis sair do clube de Alvalade para ingressar no Tottenham de Inglaterra, onde já marcou 2 golos.

Rojo com o seu novo treinador, Louis Van Gaal

A balança neste caso pende mais para o lado do Benfica devido a todas as saídas de peso que teve de efectuar

Muitas entradas que permitem sonhar com algo mais

Duas equipas que vão disputar muitas competições, incluíndo a Liga dos Campeões, têm inevitavelmente de se reforçar mas, neste caso, por motivos diferentes. O Benfica devido ao que está supra mencionado, as inúmeras saídas que tiveram de ser rapidamente colmatadas. O Sporting porque o ano passado tinha um plantel curto e pouco experiente e, se este ano vai competir em várias frentes tentando vencer algumas, como o presidente admitiu, teve necessariamente de ir buscar jogadores de qualidade.

O Benfica tem quase obrigatoriamente de realçar as últimas duas transferências: uma devido ao nome que é, Júlio César, ex-campeão da Europa pelo Inter, titular da seleção do Brasil, e outra devido aos valores envolvidos, quase 10 milhões de euros por Andreas Samaris. Júlio César, devido às últimas exibições de Artur, muito dificilmente assumirá a titularidade no clube da Luz.

Samaris, com todos os problemas de Fejsa, com a lesão prolongada de Amorim e com as dúvidas da saída de Enzo, poderá ser um peça chave do meio campo. Fora estas contratações, ainda temos o lateral esquerdo que Jorge Jesus pretendia, Eliseu, que é o patrão do lugar perante a concorrência do reforço Benito. Ainda Talisca que pode ser um caso de pérola por lapidar por Jorge Jesus. Quanto aos regressos, de salientar Ola John, Sidnei e Jara que poderão intrometer-se nas contas pelo onze inicial.

Samaris, o jogador mais caro desta época a chegar à Luz

Em Alvalade, a primazia pela juventude nas entradas é algo a ter em conta. Contudo esta juventude nem sempre é sinal positivo visto que jovem já era o plantel e, talvez, o mais necessário e urgente fosse experiência. Isso o Sporting só conseguiu com uma contratação, neste caso um empréstimo, um regresso a casa que pôs a massa associativa do Sporting em completo delírio, ou não tivessemos nós a falar de um menino formado em Alcochete, Nani. Considerado por muitos o 2º melhor jogador português da actualidade, voltou a Alvalade para revitalizar a sua carreira e assim será porque entrada directa no onze quer no campeonato quer na Champions tem garantido.

Um dos meninos de ouro de Alvalade de volta a casa, Nani

Antes da chegada de Nani ao Sporting, muitos tinham chegado. Naby Sarr, o central de 1.96 proveniente do Lyon é aquele que tem agarrado a titularidade deixada em branco por Rojo. A verdade é que o "menino" francês tem dado conta do recado tendo a sua prova de fogo frente ao Benfica. Rosell, Jonathan Silva, Tanaka e Slavchev são outras opções que podem saltar para o onze a qualquer momento, apresentando bons pormenores quando entraram em campo, principalmente Tanaka contra o Arouca.

Quanto aos regressos, João Mário parece ser perante Miguel Lopes e Tobias Figueiredo aquele que tem mais hipótese (e talento) para poder entrar no onze caso aconteça algo ou a Adrien ou a André Martins.

O equilíbrio na balança aqui é notório, sendo que o Benfica pode levar ligeira vantagem devido à experiência

VAVEL Logo