Benfica x Sporting: focos de interesse

Benfica x Sporting: focos de interesse

O eterno «derby» da capital está prestes a começar, águias e leões invadirão a Luz para colidirem durante 90 minutos. Em jogo está, não só o orgulho e a rivalidade, mas também a pretensão a um arranque de temporada mais forte que o rival.

vavel
VAVEL

Velho «derby» lisboeta, a mesma ambição e tensão, a mesma excitação mas diferentes contextos: a temporada volveu e surge no horizonte do Benfica campeão um Sporting de cara lavada, renovado na sua crença e novamente altivo perante as exigências da condição de 'ser grande'.

Os encarnados recebem hoje os «leões» com a responsabilidade de defender a reputação de campeões - já o Sporting, de volta à luta auto-proclamada pela liderança do futebol luso, tenta bater o rival na Luz, refrear o ímpeto vermelho e insuflar a motivação leonina.

Sporting: Nova dupla de centrais 

Na Luz, às 19:00 horas, o Sporting irá apresentar uma dupla de centrais nunca antes alinhada contra o Benfica: Maurício, que transita da época passada (sabe já o peso dos «derbies») e Naby Sarr, de 20 anos, que fará a sua estreia nestas árduas andanças. Com apenas dois jogos oficiais de gestação, esta dupla concedeu um golo mas mostrou ser propensa a alguns calafrios de entrosamento, nomeadamente na coordenação do jogo com os laterais.

William Carvalho continua a ser vital

O campeonato não começou da melhor forma para o trinco luso, que foi expulso na partida inaugural, diante da Académica. Apesar de ter colocado toda a estratégia em perigo, William é de longe a maior esperança leonina no combate pela posse de bola e pela supremacia no miolo: a sua capacidade de recuperar a bola e de a circular com critério, aliada a uma eficaz leitura táctica, fazem dele uma opção indispensável, a milhas do recém-chegado Rosell.

Adrien continua a ser o cérebro

Não existe, até mais aprofundada leitura (dada pelo progresso da época), outro jogador com as características de Adrien no plantel sportinguista. Procura constantemente a bola, não foge ao choque, pressiona e toma para si o papel de organizador de jogo, impulsionando as sinapses do ataque e pensando em como desenrolar a próxima transição ofensiva. Continua a ser o cérebro do 4-3-3 leonino, vestindo a responsabilidade de ser um 8 playmaker que joga a alta rotação no corredor central.

Nani acrescenta imprevisibilidade

O Sporting conta com Capel, Heldon e Carrillo mas, com a chegada de Nani, a formação de Alvalade ganha maior poder de ruptura, capacidade para ganhar mais duelos individuais em zonas críticas do terreno adversário: o talento de Nani, driblador nato e extremo velocista, será um novo trunfo na manobra de Marco Silva, que assim poderá contar com uma maior capacidade para furar as defesas subidas e destabilizar o sistema de marcações.

Montero ainda no deserto

O ataque sportinguista tem sofrido com a seca de golos do colombiano Montero, que não sente o prazer de marcar um golo desde Dezembro de 2013, quando abateu o Gil Vicente, em Barcelos. O avançado móvel que deliciou os adeptos com a sua primeira metade do campeonato 2013/2014, atravessa o deserto e penaliza a sua equipa com a sua falta de confiança notória - Slimani, vindo de uma suspensão, espreita a chance de ser titular na Luz: o argelino sabe como marcar ao Benfica...e já o fez na Luz.

Benfica: nova dupla de velhos conhecidos

A dupla não é inédita mas inédita é a chance de Jardel e Luisão encararem uma nova temporada com a responsabilidade de constituirem a dupla de centrais titular que irá tomar conta da defesa durante a época toda. Jardel, que até agora tem sido um suplente feito de raça e tremenda utilidade, poderá ter agora a hipótese de se afirmar como titular do Benfica, ao lado do capitão Luisão. De referir que as «águias» ainda não sofreram qualquer golo com esta mencionada dupla - 300 minutos, 0 golos concedidos.

Defesas laterais, golos centrais

Do trio de golos apontados pelo Benfica nesta temporada (diante de Paços e Boavista), dois deles foram marcados pelos defesas laterais, Maxi Pereira e Eliseu, o que demonstra bem a apetência ofensiva de ambos, exactamente da forma que Jorge Jesus gosta: laterais fortes nas subidas ofensivas, com capacidade para romper para o interior da área, em diagonais e combinações interiores. Esta pequena tendência mostra a inclinação estratégia deste Benfica (tem sido patente de Jesus), que usa os laterais para desequilibrar o processo defensivo contrário, abusando das sobreposições para quebrar a orientação da marcação oponente.

Miolo nevrálgico é ponto de interrogação

O Benfica tem no miolo da sua táctica o maior dos problemas: enfrentará o Sporting desfalcado de duas unidades importantes que sustentam a estrutura preferida de Jesus; são eles Fejsa e Amorim, ambos lesionados e indisponíveis até Janeiro. Com a dúvida sobre o estado emocional de Enzo, que ainda é embalado pela incerteza de uma ainda possível transferência para o Valência, Jesus conta apenas com duas opções tangíveis  e estáveis: André Almeida e o grego Samaris, que podera estrear-se, a frio e logo num «derby».

Artur: outrora rei morto...

Já foi coroado rei da baliza encanarda (durante duas épocas e meia) mas Oblak tirou-lhe o ceptro na segunda metade da liga 2013/2014 - mesmo com a saída do eslovaco, a pré-temporada não correu bem ao brasileiro (frangos e indecisões à mistura) e o debate centrou-se sobre quem seria o guarda-redes que atiraria Artur de novo para o banco de suplentes - ainda assim, Artur respondeu com quatro penalidades defendidas (3 na Supertaça, no desempate por grandes penalidades) e volta agora a lutar, ainda inviolado, por uma coroa que já foi sua...e que é ameaçada pelo vulto internacional de Júlio César.

 

VAVEL Logo
    CHAT