Sporting: outras ambições, o mesmo modelo
Equipa inicial dos leões está repleta de "canteranos". Mas há mais no plantel.

Sporting: outras ambições, o mesmo modelo

Apesar do maior investimento e das críticas a uma alegada alteração de paradigma, leões continuam a ser o clube que mais aposta na formação, assim dizem os números.

andrecunhaoliveira
André Cunha Oliveira

As 11 contratações empreendidas no último mercado de transferências pela estrutura de futebol do Sporting comandada por Bruno de Carvalho até podem representar mais um sinal da nova postura dos leões no mercado: mais activos, mais atentos a novos mercados e mais desenvoltos na procura por jovens talentos e promessas do futebol mundial. 

Mas se é verdade que os verde e brancos se apresentam hoje apostados em trazer mais jovens de fora para Alcochete, tal não significa uma inversão na sua tradicional política de aposta na formação. Essa é pelo menos a conclusão a que se chega olhando para a constituição do plantel dos leões. VAVEL fez as contas às 18 equipas da Liga Zon Sagres e confirmou estatísticas antigas: o Sporting continua a ser o clube português com mais jogadores da formação no seu plantel profissional.

Leões lideram com larga vantagem 

9, é o número total de «canteranos» leoninos às ordens de Marco Silva. Não fossem as saídas de Wilson Eduardo e Eric Dier, e a marca da Academia Sporting seria ainda mais significativa no plantel profissional da formação de Alvalade. Um número que deixaria os leões a "largas" milhas de distância dos seus principais rivais mas também das restantes equipas da Liga Portuguesa.

É que a seguir ao Sporting, só o Belenenses demonstra uma aposta mais próxima da dos leões na sua formação, com 6 jogadores "criados" no Restelo a constarem no grupo de  jogadores orientado pelo técnico Lito Vidigal. Benfica e FC Porto apresentam então valores drasticamente diferentes dos dos verde e brancos. Os encarnados apresentam um total de 3 jogadores formados no Seixal no plantel de Jorge Jesus, os azuis e brancos...apenas 1. Números que demonstram com factualidade e clareza as diferentes visões dos três grandes do futebol português das suas próprias Academias...mais do que as palavras dos seus quadros dirigentes.

No resto de equipas da primeira liga, profundamente desanimadores, destaque para a existência de três clubes sem qualquer jogador da formação nos seus plantéis profissionais. Sporting de Braga, Moreirense e Arouca não têm qualquer jovem das suas escolas no campeonato português.

Equipas  Atletas Formação
Sporting CP  9
Belenenses 6
V.Guimarães 5
Penafiel 5
Marítimo 4
V.Setúbal 4
Nacional 4
Gil Vicente 4
SL Benfica 3
P.Ferreira 3
Académica 3
Estoril 3
Boavista 3
Rio Ave 1
FC Porto 1
Braga 0
Moreirense 0
Arouca 0

Investimento tapado...pela formação

Umas das críticas apontadas com frequência à política de reforços deste mercado desenvolvida por Augusto Inácio e Bruno de Carvalho prendia-se com uma possível redução do espaço e das oportunidades dadas aos jovens de Alcochete. Ora, são uma vez mais os números a desmentir tais premissas, pelo menos neste estágio da temporada, decorridas que estão três jornadas do campeonato. Do onze titular mais utilizado por Marco Silva,  há seis jogadores «Made in Alcochete»,  uma base sólida formada na temporada passada e que tem dificultado a entrada imediata de reforços na equipa. A saber, Rui Patrício, Cédric, William Carvalho, Adrien Silva, André Martins e Nani. Para além destes, outros têm sido frequentemente utilizados ou dados como perto da equipa inicial leonina.

 A sistemática e repetida aposta na sua formação parece inclusive atestar o inverso, como por exemplo a mais recente chamada do internacional sub-21 Ricardo Esgaio para suprir a ausência por lesão de Cédric Soares. Ao invés de ter sido André Geraldes a deixar o jovem leonino na equipa B, foi Ricardo Esgaio a relegar o lateral contratado ao Belenenses para um segundo plano, assumindo-se para já como titular e aparentemente como segunda opção para a lateral direita dos leões.

Um contingente que se parece estar também a preparar para ser reforçado, com a também recente chamada de Tobias Figueiredo ao plantel principal. O promissor defesa-central fez parte dos trabalhos verde e brancos durante a pré-época e parece ter convencido o técnico Marco Silva, ao ponto de ter alinhado no último particular da equipa com o Atlético (5-0), e de estar a aproveitar a lesão de Rami Rabia para se impôr precocemente na equipa principal. 

VAVEL Logo
CHAT