Ordens de equipa por rádio proibidas já em Singapura
Ordens de equipa por rádio proibidas já em Singapura. (Foto: Red Bull)

Ordens de equipa por rádio proibidas já em Singapura

Em causa estão algumas das comunicações que são contrárias aos regulamentos desportivos, os que prevêem que o piloto deva conduzir sozinho o carro, sem ajudas.

pedro-mendes
Pedro Mendes

Na Austria, Kimi Raikkönen pediu ao seu engenheiro mais potência para o monolugar, quando este estava em luta com Button. Em Monza, Alonso recebeu informações do pit wall para alterar a trajectória em corrida.

São os dois casos mais conhecidos, mas não os únicos, nem são apenas casos da Ferrari. Em todas as corridas, as equipas têm cada vez mais peso na prestação dos pilotos. Para a FIA, peso a mais. O órgão federativo que gere a modalidade, baniu agora as comunicações que possam fornecer dados acerca do desempenho do monolugar ou do piloto. O mesmo acontece com os dados de telemetria enviados via rádio.

Engenheiros preocupados

Para alguns dos principais visados, os engenheiros, a proibição de algumas comunicações não fazem sentido, já que a direcção de corrida, liderada por Charlie Whiting, tem acesso a todas as comunicações efectuadas entre o pit wall e os pilotos. Ou seja, na perspectiva dos engenheiros, todas as comunicações que possam ir contra os regulamentos podem ser cortadas ou as equipas penalizadas. Mais, os técnicos temem que possam ser banidas algumas informações vitais para o piloto tais como: chamar os pilotos para as paragens nas boxes, pedir aos pilotos para alterar o modo de funcionamento do motor para reduzir o consumo de combustível e para alterar o set up de travagem do carro em corrida.

Estas preocupações levaram mesmo o director de corrida da FIA a escrever uma carta dirigida às equipas, assinalando que os regulamentos já existiam e que a federação apenas quer reforçar o rigor destes, com efeitos imediatos.

Wolff e Horner com perspectivas diferentes

Christian Horner, director da Red Bull, afirma que a competição beneficia com a proibição das comunicações e que, segundo palavras do mesmo, «é altura de serem os pilotos a pilotar», em declarações ao The Times. Horner junta-se assim a Alain Prost que há relativamente pouco tempo declarou-se contra as excessivas informações dos engenheiros aos pilotos.

Enquanto isso, Toto Wolff, da Mercedes, não está contra a medida, mas também não está a favor. Quer que sejam clarificadas algumas dúvidas levantadas pelas equipas.  Segundo o mesmo, os regulamentos são controversos e devem ser esclarecidos antes das corridas, quais são as comunicações vitais que podem ser feitas.

Aguarda-se resposta da FIA a esta controvérsia, que mais uma vez parece dividir o paddock, mas que por enquanto nenhum piloto ou elementos mais visados nesta história emitiram declarações.

VAVEL Logo
CHAT