FC Porto brilha na Europa com noite gloriosa de Brahimi

Noite magnífica para o FC Porto no seu primeiro jogo da fase de grupos da «Champions»: meia dúzia de golos, baliza intocável, exibição de gala para os adeptos portistas se regozijarem. Uma noite de perfeição para a formação treinada por Julen Lopetegui, que entra com o pé direito na prova europeia, impressionando tudo e todos com a sua explosiva fulminação goleadora. O BATE Borisov revelou-se incapaz de suster ímpeto caseiro e de parar o argelino em destaque, Brahimi. Na sua estreia na liga dos milhões, o ex-Granada assinou um «hat-trick» com o qual provavelmente nem sonharia.


O FC Porto volta a mostrar pujança europeia, depois da dupla de jogos frente aos franceses do Lille que lhe permitiu a entrada na Liga dos Campeões. Yacine Brahimi, contratado no Verão, afirma-se cada vez mais como um elemento essencial na manobra atacante da equipa; de realçar o excelente jogo de Jackson Martínez (um golo e duas bolas no poste) e o regresso de Quaresma, que foi titular.

Entrada avassaladora

O Porto recebeu o BATE e não esteve para dóceis recepções: Jackson deu o primeiro aviso aos 4 minutos e, na sequência de um grave erro do «keeper» do BATE, Brahimi fintou o último oponente e atirou a contar, inaugurando o marcador aos 5 minutos de jogo - péssima a reposição de bola de Chernik, autêntica oferenda ao argelino, que não se fez rogado. O segundo golo foi genial - Brahimi furou o miolo bielorrusso, cavalgando fulminantemente até à área para depois disparar e aumentar a contagem.

Cinco minutos passados e novo golo portista - cruzamento de Danilo e Jackson, veloz na desmarcação, a cabecear para o 3-0 aos 37 minutos de jogo. O público presente no Estádio do Dragão vibrava e antecipava uma noite polvilhada com golos para todos os gostos. Se 3-0 já constava como goleada, o Porto de Lopetegui não se ficou por tal «placard», voltando a marcar, na segunda parte, por intermédio da estrela da noite, Brahimi - livre directo marcado com exímia destreza, golo de levantar o estádio, 4-0 numa noite que adivinhava mais golos.

Adrián e Aboubakar estrearam-se a marcar pelo Porto

O jogo corria de feição e tudo se compunha para que os golos continuassem a surgir, dada a evidente superioridade do FC Porto, que com facilidade se espraiava no terreno, esticando e acelerando o jogo a bel-prazer, apoiando-se para tal nas corridas de Quaresma, Tello, Adrián e Brahimi. O quinto golo acabou por surgir através de um «lob» de Adrián, que rompeu pela ponta esquerda da área, emendando um lance de forma exemplar. Resposta positiva do mais caro reforço do clube, que ainda se debate com problemas de afirmação na equipa titular.

O último tento teve o carimbo final do avançado ex-Lorient Aboubakar, que assim também se estreou a marcar pelo seu novo clube. O trabalho de Tello, rodeado de adversários, é fenomenal: o jovem extremo ludibriou a oposição e assistiu o camaronês com uma meticulosidade apenas à disposição de alguns. Assim se finalizou, aos 76 minutos, a marcha do marcador, naquela que foi uma noite histórica para o clube da Invicta. Uma grande goleada para mais tarde recordar, resultado histórico que figura agora no registo da memória como a maior goleada do FC Porto em jogos da Liga dos Campeões.

Brahimi assume-se como parte crucial do novo Porto

O génio técnico de Brahimi rapidamente fez sonhar os portistas e, de facto, as expectativas vão sendo confirmadas pelos créditos apresentados pelo internacional argelino que veio do Granada. Rápido, lesto a ler o jogo ofensivo, excelente condutor de ataques furtivos e dono de um drible estonteante, Brahimi é já um elemento crucial no renovado Porto de Julen Lopetegui - a forma como estica o jogo e balança a equipa para o ataque é a mais demarcada imagem do Porto versão 2014/2015, que tem vivido muito das iniciativas do argelino.

Jackson não pára de marcar

Não é novidade que o colombiano tem uma acentuada apetência para marcar, este arranque de temporada é tão somente mais uma corroboração do seu talento ofensivo e da sua veia goleadora. O internacional de 27 anos já assinou 6 golos na época, 5 na liga portuguesa e 1 na «Champions», passeando uma fome de golos que confirma o seu estado de compromisso com o clube do Dragão, meses depois de ter estado com um pé fora do clube devido ao forte assédio dos tubarões europeus.

Pontuações VAVEL

FC Porto (6) BATE Borisov (0)
Fabiano 5 Chernik 6
Alex Sandro 6 Mladenovi 5
Maicon 6 Filipenko 4
Martins Indi 6 Polyakov 4
Danilo 7 Khagush 4
Casemiro 6 Volodko 4
Herrera 6 Likhtarovich 5
Brahimi 9 Olekhnovich 5
Adrián López 7 Aleksievich 5
Quaresma 8 Rodionov 5
Jackson Martínez 8 Gordeychuk 4
Substituciones
Aboubakar 6 ​ ​​​ ​Yakovlev 4
Evandro 5 Karnitskiy 4
Tello 6 Signevich 4
VAVEL Logo