RUI PATRICIO, JEFFERSON, NABY SARR, PAULO OLIVEIRA, CÉDRIC, WILLIAM CARVALHO (ADRIEN SILVA '57), ANDRÉ MARTINS (MONTERO '57), JOÃO MÁRIO, NANI, SLIMANI, CARRILLO (CAPEL '70)
Leão sai a sorrir em jogo complicado
(Fonte: MaisFutebol)

Leão sai a sorrir em jogo complicado

O Sporting foi hoje a Penafiel golear por 4-0 na 7ª jornada da Liga Portuguesa, ascendendo assim, ainda que provisoriamente, ao pódio.

pedro-duarte
Pedro Oliveira Duarte

Os Leões não tiveram tarefa fácil hoje em Penafiel. Marco Silva retirou Jonathan Silva e Adrien, colocando no seu lugar Jefferson e André Martins, enquanto que Paulo Oliveira, como já havia sido anunciado, veio render o ainda condicionado Maurício.

Primeira Parte apática e com pouco gás

Em relação ao primeiro tempo desta partida, pode-se dizer que o Sporting sofreu com as novas entradas projectadas por Marco Silva. Jefferson tinha claras dificuldades em subir na lateral esquerda e o meio-campo, pouco ou mesmo nada funcionava. Jogo atabalhoado, preso a meio campo e no qual o Sporting sentia dificuldades em romper as linhas e colocar a bola nas alas. Destaque apenas para o entrosamento entre João Mário e Nani que começa a revelar grande solidez. Nani foi mesmo um dos elementos mais inconformados do Sporting, que tantas vezes tentou alvejar a baliza defendida por Haghighi.

Fonte: MaisFutebol

A história desta primeira parte não teve no entanto muito mais a contar, a equipa parecia acusar os três jogos que teve praticamente no espaço de uma semana.

Montero, o “abre-latas” do Leão

À entrada para o segundo tempo, nada parecia destinado a alterar-se: O Sporting continuava pouco intenso, dominador mas sem conseguir realmente impor-se no jogo.

O tónico de mudança surgiu com a dupla substituição de Marco Silva ao minuto 58: William e André Martins, os elementos que se mostraram mais abaixo durante o jogo, saíram para dar lugar a Adrien e Montero. Os dois jogadores mudaram por completo o jogo que até então o Sporting ia protagonizando. A capacidade de passe de Adrien marcou a diferença, mas o grande destaque foi mesmo Fredy Montero. O colombiano entrou para baralhar as marcações da defesa penafidelense, aparecendo tanto em zonas de ponta de lança, como um pouco mais atrás, nas costas de Slimani. Com maior capacidade ofensiva, o Sporting acabou por alcançar o primeiro golo num cabeceamento de Slimani.

O segundo veio pouco tempo depois, numa jogada na qual o avançado argelino demonstra o seu poderio físico e resiste às cargas dos defesas contrários, aproveitando o adiantamento de Haghighi para fazer um chapéu de pé esquerdo.

Fonte: MaisFutebol

O momento da noite, estava porém para chegar. Ao minuto 82, foi quebrado o jejum de Fredy Montero. O avançado colombiano pôs fim a 8 meses de seca, respondendo da melhor forma a um cruzamento de Capel, que havia já entrado para o lugar de Carrillo. Com a bola já no fundo das redes, a reacção do avançado e também da equipa reflectiram a carga emocional que assombrava o avançado há tanto tempo.

No entanto, o marcador não ficou fechado por aqui e Montero voltou a ser protagonista. Ao minuto 85 e com um passe a rasgar para dentro da grande área, o camisola 10 isola Nani que num toque de classe coloca a bola no fundo das redes, fechando assim o marcador em Penafiel. Marco Silva foi feliz na leitura que fez da partida, colocando os jogadores certos em campo e fazendo as alterações tácticas necessárias.

Fica no entanto na retina o espírito colectivo do Penafiel, que se manteve forte e coeso até ao primeiro tento do Sporting. Há perspectiva de evolução para a equipa de Rui Quinta.

  

VAVEL Logo
CHAT