Valência 'Português' de Nuno soma e segue na liga Espanhola
Festa valenciana no fim do jogo (Foto: EFE)

Valência 'Português' de Nuno soma e segue na liga Espanhola

"Los Murcielagos" levaram de vencida, no Domingo passado, o campeão Espanhol e vice-campeão Europeu Atlético de Madrid continuando a calar todos os criticos com um arranque de temporada a todo o gás

joaopita
João Pita

O clube do Sul de Espanha é a sensação de La Liga, com os comandados de Nuno Espírito Santo invictos nas primeiras 7 jornadas do campeonato, somando 5 vitórias e 2 empates, os mais criticos da mudança do Português de Vila do Conde para Valência já estão rendidos às qualidades do Português que assumiu o projecto ambicioso do milionário Peter Lim em parceria com o seu agente, Jorge Mendes e transformou o Valência, entrando em campo com uma atitude competitiva, muita intensidade, jogando um futebol atraente e energético que tem causado dificuldades aos adversários que se vão atravessando no seu caminho.

Forte contingente Português em Valência

Para além do treinador Nuno o emblema Che conta também com outros elementos nossos conhecidos, sendo mesmo um dos clubes mais Portugueses a actuar em Espanha. No verão João Cancelo e André Gomes juntaram-se a João Pereira e Rúben Vezo (o jovem ex-Setúbal rumou a Espanha em Janeiro), tornando os Morcegos um clube cada vez mais Português.

O talentoso e explosivo avançado Espanhol Rodrigo também voltou ao seu país para jogar no Valência, também ele uma cara conhecida de todos nós pela sua passagem pelo Benfica. Também o médio Brasileiro Filipe Augusto, ex-Rio Ave, e Otamendi (ex-FC Porto) aterraram em Valência no verão vindos de Portugal (Otamendi depois de uma passagem pelo Brasil), engrossando cada vez mais o contingente "Português" do clube prestes a ser comprado por Lim.

Uma equipa "mandona" que quer resolver cedo os jogos

O Valência de Nuno tem como principal particularide o forte caudal ofensivo e o controlo de jogo a meio campo, muito forte no jogo exterior com bom envolvimento dos laterais no momento ofensivo, projectando-se e fazendo o 2 contra 1 nas alas, com Gaya (o "Novo Jordi Alba") em claro destaque. Dentro desta filosofia de jogo ofensivo o Valência procura resolver cedo os jogos e chegar a uma vantagem que lhe permita gerir a partida com bola, usando as qualidades de posse de bola e passe dos médios André Gomes e Parejo.

Depois de estar a ganhar o emblema Che é uma equipa muito madura e inteligente, circulando bem a bola, cansando o adversário e chegando eventualmente a situações para avolumar o resultado, através da velocidade de Feghouli e Rodrigo nas alas e do poder de fogo dos avançados Alcacer e Negredo, ainda que Nuno tenha contado muitas vezes com os médios para fazer golo, não dependendo excessivamente dos avançados para balançar a rede.

Chapa 3 no Mestalla

Nas 5 vitórias para o campeonato (a mais recente "atropelando" o Campeão no Mestalla) o Valência marcou sempre 3 golos, um claro sinal do poder atacante da equipa de Nuno que apenas perdeu pontos em jogos "do seu campeonato", tendo empatado em Sevilha na primeira jornada (com um homem a menos) e no País Basco frente à Real Sociedad, em ambas as ocasiões empatando 1-1.

VAVEL Logo
CHAT