0.1, min. 95', Cristiano Ronaldo
Cristiano Ronaldo e Quaresma salvam Portugal no último minuto
Momento decisivo de Ronalco e Kjaer (Foto: EPA)

Cristiano Ronaldo e Quaresma salvam Portugal no último minuto

Esta terça-feira, a selecção portuguesa viajou até Copenhaga para defrontar a selecção da casa, numa partida a contar para o apuramento para o Euro 2016. Num jogo apagado para os pupilos de Fernando Santos, a vitória surgiu no derradeiro minuto, com Cristiano Ronaldo a assegurar a vantagem por 0-1.

beatriz-goncalves
Beatriz Gonçalves

Depois de uma derrota no jogo de preparação frente à França, no passado sábado, Portugal viajou até à Dinamarca para o primeiro jogo oficial com o novo seleccionador, Fernando Santos. Numa partida que parecia perdida, foi no último minuto do jogo que Cristiano Ronaldo carimbou a vitória lusitana, assegurando assim os primeiros 3 pontos da selecção das quinas na fase de apuramento. Num jogo algo apagado, destaque para Ricardo Carvalho que, ao voltar à titularidade, esteve em realce ao longo de todos os 90 minutos.

Ronaldo ensaia pontaria no primeiro bloco

O pontapé de saída foi para a equipa das Quinas, contudo a primeira situação de perigo não foi a favor da selecção nacional - Cédric fazia falta sob jogador da Dinamarca, facilitando um livre perigoso ao adversário. Este, contudo, em nada resultou, servindo para acordar a equipa de Fernando Santos, que entrava recuada. De facto, o temporizador marcava os 7 minutos quando Cristiano Ronaldo ameaçava as redes de Schmeichel pela primeira vez. Desmarcando-se impecavelmente, o ponta de lança do Real Madrid rematou em força para o guardião dinamarquês, que ainda defendeu mas, com a força da bola, deixou-a escapar. Logo ao pé estava Danny, mas esteve mal o português, que não soube emendar. Era o primeiro aviso do melhor do mundo, com um remate que quase cheirou a rede dinamarquesa.

Era por esta altura que a selecção lusa se começava a superiorizar, ainda que ligeiramente, perante uma Dinamarca organizada. Pouco mais de 5 minutos depois, o guardião dinamarquês voltava a entrar em acção perante uma perigosa jogada conjunta de Ronaldo e Nani, com este último a atirar a bola em força à figura do guarda-redes, que a interceptou com calma. Aos 15 minutos, Portugal estava por cima do jogo, com os 3 da frente a ganharem mais bolas. Isto só se comprovou com nova investida de Ronaldo: passava um minuto do primeiro quarto de hora quando o jogador, numa tentativa de fazer o gosto ao pé, experimentou rematar cruzado, mas a bola saía fora. Tirando esta investida, não chegavam muitas mais, demonstrando-se este jogo com um certo tom de calma. Ainda assim, e apesar da superioridade em termos de perigo da formação lusitana, as estatísticas demonstravam um maior posse de bola para a selecção comandada por Olsen.

Portugal estava, claramente, no domínio, contudo, com o passar da meia hora de jogo a Dinamarca começou a subir no terreno, com Krohn-Dehli a assustar Patrício com o esférico a embater no poste ao minuto 33. As quinas já pediam o intervalo, visto que os dinamarqueses consolidaram a sua pressão com vários cruzamentos para a baliza de Patrício. Ao intervalo, o resultado era o empate a 0, sendo claro o ligeiro ascendente territorial e em oportunidades de perigo da selecção lusitana. 

Ronaldo de raiva oferece vitória

O início do segundo bloco de jogo fica marcado por um enorme falhanço do melhor do mundo, que teve como consequência o brilho do guardião local. Com a bola completamente isolada, o avançado não foi capaz de derrotar Schmeichel. Era só um aviso de alguns, contudo era inevitável a pioria da prestação da selecção portuguesa na 2ª parte, onde entrou mais precariamente.

A Dinamarca não parecia mais coesa, contudo, conseguia superiorizar-se lentamente, fazendo de Portugal o que desejava. Prova disso chegou aos 66 minutos, quando mais uma vez Krohn-Dehli tentou bater Patrício que, atento, não permitiu. À passagem do minuto 70, era claro que a Dinamarca começava a ganhar terreno e criar perigo face a um Portugal acanhado e sem muita garra, ainda que persistente na procura pelo ataque. As hostes lusitanas conseguiram chegar ao equilíbrio, mas o perigo não parecia chegar.

Já passavam 80 minutos quando Fernando Santos fez entrar Quaresma, a fazer dupla com Ronaldo na frente. Pouco depois, o árbitro assinalava 5 minutos de compensação, que não se mostraram suaves: aos 92', um livre perigoso favorecia a selecção local, resultando este num cartão amarelo para o capitão das Quinas. O remate, na prática, não acabou por causar qualquer perigo, saindo muito acima do poste da baliza de Patrício. Neste prisma, o empate já era dado por garantido quando, numa jogada inspiradora, Quaresma fez um magnífico cruzamento para Ronaldo, que estava colado junto da baliza. Ganhando nas alturas, o avançado quebrou todas as certezas de empate e, imperdoavelmente, invadiu as redes dinamarquesas, empurrando a bola para dentro delas.

Com o jogo a terminar, ficava mais do que consolidada a vitória, que garantiu os primeiros 3 pontos para a selecção de Fernando Santos, colocando Portugal um passo mais perto do Euro 2016. 

VAVEL Logo
CHAT