Marselha cada vez mais líder em França

Marselha cada vez mais líder em França

A equipa do Sul de França comandada pelo carismático “el Loco” Bielsa continua em grande na Ligue 1, contrariando o favoritismo dos milionários PSG e Mónaco.

joaopita
João Pita

Quando o Mónaco anunciou a contratação de Leonardo Jardim com o intuito de lutar assumidamente pelo título com um projecto milionário à semelhança do que tem feito o PSG, toda a gente achou que a equipa de Paris ia ter a vida dificultada na revalidação do título. Pois bem, ao fim de um quarto de campeonato a vida não está fácil para Laurent Blanc, não por culpa do Mónaco (os comandados de Jardim estão no meio da tabela), mas sim por culpa de um Super Marselha.

Um Super Marselha que voltou a vencer e mantem a vantagem de 7 pontos para o segundo classificado e campeão em título PSG. Com apenas 10 jornadas decorridas “l’OM” já conta com uma vantagem muito significativa frente aos rivais de Paris e sobretudo frente aos Monegascos, que já estão a 11 pontos da equipa de Marcelo Bielsa.

"El Loco" Bielsa ao seu estilo, sentado na geleira das águas a beber o seu café (fonte:Yahoo)

Olympique Marseille 2-0 Toulouse

Jogo pragmático do Marselha frente ao Toulouse. A equipa do Sul de França entrou com vontade de resolver rapidamente o jogo e num lance de alguma sorte o central Camarones N’Koulou acabou por fazer golo de ombro quando queria cabecear a bola. Quando a confiança está em alta os golos acabam por surgir e depois de uma boa movimentação num livre o Marselha chegou à vantagem aos 20 minutos de jogo.

Ainda no decorrer da primeira parte a equipa da casa acabaria por resolver o jogo com o segundo golo marcado pelo inevitável Gignac. O possante avançado Francês (que curiosamente nasceu para o futebol em Toulouse) marcou mais um golo, o 10º em outros tantos jogos, dando continuidade ao bom momento de forma que até já lhe valeu o regresso à selecção Gaulesa.

Como joga o Marselha

Como é habitual nas equipas de Bielsa o Marselha é uma equipa com uma matriz de jogo assente na posse de bola, muito agressiva no momento da perda, que procura controlar o jogo com bola e jogar em futebol apoiado procurando sempre a baliza. Nos seus tempos em Bilbao esta forma de jogar até lhe valeu a alcunha de Mini-Barça, uma vez que a equipa jogava um futebol semelhante ao estilo de jogo dos Catalães, embora mais objectivo na procura da baliza.

Tacticamente a equipa apresenta-se num 4-2-3-1, com Mandanda na baliza, uma linha de 4 defesas com Mendy, Morel, N’Koulou e Dja Djédjé , um duplo pivot com  Romao mais posicional e focado no momento defensivo e Imbula a funcionar como área-a-área e levando a bola para os 3 artistas que jogam atrás do ponta de lança Gignac. Ayew e Thauvin abertos nas alas e Payet a jogar entre linhas na posição 10.

 Este 4-2-3-1 tem nuances tácticas muito interessantes. No momento defensivo a equipa parte num da organização base mas quando sai para o ataque tudo muda, uma vez que há muito jogo exterior e envolvimento dos laterais Mendy e Dja Djédjé, que se projectam bem, à vez, no ataque. A equipa compensa a subida de um dos laterais com o movimento do outro que fecha do seu lado e faz uma linha de 3 defesas. O lateral que sobe joga como médio, o extremo desse lado vai juntar-se a Gignac em zonas mais interiores, ficando a equipa num 3-4-1-2.

Sistema de jogo que beneficia o ponta de lança Francês

Jogando de forma tão ofensiva e com tanto envolvimento dos laterias (destaque aqui para Mendy, um “miúdo” de apenas 20 anos que se projecta muito bem no seu corredor e é fortíssimo no momento defensivo também) o jogo ofensivo do Marselha torna-se muito fluído e quem beneficia disso é o goleador Gignac. Depois de épocas razoáveis sem grande destaque o avançado de 28 anos está em grande forma, assumindo-se como um dos destaques deste Marselha latino de Bielsa.

Muita qualidade técnica nos 3 homens criativos e um duplo pivot "carregador de pianos"

Ayew, Thauvin e Payet são 3 jogadores muito talentosos e imprevisíveis, fortes no drible e capazes de jogar entre linhas, fundamentais no carrossel ofensivo de Bielsa. A presença de jogadores tão acutilantes e repentistas ajuda a desposicionar as defesas contrárias e a abrir espaços, que a equipa tende a aproveitar bem.

Para que estes 3 jogadores se soltem em movimentos ofensivos é muito importante a solidez defensiva que os médios Romao e Imbula oferecem. Este duplo pivot, ainda que pouco vistoso, é muito eficaz e ajuda a soltar os elementos mais criativos, dando cobertura apropriada e não desposicionando a equipa. Também a dupla de centrais tem estado em destaque, contribuindo para o bom goal average do OM.

A 3 semanas do tira-teimas em Paris

No próximo fim-de-semana haverá duelo de Olympiques com o Lyon a receber o Marselha em casa. Mais um jogo complicado para Bielsa que depois receberá o último classificado Lens antes de ir a Paris jogar com o todo-poderoso PSG, num jogo que promete ser apaixonante.

VAVEL Logo
CHAT