La Liga transpira competitividade

La Liga transpira competitividade

Em Espanha tem-se vivido um arranque de campeonato como há muito não se via: 5 equipas no topo separadas por apenas 2 pontos, numa edição 2014/2015 que tem tudo para ser memorável

fredericotavorapedro
Frederico de Távora Pedro

Num campeonato muitas vezes criticado por se tratar de uma competição bicéfala, o arranque dificilmente poderia ser considerado mais competitivo: Barcelona, Sevilla, Real Madrid, Valência e Atlético de Madrid, as primeiras cinco equipas da tabela classificativa do país vizinho estão distribuídas num espaço de apenas 2 pontos, a mesma distância que separa o líder Barcelona do quinto lugar ocupado pelos colchoneros. No fundo da tabela, Real Sociedad, Córdoba, Elche e Levante encontra-se em situação semelhante, com a equipa de San Sebastián um ponto acima da linha de água, e as restantes equipas com os mesmos 5 pontos, ocupando as 18º, 19º e 20º posições.

Depois da derrota por 3-0 na Corunha, o Valência reagiu com uma vitória por 3-1 na recepção ao Eibar, com golos de Mustafi, Parejo e Lombán, este na própria baliza. Após o deslize na oitava jornada, em que as restantes equipas conquistaram os 3 pontos, o Valência regressa as vitórias e encontra-se em quarto lugar, em igualdade com o Atlético de Madrid. A equipa de Nuno Espírito Santo beneficiou ainda da vitória do Real Madrid sobre o Valência que lhe permitiu aproximar-se à liderança do campeonato, encontrando-se a apenas dois pontos do topo da tabela classificativa.

O Atlético, por sua vez, que havia perdido o confronto com os rivais do Valência na deslocação a terreno Che, somou a sua segunda vitória consecutiva na curta deslocação a Getafe, encontrando-se assim numa posição idêntica à do clube recentemente adquirido pelo multimilionário Peter Lim.

No terceiro posto segue o Real Madrid, que após duas derrotas seguidas frente a Real Sociedad e num derby caseiro frente ao Atlético de Madrid, só conhece o sabor da vitória: Ancelotti parece ter encontrado a fórmula que compatibiliza todas as estrelas do ataque merengue, bem como a melhor maneira de extrair o melhor da veia goleadora de Cristiano Ronaldo, que já soma 16 golos à nona jornada.

O Real Madrid soma e segue, tendo alcançado no passado fim-de-semana a sua sexta vitória consecutiva para o campeonato. 21 pontos obtidos, o que significa que os merengues se encontram a apenas um ponto dos líderes, tendo vindo a ser até aqui o melhor ataque da prova com 33 tentos apontados. O mais recente desempenho da equipa da capital espanhola inverteu ainda a tendência das casas de apostas, que apontam agora Cristiano Ronaldo e companhia como o elenco mais candidato ao título.

O Barcelona passou por uma renovação de equipa técnica, e assistiu à chegada do técnico Luis Enrique, um homem da casa que passou na Catalunha os momentos mais brilhantes da sua carreira. O jovem treinador brindou-nos com um futebol mais vertical do que aquilo que recentemente temos sido habituados a ver por parte dos blaugrana, e parece ter encontrado o balanço defensivo que na época transacta faltou ao Barcelona: é a equipa menos batida da prova, tendo concedido apenas 3 golos, todos às mãos do Real Madrid e apenas há 9ª jornada. Temos assistido a um Messi mais assistente e menos matador, mas que ainda assim é o terceiro melhor marcador da prova com 7 golos apontados, superado por Cristiano Ronaldo e por Neymar, seu companheiro de equipa e que tem até agora apontou 9 tentos. Uma dupla de sucesso e  que promete trazer muitas alegrias ao adeptos culés.

O Sevilla poderá ser considerado a par de Valência uma surpresa agradável no campeonato espanhol. Os vencedores da Liga Europa e 5º classificado da Liga BBVA 2013/2014 viram Rakitic partir rumo a Barcelona, mas parecem ter encontrado no jovem Denis Suarez, jovem criativo cedido pelos catalães, o principal cérebro da manobra ofensiva andaluza, contabilizando já 5 assistências em 8 partidas a contar para a liga, números relevantes para uma equipa que conta com 15 golos apontados na prova, 9 dos quais por Carlos Bacca. O avançado colombiano de 28 anos que tem estado em grande forma ao serviço do Sevilla, partilhando com Leo Messi a terceira posição na corrida pelo pichichi.

Certo é que o campeonato se encontra numa fase prematura, e que olhando para este pequeno sprint não podemos prever o desfecho da grande maratona com final previsto para Maio, mas também certo é que o campeonato espanhol tem estado ao rubro. Temos vindo a assistir a grandes partidas de futebol tanto do ponto de vista técnico dos executantes como do ponto de vista táctico dos pensadores: após uma recepção dividida, Nuno Espírito Santo parece ter conquistado o coração dos adeptos valencianos, chegando inclusive a conquistar o troféu de melhor treinador do mês de Setembro, merecendo assim uma menção especial;

Unai Emery continua a passar a imagem de um futebol paciente e de transição, o que tem vindo a dar frutos à equipa do Sevilla; Luis Enrique aumentou a solidez defensiva do Barcelona, tornando o futebol catalão mais equilibrado nos processos ofensivo e defensivo; Ancelotti parece ter no meio campo merengue uma máquina bem oleada, que pode tornar a candidatura do Real Madrid à revalidação do título europeu e a triunfos a nível nacional numa realidade mais presente; por último, El Cholo Simeone continua a presentear-nos com um futebol combativo e de pressão, não se deixando intimidar pelo oponente, mantendo a receita que garantiu o titulo de campeão nacional, algo que há 18 anos fugia do Atleti. 

VAVEL Logo