O rugido do Leão fez-se ouvir em Alvalade

O rugido do Leão fez-se ouvir em Alvalade

Depois de uma jornada em Gelsenkirchen onde o Sporting foi injustiçado perante aquilo que foi a arbitragem, o Sporting via-se na obrigação de ganhar em Alvalade frente ao Schalke para poder sonhar com uma passagem aos oitavos de final da Champions. E assim aconteceu, 4-2 foi o resultado com o regressado Jefferson a ter um papel fulcral.

tiagolabreca
Tiago Labreca

O Sporting entrava em campo pressionado nesta 4ª jornada da Liga dos Campeões. Depois de uma derrota na Alemanha contra este mesmo Schalke, o Sporting só podia pensar na vitória sendo que tudo o que não valesse os três pontos afastava praticamente a turma de Alvalade da prova dos milhões. Para além disto, a ressaca da pesada derrota em Guimarães meteu a equipa em sentido, desde as críticas do presidente Bruno Carvalho até aos adeptos que não ficaram contentes com tamanha derrota. 

Marco Silva percebeu todo o contexto e preparou uma equipa com mudanças, a chamada rotatividade competitva, onde quem não faz boas exibições é relegado para o banco. Entraram directamente no onze inicial Naby Sarr, Jefferson, Mané e Slimani em troca com o castigado Mauricio, Jonathan Silva, Carrillo e Montero. A tentativa de mudar resultou em cheio mas o príncipio de jogo foi tudo menos aquilo que o Sporting precisava, depois dos assobios em protesto perante o hino da Champions, o jogo começou com um Sporting cheio de identidade e de raça a lembrar a "remontada" em Gelsenkirchen. Mas a sorte alemã voltou a aparecer e num lance de bola parada Slimani acaba por fazer um grande golo de cabeça mas na própria baliza... Começava a surgir os fantasmas de Guimarães em Alvalade.

Quem entra faz a diferença 

O Sporting sofreu o golo sem que o Schalke fizesse alguma coisa para merecê-lo o que poderia abalar a equipa de Alvalade. A verdade é que foi precisamente o contrário, a infelicidade de golo dos alemães fez renascer um Sporting que não se tinha visto no último jogo em Guimarães. Trocas de bola rápidas e constantes com bastantes diagonais, principalmente com Mané e Nani a destabilizarem toda a defensiva do Schalke. Curiosamente foi num lance de bola parada que o Sporting chega ao empate num livre eximiamente batido por Jefferson (que voltou a ganhar a titularidade 1 mês depois) ao qual Naby Sarr corresponde com uma cabeçada para dentro da baliza defendida por Fahrmann. Estava estabelecida a justiça em Alvalade. 

Os pupilos de Marco Silva não se ficaram por aqui e começaram a criar vários lances de perigo junto à área do Schalke. A exibição do Sporting começava a encher o olho aos adeptos que estavam presentes em Alvalade que começavam a ver a equipa a provar que o desaire me Guimarães tinha sido um acidente de percurso. Quer Nani, quer João Mário quer Mané ficaram muito perto do golo deixando Marco Silva à beira de um ataque de desespero no banco de suplentes. O intervalo chegou e o Sporting tinha tudo em aberto para vencer o jogo.

Jefferson ou Roberto Carlos? 

O príncipio da segunda parte ainda mostrou um Sporting mais agressivo, mais pressionante e com vontade de vencer o jogo. O domínio era claro e total. A baliza de Fahrmann era uma zona de tiro para os jogadores do Sporting sem que Howedes ou Neustader conseguissem parar o poderio de Slimani e a rapidez de Mané e Nani. Adrien e João Mário começaram a avançar no terreno e tudo estava figurado para a reviravolta no marcador que aconteceu aos 52 minutos. 

Nani, quem mais, "entorta" os olhos a dois defesas do Schalke e entrega a bola a Jefferson que na quina da área e sem ângulo aparente concretiza um remate potente e cheio de efeito para dentro da baliza dos alemães. Depois de uma assistência e de um golo de efeito "Roberto Carlos" Jefferson provou que o lugar de lateral esquerdo não está entregue a Jonathan Silva. A partir deste momento o Sporting não baixou o ritmo e foi à procura de mais, de uma vantagem melhor. 

Foi nesta procura pelo golo que surgiu... S.Patrício. Estranho? Não. Enquanto o Sporting procurava marcar mais golos que dessem tranquilidade à equipa, o Schalke aproveitou e numa jogada rápida de envolvimento ofensivo Obasi apareceu isolado na cara de Rui Patrício, pronto para gelar Alvalade e marcar o golo do empate. Quando já se via adeptos do Sporting a protestar ou a tapar a cara perante tal destino de Obasi, Rui Patrício numa estirada impressionante tira a bola dos pés do extremo do Schalke e evita assim o 2-2. A defesa, neste caso o guarda-redes, foi o melhor ataque. 

Susto entre momentos de magia

Perto dos 70 minutos da partida Carlos Mané saiu debaixo de uma tremenda ovação depois de uma grande jogo do jovem português. Entrou André Carrillo, o desconcertante peruano que quando está nos seus dias é um quebra cabeça para qualquer defesa. Que o diga o defesa alemão Fuchs que ficou a olhar para a parte de trás da camisola do peruano quando este arrancou e nunca mais parou até ao momento que entra na área e cruza para outro mágico, Nani, que desta vez não precisou de ludibriar a defesa contrária mas sim encostar para o 3-1. Alvalade saltou ao ritmo da jogada destes dois desequilibradores

Os leões tinham o jogo controlado e o adversário já era uma presa que não parecia voltar a poder entrar nas contas do jogo. Contudo, os últimos instantes contrariam as previsões. Aogo aproveitou um mau posicionamento de Paulo Oliveira, entra na área e fuzila autenticamente Rui Patrício, estavam decorridos 88 minutos e o Schalke ia cair em cima do Sporting com tudo nos últimos minutos. 

Marco Silva previu isto e já tinha Uri Rosell no campo e foi do espanhol que saiu a machadada final no jogo. Rosell ganhou a bola no meio campo defensivo do Sporting e enviou a bola para o argelino Slimani que no um para um com Neustadter saiu vencedor e marcou o golo na cara de Fahrmann. Estava feito o 4-2 e o vulcão de Alvalade entrou em erupçao. A luz ao fundo do túnel que Jesus falou no dia anterior para o Benfica também se acendia para o Sporting em Alvalade na Liga dos Campeões.

O Sporting é, neste momento, o terceiro classificado do Grupo G, com 4 pontos. O Chelsea comanda o grupo, com 8, seguido dos alemães do Schalke 04, com 5. O Maribor, próximo a visitar Alvalade, fecha o conjunto com 3 pontos. Depois do jogo com os eslovenos, o Sporting fechará a fase de grupos com o Chelsea, em Londres.

VAVEL Logo
CHAT