Cristiano Ronaldo: o arranque imparável da máquina
(Foto: Jonathan Nackstrand/AFP)

Cristiano Ronaldo: o arranque imparável da máquina

A cotação do índice CR7 está definitivamente em alta e não parece dar sinais de queda nos tempos mais próximos. Com um dos melhores arranques de temporada de sempre de Cristiano Ronaldo no Real Madrid, chega a hora de Portugal tirar dividendos da estupenda forma do seu capitão.

Francisco_Ferreira
Francisco Ferreira Gomes

Dezassete jogos, vinte e quatro golos; os números não enganam: Cristiano Ronaldo atravessa um dos melhores momentos dos últimos anos. Na Liga Espanhola, o líder Real Madrid soma já 42 golos em 11 jornadas, desse total, 18 são de Cristiano Ronaldo; o português é assim responsável por mais de 40% da produção ofensiva dos merengues, registando uma média de 1,6 golos por jogo. 

A somar aos 18 marcados em La Liga, somam-se ainda os três já apontados na Liga dos Campeões, o bis diante do Sevilha na Supertaça Europeia, e ainda um golo ao serviço da Selecção Nacional diante da Dinamarca, e que valeu preciosos três pontos na caminhada lusa rumo ao Campeonato da Europa de 2016. 

O momento actual de CR7 é apenas superado pelo período homólogo do ano passado. Com efeito, na temporada 2013/2014, e com 17 partidas realizadas, Ronaldo tinha 26 golos apontados: 17 no campeonato, e 9 na Liga dos Campeões. Com um arranque de época como este, era quase inevitável que Cristiano Ronaldo acabasse por conquistar, não só o prémio de melhor jogador da temporada passada da Liga Espanhola (Prémio Prémio Alfredo di Stéfano), como também o título de melhor marcador do campeonato espanhol (El Pichichi). E como não há duas sem três, na semana passada CR7 recebeu a sua terceira Bota de Ouro, título respeitante ao melhor marcador de todos os campeonatos europeus em 2013 (juntamente com o uruguaio Luís Suaréz). Tudo isto a coroar uma época onde o seu  Real Madrid se sagrou campeão europeu pela décima vez na sua história.

Depois de 2007 e 2010, CR7 ganhou nova bota de ouro (foto: ASF)

Mas engane-se quem pense que os feitos do madeirense se resumem apenas ao Real Madrid. No que diz respeito à Selecção Nacional, e para além de já ser o melhor marcador da história da equipa das quinas, o “comandante” Ronaldo está a um golo de se tornar o melhor artilheiro da história dos europeus de futebol, isto se acumularmos a fase de qualificação e fase final de europeus.

Ironicamente, o último golo marcado por Ronaldo diante da Dinamarca, em Copenhaga, permitiu a ao capitão da Selecção Nacional igualar o já retirado Jon Dahl Thomasson - um dinamarquês - no topo da tabela de melhores marcadores de europeus com 22 golos. Assim sendo, é apenas uma questão de tempo até que o português alcance mais um feito histórico na sua carreira. Tendo em conta o actual momento de Ronaldo, não se trata de saber “se” CR7 continuará a quebrar recordes, mas antes “quando” estes cairão nas suas mãos.

VAVEL Logo
CHAT