0-1, min. 39, Rafa. 0-2, min. 41, Pardo. 1-2, min. 71, André André (p).
Braga vence em Guimarães e segue em frente na Taça
Muita intensidade de ambas as equipas, ao longo de todo o encontro. (Foto: ASF)

Braga vence em Guimarães e segue em frente na Taça

Num dos jogos de maior cartaz desta eliminatória da Taça de Portugal as expectativas não saíram defraudadas. Num jogo de muita luta e coração é a equipa de Braga que segue em frente enquanto que os homens vimaranenses saíram sob aplausos.

leandro-dinis
Leandro Dinis

Todos concordaram que um dos clássicos mais apaixonantes do nosso futebol é aquele que envolve Vitória de Guimarães e Sporting de Braga. Ora quando se trata de uma eliminatória da Taça de Portugal aliada à rivalidade dos clubes só podemos esperar um grande jogo, com muita intensidade, muita disputa de bola e claro, golos. E foi exatamente isso que aconteceu.

O jogo que opôs os «grandes» do Minho era dos mais esperados desta 4ª eliminatória e logo de início se percebeu porquê. Para além de um excelente ambiente no D. Afonso Henriques, as equipas entraram com tudo, com oportunidades para cada lado. Aos 2' foi Éder que com Assis fora da baliza e a passe de Pardo cabeceia para grande corte do lateral Bruno Gaspar. Na resposta foi Hernâni que quase inaugura o marcador, intenção essa parada pelo guardião Kritciuk

Dois minutos «letais»

Depois de uma entrada fulgurante das equipas foi o conjunto de Rui Vitória quem tomou as rédeas do encontro, com trocas de bola e transições rápidas que colocavam a defesa bracarense em sobressalto. Como quem não marca arrisca-se a sofrer e após perdida flagrante de Saré foi o Braga a abrir o marcador. E que golo! Rafa, à passagem do minuto 39, pica a bola sobre a defesa vimaranense e atira fortíssimo e colocado, sem o mínimo de hipóteses para Assis. 

Pardo não perdoa na cara de Assis.

Ainda os adeptos vindos de Braga festejavam o primeiro golo e o segundo já estava a entrar. Volvidos dois minutos da «obra de arte» de Rafa é Pardo quem assina a sua presença na lista de mercadores e faz o 0-2 após assistência atabalhoada de Éder. Belo pormenor técnico e consequente finalização do extremo colombiano.

Uma esperança infrutífera

Sofrer dois golos de rajada, em sua própria casa e contra o maior rival não será propriamente o maior dos incentivos para uma equipa de futebol. Apesar disso  os homens de Rui Vitória nunca baixaram os braços, sempre à procura do golo que alenta-se as hostes vimaranenses. Golo esse que viria a surgir de uma grande penalidade no mínimo discutível (Marcelo Goiano parece travar Hernâni fora da área) convertida sem problemas por André André ao minuto 71. Do lance resultou a expulsão do lateral brasileiro.

A equipa do Vitória até final passou a usar um estilo de jogo mais direto de forma a servir a dupla atacante Tomané e Alvez. Esteve mesmo na cabeça do uruguaio a última oportunidade dos visitados mas o avançado, sozinho após cobrança de canto  não conseguiu finalizar em condições. A equipa de Braga conseguiu suster a pressão, muito graças a um trabalho incansável de Danilo e Pedro Tiba (mais recuado que o habitual) no seu meio-campo e da coesão defensiva na qual Aderlan Santos se destaca pela sua qualidade.    

Desilusão vimaranense!

Apesar da eliminação da Taça ter acontecido em casa frente ao arqui-rival, a massa associativa do Vitória de Guimarães reconheceu o esforço e dedicação que a sua equipa demonstrou dentro de campo e brindou-os com aplausos no fim do encontro. Já a equipa do Sporting de Braga segue para os oitavos de final da competição.                 

VAVEL Logo
CHAT