Liga Europa: um prémio de consolação que custa a digerir

Liga Europa: um prémio de consolação que custa a digerir

O Sporting é eliminado da Champions League fruto de um erro inaceitável de um dos seus centrais na 1ª jornada e de uma arbitragem criminosa na 3ª, em Gelsenkirchen.

joaofervenca
João Carlos Fervença

Pote 3 com a vida teoricamente complicada, mas com esperanças na qualificação pois o sorteio tinha sido amigo. O Sporting provou no relvado (nem sempre é suficiente) que era a 2ª melhor equipa do seu grupo e que merecia ter seguido em frente. Em condições normais, estaria neste momento (juntamente com o Roma que foi a outra grande equipa que merecia ter passado) a sonhar com um Monaco nos oitavos-de-final. 

Infelizmente o futebol nem sempre é justo e o Sporting cai para o segundo escalão do futebol europeu a partir da próxima fase. A isso muito (para não dizer tudo) fica-se a dever a um erro clamoroso de Maurício - que já mostrou que não tem qualidade para estas andanças apesar de ser ainda o 2º central menos mau do plantel - e à mais que falada arbitragem de um senhor russo na Alemanha. 

Mas o Sporting tem de estar orgulhoso da imagem que deixou na Europa. Passados 6 anos, enfrentou todos os adversários olhos nos olhos e só não foi claramente melhor que o Chelsea nos 2 jogos (no 1º poderia ter havido goleada histórica caso Rui Patrício não tivesse feito a exibição de uma vida).

O Sporting deixa a «Champions» com alguns motivos para sorrir: a qualidade de jogo foi bastante alta em alguns momentos, bastantes jogadores sem um único jogo na competição não tremeram (ou tremeram pouco), valorização de alguns dos activos (principalmente de Carrillo que fez uma fase de grupos de elevadíssimo nível) e, talvez o mais importante, o reconhecimento europeu da sua qualidade.

Há muito que evoluir, mas o Sporting precisava de voltar à «Champions». Por questões financeiras, mas também por questões desportivas. Só lá estando constantemente é que voltará a ser uma equipa respeitada na Europa «Queremos ser tão grandes como os maiores da Europa», lembram-se?  

Espera-se que tanto os jogadores como a direcção tenham aprendido com os erros e que o Sporting volte no próximo ano à «Champions» com menos razões para dissabores inaceitáveis como o de Maribor. Sim, porque a direcção não pode estar isenta de culpas quando decide atacar a época com este lote de centrais. 

Vem aí a Liga Europa, competição que nada mais poderá ser do que um prémio de consolação. Há equipas fortes, mas não há colossos impossíveis. Se a qualificação para os oitavos de final da «Champions» seria um feito assinalável mas sem quase nenhuma perspectiva de qualificação para a próxima fase, na Liga Europa o Sporting só pode ter olhos para o troféu. Tem qualidade para o levantar na Polónia. Ou pelo menos para sonhar com isso. 

VAVEL Logo
CHAT