Ronaldo, Ronaldo, Ronaldo!

Ronaldo, Ronaldo, Ronaldo!

Não, não estamos a colocar por palavras os grandes relatos do nosso colega Nuno Matos quando Portugal joga. A celebração é outra. Cristiano Ronaldo, pela terceira vez, vence a Bola de Ouro, ficando à frente de Leo Messi e de Manuel Neuer. Depois de um ano de 2014 quase imaculado para o capitão da selecção portuguesa e jogador do Real Madrid, este prémio foi o culminar da afirmação de Ronaldo como melhor jogador do mundo no ano passado.

tiagolabreca
Tiago Labreca

O mundo todo estava colado aos televisores à espera que saísse a tão aguardada notícia, o expoente máximo dos prémios individuais do futebol mundial, a Bola de Ouro de 2014. Coube a Thierry Henry, que se retirou dos relvados esta época, a missão de anunciar quem iria ser o melhor jogador do mundo em 2014. Seria Messi, Neuer ou, novamente, Ronaldo? A espera terminou no momento em que Henry disse o nome do português que conquistou pelo 2º ano consecutivo o maior galardão para um jogador: «And the winner is... Cristiano Ronaldo». 

«Quero entrar na História do Futebol como o melhor!»

2014 foi considerado por muitos como o ano de Cristiano Ronaldo. Venceu a 10ª Liga dos Campeões do Real Madrid onde bateu o recorde de golos nessa mesma competição (17 tiros certeiros), venceu a Supertaça de Espanha, a Taça do Rei, o Mundial de Clubes e ainda, a nível individual, a Bota de Ouro. Marcou 61 golos em 60 jogos e deliciou todos os seus adeptos com exibições do outro mundo. Um astro, um extraterrestre, um talento fora do normal que arrecada a terceira Bola de Ouro da sua carreira, depois de ter vencido em 2008 e em 2013.

As votações levadas a cabo pelos capitães e selecionadores das Federações filiadas na FIFA e ainda por um painel de jornalistas especializados teve resultados bastante esclarecedores daquilo que foram as preferências destes jurados. Cristiano Ronaldo recebeu 37,66 % dos votos enquanto Messi recebeu apenas 15,76% e Neuer 15,72%, o que significa que os outros dois candidatos à Bola de Ouro, juntos, não chegam à percentagem de votos do português. Apesar da qualidade astronómica de Messi e Neuer, esta contagem reflecte aquilo que foi supra mencionado, foi de facto o ano de Ronaldo. 

Assim que Henry anunciou o nome de Cristiano Ronaldo era expectável um discurso emocionado, à imagem do que aconteceu o ano passado. Visivelmente contente por este feito, Ronaldo subiu ao palco, procurou a sua família no meio da audiência e iniciou o seu discurso onde agradeceu a todos os que o acompanharam no ano de 2014 e fez uma antevisão daquilo que poderá acontecer em 2015 "Espero não parar por aqui e apanhar o Messi já para a próxima época". Num duelo com o astro argentino, Ronaldo tem menos uma Bola de Ouro mas a ânsia de ganhar mais é sempre enorme "Quero entrar na História do Futebol como o melhor. Faço o meu caminho e espero ganhar mais títulos". Tudo isto finalizou-se com um grito de guerra, algo sempre vísivel nos golos que marca pelo Real.

Ronado foi a estrela da noite... rodeado por alemães 

No Palácio de Congressos de Zurique a Gala de entrega de prémios da FIFA e da France Football foi extensa. Começando nos treinadores, o domínio foi alemão quer no feminino como no masculino: Joachim Low venceu o galardão de Treinador do Ano ao orientar a Alemanha na conquista do Mundial de 2014 e Ralf Kellermann na vertente de Futebol Feminino depois de ter sido treinador da equipa de Wolfsburgo que ganhou a Liga dos Campeões de 2014. Continuando a onda de alemães, coube a Nadine Kessler levar o troféu de Melhor Jogadora do Mundo vencendo a sempre favorita Marta. Quanto ao Prémio Puskas foi entregue a James Rodriguez premiando o golo do colombiano no Mundial de 2014 frente ao Uruguai. 

Cristiano Ronaldo foi Rei numa noite que o desenrolar de acontecimentos, pelo menos no que toca à nacionalidade, parecia alinhar-se para o alemão Manuel Neuer que acabou por ficar em terceiro lugar na votação. Para além da tão desejada e antecipada Bola de Ouro, Ronaldo ainda fez parte daquele que foi o Onze Ideal do Ano de 2014 onde perfilavam Manuel Neuer, Philip Lahm, Sérgio Ramos, Thiago Silva, David Luiz, Toni Kroos, Angel Dí Maria, Andrés Iniesta, Arjen Robben, Leo Messi e o próprio Cristiano Ronaldo. 

O Melhor Jogador do Mundo de 2014 prometeu, hoje, não parar e a fasquia eleva-se ainda mais para 2015. Não se espera nada menos de Ronaldo que grandes exibições, mais recordes batidos, mais golos e ainda mais conquistas. No Real Madrid tudo se encaminha para mais uma boa época do protuguês visto que os merengues estão em primeiro da Liga Espanhola, seguem fortes para os oitavos de final da Champions e ainda podem recuperar da desvantagem perante o Atlético de Madrid na Taça do Rei. Acompanhando Cristiano Ronaldo como os portugueses o fazem desde tenra idade ainda no Sporting é por de mais evidente que estamos perante um jogador que ficará na memória e na História de Futebol como um dos melhores de sempre e que não parará até atingir por completo todos os objectivos. Tal como Ronaldo diz "A melhor conquista é sempre a anterior e o melhor vitória a próxima"

VAVEL Logo
CHAT