Líder encarnado repõe vantagem mas rivais não perdem a pedalada

Líder encarnado repõe vantagem mas rivais não perdem a pedalada

Neste passado fim de semana, o Benfica viu a sua vantagem, em relação ao segundo lugar da tabela classificativa, reposta naquela que foi uma generosa vitória dos encarnados. No que toca aos rivais directos, estes fizeram questão de não ficar atrás na corrida e arrecadaram, efectivamente, os três pontos da jornada.

fabia-cortinhas
Fábia Cortinhas

No passado sábado, 17 de Janeiro, foi jogada a primeira partida que deu início à 17ª jornada do campeonato português. Quem abriu esta ronda foi o Vitória de Guimarães, que recebeu a Académica, derrotando a equipa de Coimbra por quatro bolas (4-0). O primeiro golo surgiu aos 17' com a assinatura de Ricardo Valente, aos 35' é convertida uma grande penalidade, por André André, que faz o segundo para a equipa da casa.

O Vitória de Guimarães não ficou por aqui e fez o terceiro golo, por intermédio de Tomané, ainda na primeira parte. Já na segunda parte, a resposta da Briosa manteve-se deficiente e ineficaz, ainda que apresenta-se  maior percentagem de posse de bola, pois quem volta a marcar é a equipa da casa, aos 89', por Hernâni. Estava assim estipulado o resultado, o Vitória de Guimarães some 3 pontos e segura o 4º lugar da tabela classificativa, enquanto que a Académica de Coimbra se vê no fim da tabela com apenas 12 pontos.

Ainda no sábado, foi a vez do FC Porto se descolar a Penafiel e arrecadar os três pontos no Estádio Municipal 25 de Abril. O primeiro golo só surgiu aos 31' por intermédio de Herrera, mas o segundo não tardou a chegar e, três minutos depois, é Jackson Martinez quem coloca a bola dentro da baliza adversária. O FC Porto estava, então, à frente do marcador com uma vantagem que parecia confortável, até que, aos 50' surge o primeiro golo do Penafiel, com a assinatura de Rabiola, consequente de um livre cobrado para a grande área dos dragões, que não conseguiram afastar o perigo acabando por ver a sua vantagem encurtada. Mas a pequena esperança que invadiu o Penafiel depressa desapareceu, quando ao minuto 62, Óliver Torres agita as malhas da baliza adversária e faz o terceiro golo para o FC Porto.

O resultado final foi de 3 bolas contra 1 (1-3), numa partida em que o Porto foi dominante, apresentando uma maior percentagem no que toca à posse de bola, tendo sido também mais rematador. Os dragões não abdicam do segundo lugar e somam, então, 40 pontos, não permitindo ao rival encarnado adiantar-se muito mais na corrida, já o Penafiel mantém-se com 11 pontos, em risco de despromoção.

As restantes partidas foram realizadas no domingo. Neste dia, foi a vez do Nacional voar da Madeira e ir ao Estádio da Mata Real defrontar o Paços de Ferreira, acabando por levar a melhor sobre a equipa da casa. Os protagonistas desta partida começaram por ser da equipa da Madeira, nomeadamente Lucas João que colocou o Nacional à frente do marcador ao minuto 41. Seguiu-se Luís Aurélio a dilatar a vantagem madeirense ao minuto 54, mas foi Marco Matias quem apontou o último golo do Nacional aos 87'. Vantagem muito confortável, não fosse a equipa da casa responder com dois golos em dois minutos, o protagonista, para o lado do Paços, foi Urreta, que fechou as contas do marcador, não tendo sido suficiente para guardar, pelo menos, um ponto. Mesmo em cima do apito final, assistiu-se ainda à expulsão de Marçal por acumulação de amarelos. Foi então a equipa da Madeira (12º) que levou a melhor e soma agora 18 pontos, enquanto que o Paços de Ferreira (9º) se mantém com 23 pontos. 

No Estádio de Restelo, o marcador mostrou dois golos apontados, o primeiro por intermédio de Pele ao minuto 27, e o segundo por Deyverson aos 38'. Resultado a confirmar-se na segunda parte, numa partida em que o Belenenses manteve mais a posse de bola, mas foi o Gil Vicente quem apresentou mais remates perante uma equipa da casa mais faltosa, apresentando um elevado número de faltas comparativamente à equipa visitante. É, então, a equipa do Belém que soma os três pontos, ocupando o 6º lugar da tabela com 26 pontos, tendo-se adiantado ao Rio Ave, já o Gil Vicente permanece com 9 pontos e a ocupar o último lugar da tabela classificativa. Quem está nos últimos lugares da tabela, é também o Arouca (14º), apenas a 4 pontos do penúltimo classificado, e que foi perder por uma bola frente ao Moreirense, que ocupa o 8º com 24 pontos, com um golo de Vítor Gomes aos 35'.

Deyverson fechou as contas no Restelo

Quanto ao Estoril, foi ao Estádio do Bonfim vencer o Boavista por 2 bolas contra 1 (1-2). Foi o Boavista que, ao minuto 3, inaugurou o marcador por intermédio de Idris, mas foi Kleber o protagonista do jogo ao bisar para o lado do Estoril, dando assim a vitória à equipa amarelada que soma agora 22 pontos e sobe à 10ª posição na tabela, quanto ao Boavista, este ocupa a 13ª posição, com 16 pontos. Com 14 pontos, a ocupar a 15ª posição, está o Vitória de Setúbal que viu o Sp Braga levar 3 pontos para casa, numa vitória por 3-1, onde contaram os golos de Zequinha (16'), Danilo (54'), Frederico Venâncio, que apontou um auto-golo (57'), e Zé Luís a fechar as contas ao minuto 90. Ao minuto 86, Rolim Y. foi expulso depois de apresentado o cartão vermelho directo. O Braga (5º) soma, então, 31 pontos e encurta a vantagem face ao Guimarães.

No que toca ao líder do campeonato português, este viu a sua estrondosa vitória por 4 bolas frente ao Marítimo, na Madeira. O jogo começou bem disputado mas a má sorte bateu, primeiramente, à porta do Benfica, quando Nico Gaitán sofre uma falta que obrigada Jorge Jesus a tirá-lo da partida, substituindo-o por Ola John. A equipa encarnada começou a mostrar-se muito superior face à equipa da casa e, ao minuto 18, é Salvio quem inaugura o marcador e aponta o primeiro para a equipa das águias. É apenas na segunda parte que surgem novos golos, primeiro por intermédio de Ola John ao minuto 53 e, seguidamente, Salvio a bisar ao minuto 57.

Apesar do resultado avultado, o Marítimo não baixou os braços e fez frente à equipa encarnada, levando perigo à baliza de Júlio César, que não a viu penetrada, já a equipa da Madeira assistiu a novo golo das águias, desta vez com a assinatura de Lima, ao minuto 64. A equipa da casa nada pode fazer face ao impetuoso líder do campeonato que, ainda assim, viu Talisca ser expulso da partida por acumulação de amarelos, aos 89'. O Marítimo ocupa o 11º lugar com 20 pontos, já o Benfica vai na frente da corrida com 46, isolado no primeiro lugar com uma vantagem de 6 pontos face ao ávido FC Porto.

Salvio bisou na Madeira numa estrondosa vitória do Benfica

Para fechar a jornada, o Sporting recebeu o Rio Ave em Alvalade que assistiu a uma partida de qualidade e abundante de golos. O primeiro aviso veio da equipa leonina por intermédio do lateral direito, Cédric Soares, num remate muito perigoso ao minuto 4. É aos 28' que a equipa de arbitragem assinala grande penalidade a favor da equipa da casa, quando Montero é agarrado na grande área do Rio Ave, a decisão levou a muitos protestos por parte dos jogadores e equipa técnica da equipa visitante, mas de nada adiantaram e Nani acabou mesmo por converter naquele que foi o primeiro golo da partida, ao minuto 30.

Ainda antes do intervalo, o Rio Ave repõe o empate por intermédio de Yonathan Del Valle, aos 39'. Voltados para o segundo tempo da partida, surge uma alteração inesperada na equipa verde e branca, entrando Carlos Mané para o lugar de Carrillo que não regressou do balneário, havendo a possibilidade desta ausência estar relacionada com uma lesão causada pelo choque do avançado peruano com as placas publicitárias durante o primeiro tempo de jogo. Nesta segunda parte a equipa da casa voltou à vantagem com um golo de Montero, aos 59', também este lance alvo de protestos por parte do Rio Ave que apontava para uma eventual falta do avançado leonino. É só ao minuto 67 que o Sporting suspira de alívio quando vê João Mário cabecear a bola para o fundo da baliza adversária, estabelecendo então o 3-1, mas esta vantagem durou pouco pois, no minuto seguinte, o Rio Ave estaria a fazer o segundo por intermédio de Ahmed Hassan que não deu hipótese de defesa a Rui Patrício.

O Marítimo continuava na corrida, mas a esperança morreu quando, ao minuto 90, Junya Takana, que havia substituído Fredy Montero, faz o quarto e último golo dos leões e da partida, fechando assim o marcador. O Sporting soma 36 pontos e mantém-se, então, no 3º lugar da tabela, a 4 pontos do FC Porto. Quanto ao Rio Ave, este vê-se ultrapassado pelo Belenenses, e ocupa agora a 7ª posição com 24 pontos. Estão fechadas as contas da 17ª jornada do campeonato português.

Tanaka volta a marcar pelo Sporting e fecha as contas do marcador
VAVEL Logo
CHAT