Pedro Proença apita pela última vez
Pedro Proença coloca um ponto final na carreira.

Pedro Proença apita pela última vez

Proença confirmou ontem a sua saída da arbitragem, o árbitro português foi eleito o melhor do século na sua profissão e apitou finais das mais relevantes provas nacionais e internacionais.

ines-figueiredo
Inês André de Figueiredo

O melhor árbitro português do século apitou pela última vez, colocando um ponto final na carreira e abandonou o mundo profissional da arbitragem. Pedro Proença crê que «o desgaste de uma actividade tão exigente em termos físicos e mentais, bem como o facto de ter concretizado os objectivos e as metas a que me propus, foram preponderantes nesta tomada de decisão.»

Carreira começou há mais de quatorze anos

Pedro Proença apitava o seu jogo de estreia na primeira divisão no dia 10 de Setembro de 2000, num confronto entre Desportivo das Aves e Campomaiorense. Uma partida bastante controversa que não foi fácil de gerir, apesar dos cartões que mostrou acabou por admitir que «ficaram alguns cartões por mostrar e alguns pénaltis por marcar».

A primeira final da Taça de Portugal na sua carreira chegou no ano de 2007: Pedro Proença apitou o Sporting x Belenenses. Antes, no ano de 2006, o árbitro luso tinha-se estreado nas qualificações para o Mundial, ajuizando uma partida entre o Uzbequistão e a Ucrânia.

Mérito reconhecido nos palcos internacionais

Da arbitragem nacional à internacional, Pedro Proença foi muitas vezes reconhecido pelo seu profissionalismo. Nos pontos mais altos currículo ficam a arbitragem da final da Liga dos Campeões 2011/2012 entre Bayern Munique e Chelsea e a final do Euro 2012 entre Espanha e Itália.

Na época 2012/2013 foi colocado na categoria de Elite da UEFA, após ter participado na arbitragem da Taça das Confederações, em Europeus, Campeonatos do Mundo e recentemente na Taça do Mundo de Clubes, onde nunca tinha estado um árbitro português.

Considerado o árbitro português do século, Proença afirmou «estar disponível para contribuir no que for necessário em prol da arbitragem e do futebol português» mas quer dedicar-se à «gestão e administração» que tem como profissão e à «vida académica». O árbitro português poderá ainda integrar o Comité da Arbitragem do UEFA.

Elogiado mas ainda assim criticado

Pedro Proença abandona a arbitragem portuguesa mas deixa um legado importante na profissão, tanto a nível nacional como internacional. Elogiado pela vasta maioria dos agentes desportivos do futebol internacional, Proença não se livrou, ainda assim, de muitas críticas a nível interno - o Benfica queixou-se várias vezes das performances do árbitro. Para a posteridade fica o polémico jogo Benfica x FC Porto da temporada 2011/2012.

VAVEL Logo
    CHAT