Taça da Liga: Porto goleia, Sporting marca passo contra sadinos
Foto: Lusa

Taça da Liga: Porto goleia, Sporting marca passo contra sadinos

Ontem, o FC Porto carimbou com distinção a passagem à fase seguinte da Taça da Liga, goleando com facilidade a Académica no Dragão, por 4-1. Já o Sporting comprometeu a passagem à meia-final, empatando em Alvalade 1-1 contra o Vitória FC.

vavel
VAVEL

Sortes diferentes para FC Porto e Sporting, que ontem receberam a Académica e o Vitória de Setúbal, respectivamente: os Dragões golearam com facilidade e classe a pobre Académica, enquanto que os Leões marcaram passo em Alvalade, empatando 1-1 contra os sadinos, agora treinados por Bruno Ribeiro. Se os portistas carimbaram a passagem às meias-finais da Taça da Liga, o colectivo leonino comprometeu seriamente o apuramento.

Porto: Jackson deslumbrou e Paciência exultou

No Dragão o jogo foi de sentido único: via livre para a baliza de Cristiano, com os azuis a dominarem totalmente as incidências da partida. Os comandados de Paulo Sérgio viram o colega Aníbal Capela cometer um erro crasso, dando de bandeja a a bola ao letal Jackson Martínez: 1-0 para o FC Porto, resultado ao qual se seguiu o 2-0, autêntica ode à extrema beleza e requinte futebolístico da execução do colombiano, que, de calcanhar e na passada, aumentou a vantagem.

A Académica cerrou os dentes e por uma vez conseguiu importunar a defensiva portista, com um golo de Mbala. Mas dois minutos depois, aos 75, Gonçalo Paciência estreava-se a marcar pelos séniores do Dragão: finta desconcertante e consequente remate cruzado, 3-1 a favor dos da casa. O resultado final seria selado com uma grande penalidade convertida com sucesso, por Evandro - mérito para Paciência, que ganhou o castigo máximo.

Sporting: 25 remates de ineficácia

Em Alvalade, o Sporting precisava de vencer para garantir a passagem às meias-finais a Taça da Liga - com um conjunto baseado em jogadores suplentes da primeira equipa, os Leões começaram a vencer devido a um auto-golo de Ney Santos, após toque de cabeça do japonês Tanaka. Apesar de dominar a partida com relativa facilidade, o Sporting não soube ser eficiente no ataque, deixando a porta aberta ao desconhecido.

E o desconhecido surgiu, inesperadamente, contra a própria corrente do jogo: livre bombeado para o segundo poste, assistência de François e toque, à boca da baliza, de Miguel Lourenço, com Boeck batido. O golo, marcado aos 54 minutos, fez abanar a estrutura da equipa, que lançou-se para cima dos sadinos mas sem inteligência e contra um Lukas Raeder inspirado. Nem mesmo gozando de superioridade numérica desde os 41 minutos (vermelho para Lupeta) o Leão soube ultrapassar o Vitória de Setúbal, colocando assim em perigo a passagem à meia-final.

«Não vencemos, claramente, porque pecámos muito na finalização. Mesmo antes de o adversário ficar com dez colocámo-nos em vantagem e tivemos outras oportunidades de golo; o guarda-redes contrário fez excelentes defesas e enviámos uma bola à barra», explicou Marco Silva na flash interview.  Animado com o empate, Bruno Ribeiro deixou clara a ambição da equipa: «queremos chegar outra vez à final. Vamos fazer tudo para ganhar ao Boavista e ver se conseguirmos chegar às meias-finais com o Benfica».

Esperar para ver e rezar por empates

Desta feita, o Sporting terá de esperar pelos resultados dos último jogos do seu grupo C, entre Belenenses e Vitória de Guimarães e Vitória de Setúbal e Boavista. Caso haja vitória de Belenenses ou de sadinos, os Leões ficarão de fora da prova, podendo apenas continuar em competição caso ambas as formações se anulem e o empate prevaleça.

VAVEL Logo