Adrián López: reforço de milhões insuficiente para a liga milionária

Adrián López: reforço de milhões insuficiente para a liga milionária

Chegou ao futebol português com o selo de qualidade da Liga BBVA, vindo do campeão estóico Atlético de Madrid, que se intrometeu na luta de titãs entre Barcelona e Real. Mesmo assim, e pelo peso de 11 milhões de euros, Adrián López esteve e está, longe de singrar no FC Porto.

vavel
VAVEL

É um caso que demonstra, na perfeição, que os milhões nem sempre garantem retorno desportivo: Adrián López chegou ao FC Porto com tudo a seu favor, desde o preço avultado, passando pela aposta de Lopetegui até à reputação de campeão espanhol, obtida ao serviço do esforçado Atlético de Madrid, vencedor da Liga BBVA 2013/2014. Mesmo assim, Adrián falhou em singrar no Dragão - pelo menos até aos dias de hoje.

O jogador chegou ao Porto com o rótulo de campeão espanhol, sendo aposta forte da SAD portista e do treinador basco - apenas assim se explicam os 11 milhões de euros esbanjados em apenas sessenta por cento do passe do avançado. Com o peso dos milhões vinha também o peso da aposta: um jogador dispendioso graceja sempre de oportunidades para demonstrar o seu talento; Adrián jogou mas tardou em convencer o treinador, e, perdido no sistema táctico de Lopetegui, foi perdendo gás na corrida pela titularidade.

Talvez pressionado pela rápida necessidade em fazer valer, em campo, os milhões gastos pelos portistas, Adrián López sentiu o seu espaço de manobra encurtar-se; com Quaresma sempre a espreitar a entrada no onze, Brahimi a brilhar ao mais alto nível e Tello a lutar pela ascensão na equipa, o antigo jogador do Atleti eclipsou-se e não é hoje mais que uma reserva crónica no plantel portista. Sem chances, mesmo mínimas, de competir com o instinto fatal de Jackson Martínez, matador e rei do Dragão, Adrián vê-se ainda a perder terreno para Aboubakar e Gonçalo Paciência.

Sem efectividade nos corredores (onde pontificam os dribladores natos Tello, Quaresma e Brahimi), Adrián tem no lugar mais avançado do 4-3-3 portista uma autêntica barreira inultrapassável: Jackson, o goleador que não dorme. Para piorar a situação, as preferências de Lopetegui dão já maior atenção ao camaronês Aboubakar, que aparenta ser o segundo imediato, atrás do internacional colombiano. 

Com apenas 289 minutos somados na Primeira Liga, o espanhol de 27 anos nunca marcou um único golo no campeonato português - o único golo festejado por Adrián aconteceu na Liga dos Campeões, numa goleada onde o nome do antigo colchonero figurou. Com 190 minutos na desvalorizada Taça da Liga, o espanhol vai enganando a fome de competição, mas a verdade é só uma e não deixa mentir: Adrián tem sido uma desilusão desportiva no FC Porto e a sua exclusão da lista de eleitos para a Liga dos Campeões é disso prova cabal.

Julen Lopetegui decidiu hoje excluir o jogador da lista de eleitos para a próxima fase da Liga dos Campeões, o que acentua a fase descendente de Adrián no FC Porto. Fora do onze, fora das opções internas e fora da elite da Europa, o jogador espanhol vê as suas possibilidades de entrar no onze cada vez mais distantes. Para agravar a sua situação no clube, a vinda do extremo super-sónico Hernâni, proveniente do Vitória de Guimarães, deixa Adrián ainda mais longe de calçar as chuteiras enquanto titular da formação do Dragão.

Sendo uma aposta cara, Adrián passa, após seis meses no Dragão, de uma forte certeza a um problema que a SAD terá que resolver, caso nada mude no cenário desportivo do jogador. Com um custo elevado (pelo passe) e com salários elevados, a situação do avançado não poderá arrastar-se prolongadamente, sob pena de prejudicar a gestão corrente do clube da Invicta. Seria de expectar que, devido ao panorama actual, o jogador pudesse seguir o rumo do empréstimo (neste mercado de Janeiro) mas tal não se sucedeu. 

 

VAVEL Logo
CHAT