Sporting 1-1 Benfica: Sem espectáculo, mas com teatro

Sporting 1-1 Benfica: Sem espectáculo, mas com teatro

Concluído que estava mais um capítulo da história dos derbys entre Sporting e Benfica, o universo cibernético nacional foi, como de costume, invadido por fotos, montagens e milhares de opiniões da mais diversa índole e todas elas com a volatilidade e clubismo habituais. De um lado aqueles revoltados com o desenlace da partida, de outro os aliviados e, vai se lá saber como, capazes das comuns provocações tão características deste tipo de situação.

Francisco_Ferreira
Francisco Ferreira Gomes

Crónica VAVEL: o «derby» em análise

Não escondo que faço parte do primeiro grupo, daqueles que vibraram do princípio ao fim, que ficou rouco à passagem dos 87 minutos, apenas para ver tudo fugir por entre os dedos já bem perto do final. Todavia, e clubismos à parte, se apenas o Benfica cumpriu o objectivo a que se propôs, e que correspondeu à sua postura durante todo o jogo, apenas o Sporting lutou para o conseguir, acabando por ver esses esforços gorados pela ansiedade e hubris prematura.

Um adepto, seja ele de que clube for, gosta destes grandes jogos, mormente pelo espectáculo que os mesmos proporcionam, vendo duas equipas a batalhar pela vitória; e por isso é de imaginar o espanto de quem viu o jogo do último domingo ao constatar um Benfica fechado e de linhas cerradas, jogando na expectativa e entregando a iniciativa de jogo ao adversário...para quem segue o nosso futebol atentamente seria difícil encontrar algo mais contra-natura

Apesar disso, a verdade é que a estratégia de Jesus estava a resultar; mesmo sem qualquer ataque digno desse nome, os encarnados iam cumprindo a sua estratégia rumo ao objectivo principal: não perder. Muitos foram aqueles (benfiquistas inclusive) que criticaram a postura nada habitual da equipa da Luz, contudo o futebol conta histórias de grandes sucessos por meios idênticos. Com efeito, Grécia em 2004 e Chelsea em 2012 são exemplos paradigmáticos; duas equipas pouco (ou nada) vistosas em termos futebolísticos, mas que, através de uma industrial dose de pragmatismo e estratégias de jogo amargas para o gosto do amante do futebol, conseguiram conquistar Campeonato da Europa e Liga dos Campeões, respectivamente.

Independentemente do objectivo alcançado, a verdade é que não se pode dissociar o empate benfiquista em Alvalade do factor sorte. Isto porque, e ao contrário da máxima que defende que a sorte procura-se, desta vez pode-se dizer que foi ela que encontrou os encarnados, já que estes nada fizeram para ir em sua busca, muito menos para a merecer. Talvez foi por isso que o golo das águias foi celebrado como se da conquista de um campeonato se tratasse (na verdade mais parecia a conquista da Champions, mas este ano tal referência de nada vale para os lados da Luz). Jesus brincou com o fogo, arriscando ao mudar a estratégia e o DNA da sua equipa, colocando-se a jeito de uma derrota que certamente iria deixar mossa, não só pelo adversário em questão, como também pela forma como teria acontecido.


Sporting - Benfica 1-1 All Goals and Full...

Não vou ao ponto de disfarçar o desgosto que senti ontem; fui a Alvalade, gritei quase até à afonia e vibrei com todos os momentos do jogo, como se do último minuto se tratasse, fui da euforia ao desespero numa questão de poucos minutos, de tal forma que a caminho de casa ainda pensava que tal golpe de teatro não passava de uma ilusão.

Tal estado de espírito não nasce da postura do adversário, não o culpo, já que é impossível fugir à «tirania» dos resultados, vem sim da luta e garra dos sportinguistas, jogadores e adeptos; um estádio cheio e apaixonado assistiu durante mais de 90 minutos a uma equipa lutar com todas as suas forças contra um muro que parecia intransponível, apenas para ver o castelo da vitória desmoronar no último suspiro.

No futebol a noção de "justiça" e "merecimento" ganham contornos tão voláteis e subjectivos que chego ao ponto de achar que tais expressões nem deveriam ser usadas no, por si só, já vastíssimo e riquíssimo (...ou talvez não) léxico futebolístico. Para além do mais, e se alguma coisa ficou provada no derby de domingo é que, futebolísticamente falando, justiça não passa de um sinónimo de eficácia.

VAVEL Logo
CHAT