1-0, MIN.69, RUI FONTE ; 1-1, MIN.90+4, CARLOS MANÉ
Leão vacila no Restelo e complica (ainda mais) o título

Leão vacila no Restelo e complica (ainda mais) o título

O Sporting foi esta noite a Belém, empatar a uma bola mesmo ao caír do pano. Os leões vacilaram numa jornada em que era importante vencer,  para, pelo menos, manter a distância pontual que os separa de Porto e Benfica.

pedro-duarte
Pedro Oliveira Duarte

Primeiro Tempo a ritmo morno

Ainda sem Slimani, lesionado após a participação na CAN, o Sporting entrou pressionante e com as linhas bastante subidas. Diga-se aliás, que tanto Paulo Oliveira como Tobias Figueiredo jogaram quase a meio campo aquando do processo de construção ofensiva. O Belenenses de Lito Vidigal, por sua vez, apresentava-se num bloco mais recuado, no qual as linhas se encontravam muito juntas, de modo a impedir que os pupilos de Marco Silva criassem grandes desiquilíbrios. 

Os leões tiveram um bom início de jogo e chegaram até a estar perto do golo, num lance em que Montero intercepta um atraso da defensiva do Restelo. No entanto, Ventura, guarda-redes que conta com passagens por FCPorto e Sporting, impôs-se no lance e “fez a mancha”, impedindo o colombiano de abrir o marcador para os lados de Alvalade. Com o passar do tempo, o Sporting foi perdendo gás e o jogo foi-se tornando aborrecido. O Belensenes, a espaços, tentava lançar contra-ataque rápidos mas sem grande sucesso. No final dos primeiros 45 minutos, assinalava-se um nulo no marcador.

desporto.sapo.pt

De novo ao caír do pano

À entrada para a segunda metade do jogo, Marco Silva deixa no balneário João Mário e Montero, substituíndo-os, respectivamente, por Carlos Mané e Tanaka. O jogo, porém, não ganhou mais interesse. Pelo contrário, assistimos a uma segunda parte globalmente mais fraca do que a primeira, mesmo que tenha sido no seu decorrer que se viram os únicos golos do jogo.

Ao minuto 69, e já na segunda falha protagonizada por Rui Patrício no decorrer desta noite, o guardião da selecção nacional pontapeia a bola, que por infortúnio vai exactamente contra Paulo Oliveira. Quem aproveita esta confusão é Rui Fonte, avançado cedido por empréstimo do Benfica (e formado em Alcochete), que fica na posse da bola e com a baliza à sua mercê, tendo apenas que encostar para abrir o marcador.

desporto.sapo.pt

Estava feito o primeiro para o Belenenses. O Sporting  voltou a mexer, tirando Carrillo para colocar Capel, mas os jogadores de Lito Vidigal tinham a lição bem estudada e continuaram a colocar dificuldades ao Sporting, que nunca teve uma situação de perigo eminente.  Ao minuto 83, Cédric que já contava com um amarelo,  vê o segundo por alegada falta sobre Miguel Rosa, sendo assim expulso. Mais um contratempo para os leões de Marco Silva, que viam o jogo complicar-se ainda mais no pouco que faltava para o apito final.

No último minuto de jogo, acontece exactamente aquilo que se havia visto em Alvalade na semana passada, mas desta vez a favor dos leões: Um golo ao caír do pano. Foi exactamente no último lance do jogo, no meio da confusão, que Carlos Mané acabou por empurrar a bola para o fundo das redes.  Terminado o jogo em Belém, os leões saiam com um ponto que de pouco ou nada serve às suas pretensões no campeonato, enquanto que a equipa da casa fica a 5 pontos do 5ª lugar.

VAVEL Logo
CHAT