Testes em Barcelona - Dia 3: McLaren constante na desilusão

Testes em Barcelona - Dia 3: McLaren constante na desilusão

Num dia algo conturbado no circuito catalão, Pastor Maldonado voltou a ser o líder da tabela de tempos. Quem continua a destacar-se pela negativa é a McLaren, com Button a conseguir somar apenas 18 voltas no seu até ao momento nada fiável monolugar.

hugopalmeida
Hugo Picado de Almeida

O terceiro dia de testes em Barcelona foi algo atípico, com três bandeiras vermelhas a suspender a sessão e momentos de chuva a atrasar a saída dos pilotos para a pista. Constante, e pela negativa, foi apenas a prestação da McLaren, cujo carro insiste em dar problemas na unidade de recuperação de energia, impedindo bons testes a Jenson Button naquela que é a segunda bateria de testes da temporada.

Entre bandeiras vermelhas, Verstappen foi o mais rápido da manhã

Sebastian Vettel começou mal o dia. O alemão da Ferrari foi dos primeiros a inaugurar o traçado, mas logo fez sair à vista as bandeiras vermelhas, suspendendo a sessão com apenas um par de minutos decorridos. Foi na curva cinco da sua volta de saída que o tetra-campeão mundial perdeu o controlo do SF15-T e acabou na gravilha.

Vettel acabou a sua primeira volta precocemente, na gravilha (Foto: XPB images).

A sessão foi reatada ao fim de poucos minutos, e Lewis Hamilton, que tinha selado a sua volta de instalação antes do despiste de Vettel, foi o primeiro homem a colocar um tempo no quadro: 1.33,364s. O actual campeão foi sucessivamente melhorando o seu tempo, voltando ao topo da tabela já com pneus médios: 1.26,142.

A Red Bull aproveitou boa parte da manhã para praticar pit stops (como várias equipas o fizeram durante o dia) com Daniil Kvyat, tal como ontem já havia feito com Ricciardo. O jovem russo foi, assim, o último homem da manhã a colocar um tempo na tabela. Nas suas primeiras 12 voltas, o russo parou sempre para um teste nas boxes.

Quem demorou a sair para a pista foi a Sauber. Marcus Ericsson foi forçado a assistir à sessão da manhã das boxes, enquanto os seus mecânicos se atarefavam em torno da sua caixa-de-velocidades. Só já muito perto da hora de almoço o sueco entrou no seu Sauber para apontar quatro voltas ao traçado antes do final da sessão matinal. 

A segunda bandeira vermelha da manhã foi exigida por Jenson Button, cujo McLaren-Honda ficou (uma vez mais) parado na pista, com apenas seis voltas completadas. O britânico já tinha sido traído pelo seu monolugar no primeiro dia de testes em Barcelona, ao fim de apenas 12 voltas cumpridas.

Já perto do final da manhã, Verstappen, acabado de montar pneus macios no seu Toro Rosso (foi o único a correr com este composto durante a manhã), apontou o melhor tempo até então, com 1.25,417. O jovem holandês fechou a manhã com o melhor tempo e com o maior número de voltas entre os nove pilotos em pista: 1:24.739, com 60 voltas.

A tarde só piorou a manhã da McLaren

A chuva, que já esporadicamente caíra durante a manhã, atrasou a entrada de alguns pilotos em pista a seguir ao almoço. Depois de Kvyat e Ericsson terem testado as condições da pista com pneus intermédios, o sol regressou, e com ele voltaram à pista Wehrlein (Force India), Vettel (Ferrari), Maldonado (Lotus) e Hamilton (Mercedes). Durante a tarde, os melhores tempos foram marcados com os pneus médios, preferidos pela maioria dos homens em pista. 

A Williams aproveitou o almoço para trocar Felipe Massa (fez 51 voltas de manhã, com o 5º melhor tempo) por Valtteri Bottas. O finlandês demorou, porém, a apresentar uma volta cronometrada. Após 30 voltas, não contava ainda nenhuma, uma vez que praticava pit stops no final de cada uma. Quem demorou a regressar à pista foi novamente a azarada McLaren. Depois de apenas 12 voltas durante a manhã, Button entrou novamente no seu monolugar a meio da tarde. A equipa britânica assumiu ter tido novamente alguns problemas no sistema MGU-K, que recupera energia eléctrica através do sistema de travagem, tal como acontecera na passada quinta-feira, obrigando a equipa a correr com este sistema limitado. Ainda assim, a tarde foi de entradas e saídas sucessivas de Button na via das boxes, que ficou fora da pista durante a maior parte da tarde.

Principais equipas põem fiabilidade à prova

Cinco dos nove pilotos em pista aproveitaram a tarde para fazer simulações de corrida e acumular voltas. Hamilton, Vettel, Maldonado, Verstappen e Kvyat somaram mais de 100 voltas cada, continuando as respectivas equipas a submeter a fiabilidade das suas máquinas a rigorosos testes nesta fase da pré-temporada. Pastor Maldonado, como já havia sucedido ontem, foi o homem mais rápido do dia. A Lotus continua, por isso, a dar boas indicações, após uma época de 2014 marcada pelo fracasso.

A apenas 15 minutos do final da sessão, as bandeiras vermelhas voltaram a ser acenadas. O Toro Rosso de Verstappen parou na pista ao fim de 125 voltas, precisamente enquanto o McLaren de Button saía finalmente para a pista. Continua azarada a equipa de Woking, que desejava fazer umas últimas voltas, sem problemas no MP40-30. Ao fim de três dias, a McLaren não completou ainda 200 voltas entre Button e Alonso, enquanto as demais equipas contam todas mais de 400 cada uma, excepção feita à Mercedes, que soma mais de espantosas 800 voltas ao circuito catalão.

A McLaren será, de facto, o centro das atenções amanhã, no último dia das equipas em Barcelona. Conseguirão britânicos e japoneses resolver os problemas que continuam a assolar o MP40-30 e reatar o seu calendário de testes no quarto e último dia?

VAVEL Logo
CHAT