0-1, min. 72, Christian Tello.
Novo triunfo essencial: FC Porto soma, segue e pressiona rival
(Foto: abola.pt)

Novo triunfo essencial: FC Porto soma, segue e pressiona rival

Vitória mais que justa pelo futebol praticado pelo Porto, que venceu esta noite o SC Braga por um a zero, cortesia de Tello, que voltou a marcar e a ser decisivo.

joao-rodrigues
João Rodrigues

Nesta 24ª jornada, FC Porto encontrava o Braga num dos jogos mais difíceis da segunda-volta. Tello foi novamente decisivo esta noite ao marcar o golo da vitória portista num jogo que se revelou difícil, devido à competêcia defensiva bracarense. Com Evandro novamente a titular, os dragões dominaram por completo mas esbarraram na muralha arsenalista. 

O Braga entrou em campo com dois pivôs nucleares - Danilo e Pedro Tiba - sendo que Rúben Micael era o médio mais móvel e de cariz mais ofensivo, sendo fundamental na saída-de-bola - deixando Pedro Tiba foca na marcação directa ao mexicano Herrera, pêndulo portista do meio-campo.

Primeiro tempo inteso mas sem emoção...

A primeira parte foi de grande intensidade. O Braga entrou forte mas rapidamente o Porto impôs o seu jogo. Aos 5 minutos surgiu umas das melhores oportunidades do jogo e a melhor por parte do bracarenses - num ressalto após uma má saída de Fabiano (desentendimento com Casemiro), Zé Luís rematou ao lado desviando  o esférico em Casemiro. Foram 5 minutos positivos por parte dos arsenalistas mas rapidamente adormeceu a veia ofensiva bracarense.

Os pupilos de Sérgio Conceição começavam-se a juntar na zona recuada, e, quando queriam sair em transição rápida, os dragões rapidamente recuperavam a bola. Aos 19 minutos, num cruzamento-remate de Tello, viu-se o melhor momento deste primeiro tempo, com Matheus a esticar-se e a realizar uma grande defesa. Já perto do intervalo, o Porto carregou com Tello e Jackson Martínez em destaque, mas ambas as equipas foram para os balneários empatadas.

... até que o suspeito do costume decide novamente!

Na 2ª parte, o Porto entrou e domínou. Logo aos 46 minutos Aderlan Santos ia cometendo auto-golo após um corte «in extremis». Perante as dificuldades em sair com a bola dominada, Sérgio Conceição fez entrar Edér mas mesmo assim o jogo arsenalista não se alterou. Os dragões continuavam a dominar - até que surgiu uma má notícia para os portistas. Jackson, aos 64 minutos, lesionou-se sozinho e foi substituído por Aboubakar. 

Com essa notícia, o Braga fez entrar o rápido extremo Salvador Agra para o lugar de Rafa para ver se chegava, de vez, à baliza adversária. Aos 72' surgia o único golo dos portistas. Aboubakar assistiu Tello, que, no frente-a-frente com Matheus, não falhou. Os bracarenses não conseguiram reagir e os pupilos de Lopetegui limitaram-se a controlar o jogo, que, com a entrada de Rubén Neves, esfriou.

«Tem sido uma semana especial» - palavras de Tello no final do jogo (Foto: abola.pt)

Destaques:

Sporting de Braga - Esperava-se mais a nível atacante. A equipa esteve muito bem sem bola mas quando a tinha não a soube gerir, perdendo-a rapidamente (muito também devido à pressão portista). Os bracarenses só remataram apenas uma vez. Rubén Micael foi o jogador mais sacrificado, não podendo fazer o que mais gosta - impôr a sua criatividade no passe. Pedro Santos esteve activo mas perdeu vezes sem conta a bola. Os melhores acabaram por ser os centrais André Pinto e Aderlan Santos, que fizeram uma grande exibição. 

FC Porto - O que dizer? Vitória mais que justa. A equipa da cidade Invicta pressiona, com este resultado, o líder Benfica. Tello está numa semana de sonho. A sua relação bola-baliza não poderia estar melhor - 4 golos em dois jogos. Casemiro e Herrera encheram o meio-campo. No geral, foi um jogo muito bem conseguido por parte dos pupilos de Julen Lopetegui. O destaque negativo acaba mesmo por ser a lesão de Jackson que deverá ser uma ausência importante no jogo da próxima Terça-feira.

Flash-interview:

Sérgio Conceição«Faltou-nos algo no setor ofensivo, mas também temos de dar mérito à defesa do FC Porto. Foi um jogo muito equilibrado e entrámos no jogo a trabalhar muito. Na segunda parte não houve grandes oportunidades para as duas equipas, mas na única ocasião clara o adversário conseguiu chegar ao golo [...] Questiono se a queda de Pardo fosse na área contrária o que seria. Ficamos na dúvida. Bastava a um jogador do FC Porto cair para haver falta e com os nossos jogadores era mais complicado. No lance do Pardo há um toque e tem de ser penalty».

Julen Lopetegui: «Merecemos claramente os três pontos. Nós rematamos 16 vezes e eles apenas duas vezes. O SC Braga optou por defender e apostar no contra ataque, mas nós não os deixamos.».

O treinador do Braga voltou a insistir nas árbitragens na conferência de imprensa (Foto: abola.pt)
VAVEL Logo
CHAT