Vettel eufórico, Hamilton conformado
Monolugares após o GP da Malásia (Foto: Ferrari)

Vettel eufórico, Hamilton conformado

Após mais um Grande Prémio de Formula 1 tivemos o regresso as vitórias da Ferrari com Sebastian Vettel. Apesar de não fazer a pole position, o tetra-campeão mundial teve uma excelente corrida, e a melhor estratégia posta em prática pela Scuderia valeu-lhe a vitória.

joao-pereira
João Pereira

As declarações dos pilotos mostram bem como foi este fim de semana na Malásia, com Vettel claramente contente, satisfeito pelo regresso da Ferrari ao topo, e a Mercedes a ter de pensar no que falhou. Os seus pilotos, ultimamente habituados a nada menos do que uma vitória, mostraram-se desagradados com a equipa, clamando por melhorias, sobretudo ao nível da comunicação, para os próximos GPs.

Vettel e a sensação de ganhar de Ferrari

O alemão estava muito feliz devido a viver um dos dias mais espectaculares da Ferrari, a provar que consegue ganhar com outra equipa que não a Red Bull, e principalmente numa Scuderia que não ganhava desde do GP de Espanha de 2013: «É um dia fenomenal, sinto-me muito bem, e ver toda a gente do pódio é uma ótima sensação. Eu lembro-me de assistir às vitórias do Fernando (Alonso) e também do Michael (Schumacher). Fazer parte desta equipa é muito especial e estou muito feliz. O ano passado foi difícil, nunca consegui beber o champanhe do degrau mais alto do pódio. Por isso este é um ótimo regresso, depois de uma temporada muito difícil. Este carro adapta-se bem ao meu estilo e também ao do Kimi (Räikkönen). Hoje, a estratégia foi top, por isso um grande obrigado à equipa. Fomos surpreendidos pelo facto da Mercedes ter ido às boxes com o safety-car, mas nós tínhamos visto na sexta-feira que eles estavam com alguns problemas com os pneus».

Apesar de ter conseguido a vitória não foi nada facilitada por Hamilton. «Gostei de ter conseguido acompanhar o Lewis (Hamilton), mas depois ele perseguiu-me no segundo stint, o que foi algo difícil. No final, e eu não deveria dizer isto, mas estava a borrar-me todo, e ao mesmo tempo a pensar que ia ganhar com um Ferrari. Então, concentrei-me mais porque pensei que podia sair. Um grande obrigado para Maranello, há um grande potencial naquela fábrica e hoje fizemos um trabalho incrível.», declarou Vettel.

Vitória como se fosse a primeira

Alemão relembrou o seu compatriota pluri campeão pela Ferrari Schumacher «Para mim esta vitória é provavelmente tão emocional como foi Monza/2008 com a Toro Rosso. Estive toda a minha vida toda com a Red Bull, comemorei a primeira vitória lá e de seguida, na China em 2009 foi uma vitória única. E esta também é única. Talvez esta seja um pouco melhor, porque este foi o cumprir de um sonho de infância, pois o Michael era o meu herói. Provavelmente eu sou o único que ainda não entendeu totalmente o quão especial é este dia de hoje. É ótimo, agora vejo bem as bandeiras da Ferrari, e estou orgulhoso de ter batido a Mercedes, pela primeira vez, em mais de um ano. Vencê-los de forma justa é incrível».

Hamilton lamenta não ter tido o melhor monolugar neste GP

O inglês diz que o equilíbrio do monolugar estava complicado e com a desvantagem adicional da Mercedes ter dificuldade com a degradação dos pneus que claramente fizeram a diferença: «Muito parabéns ao 'Seb' e à Ferrari. Eles tiveram um bom ritmo. Sabíamos que tinham dado um bom passo no inverno, e eles foram demasiado rápidos para nós hoje. Não tivemos o equilíbrio necessário e eles venceram-nos.» Em relação ao que precisam de melhorar refere que «precisamos de voltar a trabalhar juntos como uma equipa e analisar onde perdemos tempo. O equilíbrio do meu carro não era grande hoje, mas eu tenho certeza de que vamos estar de volta na próxima corrida. Não sei, se quer, se uma estratégia diferente teria resultado. Eles estavam bem melhor do que nós em termos de degradação dos pneus. Coloquei pneus novos, mas tinha tanto para recuperar que era praticamente impossível fazê-lo».

O próximo GP é um dos preferidos de Hamilton, que por isso se mostra confiante e entusiasmado pela força dos fãs locais: «Agora vem aí a China, que é uma das minhas corridas favoritas, por causa dos adeptos. Eles sabem quando nós aterramos, estão à porta do restaurante, quando deixamos o hotel e vice-versa também. Eu não sei como eles fazem isso. Já tive algumas boas corridas lá, e suponho que vai estar mais fresco em Xangai, por isso vamos tentar fazer melhor lá...».

Rosberg queixa-se de problemas de comunicação              

Rosberg não teve uma corrida fácil, e por isso pediu à própria equipa para melhorar alguns aspectos, tal como a entrada nas boxes dos Flecha de Prata durante o safety-car, tendo depois que recuperar posições no tráfego «É difícil, pois os engenheiros não estão nos monolugares. Eles têm computadores e números, mas nós não temos nada.», e em relação ao esforço que faz declara«Eu esforço-me para saber o que está acontecer. É importante ter mais detalhes. Eu estava a sentir falta disso hoje, por isso vamos discutir isso depois para ter uma melhor imagem do que se estava realmente a passar.».

Depois da primeira paragem ficou confuso «Eu não percebi; depois da primeira paragem estava a aproximar-me do Lewis e depois quando parámos a distância aumentou bastante, mas isso aconteceu devido a estarmos a usar um pneu diferente e eu não sabia.»

Veremos o que acontece no próximo GP da China que se realiza no dia 12 de Abril no circuito de Xhangai.

VAVEL Logo
CHAT