Paris-Nice e Catalunha no papo: Richie Porte aponta para 2015 de sucesso
Foto via: Cycling Weekly

Paris-Nice e Catalunha no papo: Richie Porte aponta para 2015 de sucesso

O ciclista australiano da Team Sky está a efectuar uma arranque de temporada espectacular e os êxitos no Paris-Nice e na Volta à Catalunha indicam o caminho do sucesso em 2015. Num ano de total afirmação, Richie Porte aponta agora baterias para o Giro de Itália, onde será chefe-de-fila da equipa britânica.

vavel
VAVEL

Richie Porte tem sido um dos maiores vencedores deste primeiro trimestre da época: aos 30 anos, o ciclista australiano da Team Sky tem dado espectáculo nas variadas provas da temporada e os triunfos badalados têm bafejado a sua reputação, cada vez mais consolidada no panorama internacional. Conhecido antes pelas extremas regularidade e versatilidade, Porte tem-se afirmado em 2015 como um corredor de elite capaz de encabeçar vencer as grandes provas de três semanas.

Fruto da consolidada reputação de gregário inexcedível, trepador por excelência, Richie Porte goza actualmente da total confiança da equipa britânica, apontado baterias para o Giro de Itália, onde será, pela primeira vez, o chefe-de-fila da equipa numa prova de três semanas. Porte vem de uma senda de vitórias animadoras: bateu a concorrência no Paris-Nice e, superiorizou-se a todos na Volta à Catalunha, onde todos os grandes nomes (à excepção de Quintana) marcaram presença.

Mas o excelente percurso em 2015 não se resume a essas duas vitórias -  no Tour Down Under atingiu o segundo lugar na geral individual, na Volta ao Algarve venceu a camisola da montanha, tendo também arrebatado, logo no começo do ano, o Campeonato Nacional austrliano de Contrarrelógio Individual, com o tempo de 51 minutos e 50 segundos. No total, Porte já venceu quatro etapas em 2015.

«É, obviamente, um aumento de confiança enorme. Dediquei-me durante os últimos cinco meses a colocar a minha forma onde quero que esteja, trabalhando também o meu peso, que é bastante crucial para um ciclista», afirmou o australiano após a vitória na Volta à Catalunha, onde bateu Alejandro Valverde (Movistar) por 4 segundos. «Se a minha temporada acabasse agora, teria já tido uma época incrível, mas quero mais. Quero atacar o Giro e enfrentar os rapazes nas subidas mais íngremes», declarou em tom ambicioso.

VAVEL Logo
CHAT