Sporting: Se a bola não entra, Montero sai?

Sporting: Se a bola não entra, Montero sai?

Contratualmente ligado a Alvalade desde 2013/14, Freddy Montero passou de máximo goleador para suplente não utilizado, e os rumores de transferência parecem cada vez mais uma certeza. O ponta de lança perdeu espaço nas áreas adversarias e Slimani e Tanaka passaram a ser as apostas de Marco Silva para furar as redes contrárias.

francisco-dias
Francisco Dias

O Sporting da temporada passada contou, sob o comando de Leonardo Jardim, com o génio invulgar de Fredy Montero, que, em época de estreia no futebol europeu, deslumbrou o desporto rei português com uma avalanche goleadora que surpreendeu tudo e todos. Na presente temporada o ponta de lança tem vindo incompreensivelmente a perder espaço e até o estreante Tanaka revela maior protagonismo que o colombiano. De maior figura goleadora  a um mero suplente, Montero trocou as  redes contrárias pelo banco e a sua saída de Alvalade será uma forte possibilidade.

Montero estará fora de jogo para 2015/2016?

A surpreendente equipa do jovem Sporting de Leonardo Jardim tinha em Montero a principal seta apontada aos defesas contrários para 2013/2014 e foi com admiração que o colombiano denotou um instinto goleador aliado a uma técnica que rapidamente o tornou um ídolo para os adeptos de Alvalade. 

Proveniente do Millonarios, o avançado custou aos cofres leoninos cerca de 1 milhão de euros e foi com ambição que Bruno de Carvalho fixou a clausula de rescisão em 60 loucos milhões de euros. Na época de estreia o avançado começou por perfumar Alvalade logo nas primeiras jornadas, recordando o famoso hat trick frente ao Arouca ou o tento frente ao Benfica no derby da capital. A primeira volta correu de feição ao colombiano com 13 golos em 15 jornadas, mas a partir daí os remates deixaram de entrar, as defesas passaram a bloquear as movimentações de Montero, e foi nesse sentido que Slimani ganhou a pouco e pouco o lugar na frente de ataque leonina. Em termos globais, Montero esteve presente em 33 encontros somando 16 tiros certeiros de leão ao peito.

Para a a presente temporada o dianteiro Montero competiu por um lugar no 11 com Slimani e Tanaka e até ao momento leva já 32 encontros, dos quais resultaram apenas 10 golos. A afirmação de Slimani e a novidade Tanaka apagaram ainda mais o brilho de Montero, que passou de titular e goleador para um suplente desmotivado e triste que nem mesmo com a ausência de Slimani em janeiro e fevereiro conseguiu aproveitar para voltar as redes contrárias com a classe e a eficácia de outros tempos. A jornada anterior do campeonato frente ao Vitória de Setúbal foi mais um exemplo da perda de estatuto de Montero, e neste momento é possível afirmar que o colombiano é o terceiro avançado do plantel relegado para o banco de suplentes.

O elevado salário não adequa claramente ao rendimento desportivo, estando cada vez mais certa a ideia de que Montero terá de procurar golos por outras paragens, isto porque a euforia e o deslumbramento dos leões se converteram em desconfiança total, levando Bruno de Carvalho a ponderar a transferencia de Montero no mercado de verão.

A qualidade de Montero é inegável mas o tempo tem vindo a confirmar que o sistema táctico de Marco Sillva, em alinhar com um ponta de lança fixo e dois alas abertos, não se inserem nas reais capacidades de Fredy jogar. Num sistema táctico semelhante ao Benfica, quem sabe se Montero não teria mais êxito? Jogar atras de Slimani, por exemplo, seria uma opção, mas o técnico aposta claramente no 4-3-3 que impede  Montero de evidenciar o seu outro lado: visão de jogo, baralhar marcações abrindo espaços, fintas artísticas ou até marcar de forma esporádica. A verdade é que o ciclo Montero  no clube de Alvalade parece ter terminado, não deixando de ser um dos casos mais estranhos do futebol português. De goleador a suplente banal, Montero deverá mesmo abandonar a área do estádio leonino.

VAVEL Logo
CHAT