Nápoles enfrenta Dnipro com glória de 1989 no horizonte

Nápoles enfrenta Dnipro com glória de 1989 no horizonte

No estádio San Paolo em Nápoles os italianos recebem os ucranianos do Dniro e tentam fazer história na Europa, 26 depois. A partida inicia-se às 20.05 horas.

paulopereira79
Paulo Pereira

Nápoles e Dnipro já se defrontaram anteriormente na UEFA Europa League, com a equipa italiana a ter boas razões para esperar começar este duelo a duas rondas com um sólido triunfo em casa, neste primeiro jogo da meia-final. As duas equipas encontraram-se na fase de grupos da Liga Europa, em 2012/13, com o Dnipro de Juande Ramos a vencer em casa por 3-1 (Fedetskiy 2, Matheus 42, Giuliano 64; Cavani 75gp) mas o Nápoles, à data orientado por Walter Mazzarri, respondeu com um triunfo na segunda mão por 4-2 (Cavani 7, 77, 88, 90+3; Fedetskiy 34, Zozulya 52).

O Nápoles não atingia uma meia-final de uma competição europeia desde que na época 1988/89, quando, sob a batuta do génio Diego Maradona, venceu a Taça UEFA, batendo o VfB Stuttgart nas duas mãos dessa final. Enquanto que o anterior maior sucesso do Dnipro a nível europeu ocorrera nas épocas 1984/85 e 1989/90, quando atingiu, por duas vezes, os quartos-de-final da Taça dos Campeões Europeus. Rafael Benítez, treinador da formação napolitana, afirmou, no lançamento da partida, que esta é uma eliminatória importante rumo a uma final histórica.

Maradona erguendo a Taça Uefa 1988/1989

«Este jogo é o primeiro passo para chegarmos à final. Temos de estar concentrados. Estar na final, 26 anos passados da última, seria um momento histórico para a cidade e para o clube. É nisso que estamos concentrados», afirmou o técnico espanhol, que já triunfou neste formato da Liga Europa ao comando do Chelsea. Em2012/2013, Benítez conduziu os «Blues» à vitória na prova, diante do Benfica de Jorge Jesus.

Quanto a Myron Markevych, treinador do Dnipro, reiterou conhecer bem a equipa do Nápoles, elencando os craques da equipa italiana: «Analisei muitos jogos do Nápoles e sei do grande potencial da sua equipa. Têm bons jogadores, como o José Callejón, Gonzalo Higuaín e Marek Hamšík, pelo que será difícil para nós. Penso que o Dnipro tem 40 por cento de possibilidades de chegar à final e o Nápoles 60».

Benítez, como treinador, não perde em casa há 24 partidas nas provas europeias (20 vitórias e quatro empates), nunca foi batido em casa pelo Inter, Chelsea ou Nápoles, tendo o desaire caseiro mais recente ocorrido a 9 de Dezembro de 2009 (2-1), contra a Fiorentina, pelo Liverpool, na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Equipas prováveis do Nápoles x Dnipro:

Nápoles: Andújar; Maggio, Albiol, Britos, Ghoulam; Inler, López; Insigne, Callejón, Hamšík; Higuaín.

Dnipro: Boyko; Fedetskiy, Douglas, Cheberyachko, Léo Matos; Kankava, Rotan, Fedorchuk, Luchkevych, Konoplyanka; Kalinić.

VAVEL Logo
CHAT