Giro de Itália 2015/Fight for Pink: contendedores, destaques e análises

Giro de Itália 2015/Fight for Pink: contendedores, destaques e análises

Leia tudo sobre a edição 98 do Giro de Itália: competidores e principais contendedores, destaques das etapas, análises às dez etapas já percorridas e prognósticos quanto aos possíveis desfechos da prova.

vavel
VAVEL

Dez etapas passaram e o esfusiante Giro de Itália 2015 está ainda a encaminhar-se para a alta montanha - Alberto Contador mantém a «maglia rosa» mas a concorrência persegue-o a preceito, esperando a melhor altura para atacar a liderança do espanhol da Tinkoff-Saxo. O Giro arrancou no dia 9 de Maio e, desde então, já conheceu quatro líderes da geral individual: Simon Gerrans, Michael Matthews, Simon Clarke e Alberto Contador.

Orica-GreenEdge vestiu a «maglia rosa» durante quatro etapas

Na abertura da prova, o prólogo por equipas, a equipa australiana Orica-GreenEdge chegou-se à frente e começou por liderar - Simon Gerrans cortou a meta na cabeça do grupo australiano e vestiu a camisola rosa; seguiram-se mais três etapas de reinado da Orica-GreenEdge, nas quais a camisola rosa permaneceu nos troncos dos ciclistas Michael Matthews e Simon Clarke - quatro dias de «maglia rosa», duas etapas conquistadas (prólogo San Lorenzo Mare-San Remo e etapa 3 Rapallo-Sestri Levante).

Pelo meio, vitórias de Elia Viviani (etapa 2 Albenga-Genova) e Davide Formolo (etapa 4 Chiavari-La Spezia) que não perturbaram a liderança da geral individual da Orica-GreenEdge. Na quinta etapa, que ligou La Spezia-Abetone, Jan Polanc (da Movistar) cortou a meta em primeiro lugar mas a liderança passou para o corpo de Alberto Contador, ainda que por escassos segundos de vantagem - no fim da quinta etapa, um dos favoritos à vitória final no Giro vestia a «maglia» mais desejada.

Alberto Contador segurou a camisola rosa mesmo após queda

Da quinta à décima etapa, Alberto Contador, da Tinkoff-Saxo, liderou a geral individual, reinado que se estende até agora. Mesmo com um grande percalço, Contador prosseguiu, com segurança, a liderança da geral. O ciclista espanhol caiu perto da meta (após queda colectiva aparatosa) logo na sexta etapa (Montecatini Terme-Castiglione della Pescaia), deslocando o ombro e colocando em perigo a integridade física, bem como o futuro na prova. A caminho de uma total recuperação, Contador mantém-se firme na luta.

André Greipel (Lotto-Soudal) conquistou a sexta etapa, Diego Ulissi (Lampre-Merida) venceu a sétima (Grosseto-Fiugi), e Beñat Intxausti ofereceu à equipa Movistar a segunda vitória no Giro à passagem da oitava etapa (Fiuggi-Campitello Matese). Contador manteve a camisola rosa e os parcos segundos de vantagem na geral, à medida que recuperava da lesão no ombro - a nona etapa (Benevento-San Giorgi del Sannio) foi brilhantemente arrebatada pelo experiente Paolo Tiralongo (Astana).

Nas etapas 8 e 9, as movimentações entre os maiores contendedores acentuaram-se, com Fabio Aru (Astana), Richie Porte (Team Sky), Rigoberto Uran (Etixx-Quick Step) e Alberto Contador a accionarem esforços para mexerem na geral, testando-se mutuamente e medindo forças. Porte, que até então tinha agido de forma discreta, mostrou pujança e fiabilidade, acompanhando o ritmo dos ataques de Aru; Contador fez o mesmo, com semelhante facilidade.

Richie Porte descola do topo, Contador e Aru disputam Giro

Nicola Boem, da Bardiani-CSF ProTeam, conquistou a décima etapa (Civitanova Marche-Forli), mantendo-se Alberto Contador no topo da geral classificativa, com três segundos de vantagem sobre Fabio Aru, mas os desenvolvimentos da etapa provocaram baixas na competitividade no topo da classificação: Richie Porte descolou do topo da geral devido a um percalço técnico e penalização (está agora a largos 3:09 minutos de Contador), estando distante da disputa do Giro. Uran, a 2:10 minutos, também está longe de entrar no lote dos estritos  favoritos.

Damiano Caruso (BMC) a 2:20 minutos de Contador, também parece sair fora do círculo dos favoritos, que, também já sem o italiano Domenico Pozzovivo (o ciclista da Ag2r-La Mondiale caiu com aparato na etapa 3 e abandonou), se confina a Alberto Contador e Fabio Aru. A conquista do Giro de Itália 2015 irá ser protagonizada, até ao fim, pelos dois ciclistas, que dividem o favoritismo na prova - Aru esteve perto de ganhar a competição em 2014 e Contador aposta numa dobradinha Giro-Tour, pressionado também pela ambição de Tinkoff.

VAVEL Logo