Golo de Carvalhas: Inédito Tondela faz História, Chaves vai de campeão à depressão
Foto: LUSA

Golo de Carvalhas: Inédito Tondela faz História, Chaves vai de campeão à depressão

Como um golo pode mudar abissalmente o guião do clímax da Segunda Liga: André Carvalhas marcou aos 94 e permitiu ao Tondela ser campeão, ao União da Madeira ascender ao segundo lugar e ao Chaves de...cair de primeiro para terceiro lugar.

vavel
VAVEL

O golo, de livre directo, de André Carvalhas, mudou o rumo dos acontecimentos do desenlace da Segunda Liga - o tento marcado aos 94 minutos empatou a partida em Freamunde colocou o Tondela no primeiro lugar da classificação (81 pontos), e, simultaneamente, relegou o Desportivo de Chaves para fora da Primeira Liga, destituindo-o do primeiro lugar e roubando à equipa flaviense a hipótese de subir à primeira divisão.

Mensagem do Tondela: entrada na elite do futebol luso

Quando o Tondela beneficiou do livre directo que mudaria a História do clímax da Segunda Liga, o Desportivo de Chaves estava no topo da classificação, a segundos de se sagrar campeão, com 80 pontos. Mas, para infelicidade do colectivo de Carlos Pinto, Carvalhas executou com primor irremediável o livre directo, e, em Freamunde, a explosão de alegria dos tondelenses contrastou com a frustração lancinante dos flavienses (que vencia por 2-0 a Oliveirense).

O Tondela escreveu História: sagrou-se campeão da Segunda Liga pela mão de Quim Machado e juntou a esse feito inédito outro que irá permitir ao clube estar entre os melhores de Portugal, na Primeira Liga, onde poderá debater-se contra os mais titulados clubes do país. A felicidade atingiu também o União da Madeira -  o clube insular subiu ao segundo lugar devido ao golo de Carvalhas (como um golo pode mudar todo o figurino do guião desta Liga...!) e festejou o regresso à Primeira Liga vinte anos depois.

Festa madeirense do União (Foto: Manuel de Almeida/LUSA)

Ao mérito de Quim Machado junta-se também o excelente trabalho do mister das subidas, Vitor Oliveira. Se o Tondela andou sempre nos lugares cimeiros, destacando-se pela regularidade e pela capacidade superior que fez o clube remar no topo, o União da Madeira sprintou na recta final e deixou para trás o Chaves e o Sporting da Covilhã, naquela que é a oitava subida do currículo de Vítor Oliveira.

VAVEL Logo
CHAT