Sevilha x Dnipro: Treinadores fazem a antevisão da final da Liga Europa

Sevilha x Dnipro: Treinadores fazem a antevisão da final da Liga Europa

O Sevilha vai tentar a quarta conquista da Taça UEFA/UEFA Europa League, registo recorde e os ucranianos a primeira vitória em competições europeias. Vencedor qualifica-se para a fase de grupos da UEFA Champions League de 2015/16.

paulopereira79
Paulo Pereira

Myron Markevych, treinador do Dnipro, confirma que é fã do futebol espanhol e que não estava nos planos chegar tão longe. «É verdade que não planeámos chegar à final esta temporada, mas quanto mais vencemos, mais fome de ganhar temos. Depois de ganharmos ao Olympiacos (nos 16 avos-de-final) comecei a acreditar que poderíamos chegar longe, pelo menos até às meias-finais. Sou adepto do futebol espanhol. Não só eu claro, mas muita gente em todo o Mundo. Gosto do estilo de futebol, da forma como a equipa joga. Penso que o Sevilha é muito semelhante ao Nápoles, talvez porque ambos têm treinadores espanhóis. A forma de jogar é semelhante. Se dissesse que os jogadores não estão preocupados, não seria verdade.

Claro que se sentem nervosos, mas o importante é que o deixem de estar mal subam ao relvado amanhã. O Sevilha é uma excelente equipa de ataque, possui excelentes avançados e vai, certamente, criar inúmeras oportunidades de golo. Será uma dor de cabeça para nós, mas a nossa defesa, pelo menos até agora, tem estado muito bem», declarou na antecâmara da final.

Unai Emery, treinador do actual detentor da prova Sevilha, acha que os pormenores podem ser muito importantes para o desfecho do jogo e que os ucranianos são uma equipa que defende muito bem. «Os detalhes são muito importantes quando duas equipas como estas se defrontam durante 90 minutos. Vai ser um jogo equilibrado, por isso a nossa concentração tem de estar a mais do que 100 por cento, para garantirmos que os detalhes joguem a nosso favor. (Dnipro) é uma equipa muito bem estruturada, a defesa é muito sólida. Também são bons a pressionar bem à frente, pelo que manter a posse de bola não vai ser fácil para nós. Essa é uma das chaves do seu sucesso, pressionar os seus adversários.

Não tenho uma bola de cristal, mas veremos o que poderemos fazer. Com base no que aconteceu até agora, sabemos que este será um jogo muito difícil. Estamos ambos aqui porque aproveitámos as oportunidades. Temos exigido isto a nós próprios. Houve equipas que se consideraram favoritas ante o Dnipro, mas que acabaram por cair. Temos de ter consciência disso», afirmou. 

VAVEL Logo
CHAT