Entrevista a Jorge Jesus: «Não me senti desejado no Benfica e decidi sair»

Entrevista a Jorge Jesus: «Não me senti desejado no Benfica e decidi sair»

O homem de todas as polémicas, Jorge Jesus abordou na passada noite de Domingo os temas quentes que têm agitado o futebol português.

francisco-dias
Francisco Dias

Em entrevista ao programa play-off da SIC Notícias, o novo treinador do Sporting Clube de Portugal, Jorge Jesus falou da saída relâmpago da luz, sobre o desafio Sporting, o mercado de transferências e quais as suas metodologias de treino.

Jorge Jesus: A primeira entrevista depois da surpreendente transferência para o Sporting

O tema Jorge Jesus continua bem quente no mundo do futebol nacional e foi na passada noite de Domingo que o técnico bicampeão português abriu o jogo abordando os temas escaldantes à volta da sua saída do Benfica e do novo desafio Sporting. Depois de 6 anos a orientar o emblema encarnado eis que Jorge Jesus explica a drástica mudança para o outro lado da segunda circular.

«Não foi por questões financeiras que podia ou não ficar. Nos outros anos que renovei, a condição salarial nunca mudou. Sempre me senti apoiado pela estrutura do Benfica e sempre foi um clube que me deu tudo. Ao longo desta última temporada não me senti desejado e decidi sair.» Apesar de estar a preparar a nova temporada no clube de Alvalade, Jorge Jesus não esquece os jogadores dos Benfica. «Em 6 anos ganhámos 10 títulos e fomos cabeça de série da Champions. Quero agradecer aos jogadores porque eles foram os grandes obreiros dos títulos que conseguimos. Foi gratificante ter trabalhado com eles». 

Nesta entrevista, Jorge Jesus não escondeu que ele próprio ficou incrédulo com a mudança para o Sporting. «Não dava para imaginar, quando acabou a temporada, que eu poderia ser treinador do Sporting. Foi tudo muito rápido, aconteceu de um dia para o outro. Apareceu um clube que me desejava e fui para o Sporting». De malas e bagagens para Alcochete, a verdade é que o técnico português revelou nesta entrevista que teve em mãos outras propostas para prosseguir a sua carreira. «Tinha outras propostas de bons clubes para fora de Portugal. Não eram clubes que normalmente lutam para ganhar a Liga do Campeões, mas ofereciam-me 6 ou 8 milhões líquidos. Jorge Mendes não me apresentou só propostas do Qatar, apresentou-me também dos melhores clubes italianos. Se eu quisesse, tinha ido para o Milan, Inter, Nápoles ou Roma».

Do vermelho para o verde, o que irá mudar para Jorge Jesus?

O treinador Jorge Jesus alcançou o sucesso no clube das águias e é com risco que se lança para o projeto leonino. ‘Sai de uma situação confortável para uma situação de risco. Uma coisa é ser treinador de uma equipa vários anos, outra é entrar num clube que desconheces. Entro às 7h na Academia e saio às 21h.’ Ao longo da entrevista na SIC Noticias, o novo treinador leonino reafirmou a ambição que tem em devolver sucesso ao Sporting. «Ninguém pode treinar o Sporting e não se assumir como candidato ao título. Pela história e cultura do Sporting tem de se assumir, não há outro caminho».

Para além disto, o treinador esclarece quais as prioridades para a temporada. «O play-off da Champions é muito importante, desportivamente e financeiramente. A supertaça é o primeiro título é especial por isso e não por ser contra o Benfica, mas o principal objetivo do Sporting para esta época será lutar de igual para igual com os rivais pela conquista do título». Relativamente ao modelo de jogo que irá imprimir no Sporting, o experiente treinador afirma que será fiel as suas convicções. «A dinâmica atacante da equipa será idêntica aquela exibida pelo Benfica. A ideia será a mesma, depois o que define isso é o modelo de treino, o modelo de jogador e a ideia de jogo. Isto parece fácil mas depois é muito complicado». 

No que diz respeito ao plantel, Jorge Jesus revela já que se sente surpreendido com a qualidade dos jovens leoninos. «Há dois jovens que de certeza que para além dos que já fazem parte da equipa irão também compor o plantel». Os reforços para 2015/2016 estarão a ser escolhidos a dedo e segundo o treinador serão no mínimo 3 e no máximo 5 contratações. «O Sporting já perdeu dois titulares, Nani e Cedric. Vamos fazer uma equipa com qualidade para disputar o título. Bryan Ruiz já estava a ser negociado quando cheguei e Wolfswinkel é uma hipótese». 

Uma das declarações mais interessantes nesta entrevista diz respeito a William Carvalho. «Comigo vai jogar mais». Em termos globais, o técnico referiu ao longo da entrevista que o Benfica tem uma máquina afinada para poder voltar a ser campeão, mas promete que irá devolver a competitividade que o Sporting já teve outrora ficando bem vincado que este ano a luta pelo titulo será a 3.

VAVEL Logo
CHAT